Publicidade
Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 22º C

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994, e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

  • Moro segue a trilha de promotor que comandou Mãos Limpas

    Ao aceitar o convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para comandar o Ministério da Justiça, o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na 1ª instância, segue a trilha de Antoniodi Pietro, promotor que comandou as investigações da operação Mãos Limpas. O italiano virou ministro do governo de Romano Prodi em 1996, e depois de 2006 a 2008. Então, Pietro fundou o partido Itália de Valores. Moro declarou por várias vezes sua admiração pela operação Mãos Limpas.

    Aliás

    O juiz Moro pretende, como ministro, se aproximar oficialmente da Justiça italiana para tocar convênios, trocas de informações ou até novos acordos.

    Trema, italiano

    Vem aí a extradição de Cesare Batistti.

    Pontapé

    Não se iludam, críticos do juiz-ministro ou torcedores para vaga no STF. Moro é o escolhido de Bolsonaro para disputar a sucessão na Presidência.

    Já é 2019..

    A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffman (PR), e o líder do partido no[...]

    Leia mais
  • Para evitar crise internacional, Bolsonaro recua fusão de Agricultura e Meio Ambiente

    O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), vai recuar sobre a fusão dos Ministérios da Agricultura com Meio Ambiente. Recebeu reports internacionais de que as ONGs WWF, Greenpeace e governos de países nórdicos, além da Alemanha – que banca programa bilionário na Amazônia – preparam forte contra-ofensiva.
    Ele não quer desgaste – para não citar crise internacional – logo ao entrar no gabinete.

    Lista agro

    Bolsonaro analisa extensa lista de nomes para o comando da Agricultura. Um deles é o do presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Luiz Antonio Nabhan Garcia.

    Mas..

    ..A rivalidade é polarizada entre os deputados Goergen e Tereza Cristina. Um dos dois terá o cargo com o desafio de ampliar o agronegócio sem desmatamentos. A conferir.

    Desafio

    O desafio político atual de Bolsonaro é evitar um racha na maior e mais poderosa bancada em seu Governo. Perder um dos lados é alto risco para governabilidade.

    No papel

    O Tribunal de Contas da União se[...]

    Leia mais
  • Transição já tem batalha velada pelo comando do BNDES

    Há uma batalha velada pelo controle bilionário BNDES na futura gestão do presidente Jair Bolsonaro. O cotado para a vaga é Carlos da Costa. Mas o atual presidente do bancão, Dyogo Oliveira, confirmam fontes internas, insinuou que ficará no cargo a convite do super-ministro do Ego – epa, da Economia – Paulo Guedes. A informações gerou dúvidas e reboliço na equipe de transição. Dyogo Oliveira é ligado ao e protegido pelo ex-senador Romero Jucá (MDB) e pela ex-presidente Dilma Rousseff.

    Moro no STF

    Na conversa que terá com o juiz Sérgio Moro hoje, Bolsonaro vai oferecer a vaga para o STF daqui a dois anos, com a aposentadoria de Celso de Mello.

    Orador-Geral

    Magno Malta, senador não reeleito e aliado de primeira hora de Bolsonaro, será o ministro do Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, antecipou a Coluna nas redes.

    Mendoncinha 2.0

    O ex-ministro Mendonça Filho conversou pessoalmente com o presidente Bolsonaro no Rio. É o nome do DEM para o[...]

    Leia mais
  • Bolsonaro terá governo civil composto por militares

    O Governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) terá um perfil diferente dos eleitos democraticamente nas últimas décadas, assim como ele. Será um Governo civil composto por militares. Haverá oficiais de alta patente, da ativa e da reserva, em todos, todos os ministérios – sejam ministros ou integrantes de cargos do segundo escalão. Não diferente no Congresso. O filho Flávio, senador eleito pelo Rio de Janeiro, terá como chefe de gabinete em Brasília o atual na Alerj, coronel da FAB Braga Grilo.

    Pacotão social

    As Secretarias dos Direitos Humanos, das Mulheres, da Igualdade Racial e da Juventude serão fundidas numa pasta.

    3 em 1

    Vem aí o Ministério da Educação, Cultura e Esporte.

    Na moita

    Quem anda quieto mas chega forte em 2019 é Pr. Everaldo, ‘dono’ do PSC. Elegeu os governadores do Amazonas e Rio de Janeiro. E fez boa bancada no Congresso.

    Batalha..

    Começou uma discreta batalha entre eleitos para o Senado para medição de forças nas[...]

    Leia mais