Publicidade
Sexta-Feira, 15 de Fevereiro de 2019
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994, e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

  • Presidente do Senado vai fazer mudanças na Polícia da Casa

    Novo presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP) vai fazer mudanças na Polícia Legislativa da Casa, informam aliados. Há anos a cúpula do departamento é ligada a Renan Calheiros (MDB-AL), seu rival vencido na disputa para o comando da Mesa.

     

    Alcolumbre quer uma Polícia fiel, na escolta e na varredura antigrampo mensal que pretende realizar no seu gabinete. Em 2016, a Polícia Federal prendeu quatro policiais legislativos suspeitos de prejudicar investigação contra senadores. Eles foram defendidos por Renan na atuação de varreduras nos gabinetes contra supostos grampos.

     

    Olho neles

     

    O Ministério Público Federal em Minas cerca empresas prestadoras de serviços à Vale, no setor da barragem, que seriam ligadas a deputados federais do PT e MDB no Estado.

     

    Contra-aborto

     

    Homem forte da Igreja no Senado, Eduardo Girão (Pode-CE), do Pró-Vida, lutará pela PEC que institui a “inviolabilidade do direito à vida desde a concepção”.

    No[...]

    Leia mais
  • Câmara diz a aliados que Governo não será de Eduardistas

    Começou um desligamento direto, com curto-circuito, entre socialistas em Pernambuco, berço do atual comando da legenda. O governador Paulo Câmara, alçado ao Poder pelas mãos de Eduardo Campos (falecido em 2014), disse em reunião que o segundo mandato não será um governo de ‘eduardistas’.

     

    Câmara trocou 17 secretários, todos egressos da Era Campos. Significa que o poder da ex-primeira dama Renata murchou, enquanto o primogênito, João, estreia na Câmara Federal atrás de brilho próprio e continua o único laço da família com o Palácio das Princesas.

     

    Em Brasília, o presidente do PSB, Carlos Siqueira, controla a situação para que as faíscas do barril explodido de Câmara não respinguem no restante dos diretórios.

     

    Boi de ouro 2

     

    A JBS tenta negociar com alguns Estados sua dívida (que pode ser bilionária) de ICMS e outros impostos. Em Goiás teve perdão na gestão de Perillo (PSDB).

     

    Contra-Armas

    Nove deputados do PSB protocolaram um[...]

    Leia mais
  • Proposta de Voto Aberto terá tramitação em regime de urgência

    A proposta (PRS 53/2018) que acaba com o voto secreto para presidente e outros cargos irá tramitar em regime de urgência no Senado. Autor do projeto e um dos articuladores da vitória de Davi Alcolumbre (DEM-AP), o senador Lasier Martins (PSD-RS) já conseguiu as assinaturas (21) necessárias para a urgência de tramitação na Comissão de Constituição e Justiça, onde aguarda definição de um relator. Texto modifica o artigo 60 do Regimento do Senado que sustenta o voto secreto nas eleições da Mesa Diretora.

    Dirceu negocia documentário sobre suas memórias

    O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu vai ao Rio de Janeiro, no próximo dia 23 de fevereiro, para encontro com amigos que vão ajudá-lo no documentário de TV sobre suas memórias. Dia 24 sobe a Petrópolis para autógrafos.

    Dirceu foi condenado no processo do Mensalão do PT e na Lava Jato, e segue livre sob liminar do ministro do STF Dias Toffoli, com direito à liberdade até trânsito em julgado do[...]

    Leia mais
  • Canetada de Bolsonaro garante recorde de decretos no 1º mês

    Nos primeiros 30 dias de Governo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou mais decretos que os antecessores (Michel Temer, Dilma Rousseff e Lula da Silva) no mesmo período.  Os decretos entram em vigor imediatamente, sem precisar passar pelo crivo do Congresso. Foram 36 editados por Bolsonaro (no primeiro mês), contra 13 de Temer, 7 e 11 de Dilma (primeiro e segundo mandato, respectivamente) e  11 e 19 de Lula (primeiro e segundo mandato, respectivamente), conforme levantamento feito pela Coluna no site da subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil.

    Fernando Collor de Mello foi o presidente que mais editou decretos em um mês de Governo (115). Um dos decretos de Bolsonaro foi sobre a posse de arma de fogo.

    A Coluna antecipou que Bolsonaro extinguiria a Saidinha do detento em feriados. Seria por decreto, mas o ministro Sérgio Moro o convenceu de que será melhor por lei.

    Frente da Agropecuária cultiva para colher aliados

    Abatida nas eleições de outubro, a[...]

    Leia mais