Publicidade
Sábado, 17 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

"Tudo bacana", a peça das youtubers de Florianópolis que conquistaram o Brasil

Gabie Fernandes e Thalita Meneghim, do canal Depois das Onze, começaram a fazer vídeos em 2013, e hoje tem mais de 1,6 milhão de inscritos

Karin Barros
Florianópolis
25/03/2017 às 11H16
Thalita Meneghim e Gabie Fernandes, do canal Depois das Onze - Daniel Queiroz/ND

No programa, é visível a sintonia da dupla e o timing certo delas para o humor - Daniel Queiroz/ND


Há pouco mais de uma semana, duas youtubers moradoras de Florianópolis estiveram em primeiro lugar no Trending Topic mundial. Para quem não entendeu nada, Thalita Meneghim, 22, e Gabie Fernandes, 21, com o canal Depois das Onze, foram o assunto mais comentado do mundo pela rede social Twitter. Essa não foi a primeira vez que elas foram elencadas na lista, porém foi a primeira vez que estiveram no topo. O motivo foi o anúncio da peça “Tudo bacana”, primeiro trabalho das duas jovens juntas no teatro depois de lançarem o canal no YouTube, em 2013.

Assista o último vídeo lançado no Depois das Onze



“Tudo bacana” será apresentada em 16 cidades do país, sendo que a maioria conta com três sessões. Muitas delas se esgotaram em 24h, incluindo Florianópolis, enquanto São Paulo, responsável por 20% do público do canal, comprou todos os ingressos de três das quatro sessões em quatro horas. O resultado foi muito além do que as meninas e o diretor da peça, Rafael Dias, da Dia Estúdio, esperavam, principalmente em relação a Florianópolis. “Floripa é a estreia, é importante, e não está entre as cinco principais cidades que assistem o canal. Tínhamos um pouco de medo em função disso, mas foi impressionante”, afirma Dias, que garante que elas voltam à Capital no segundo semestre deste ano. Belo Horizonte também surpreendeu a equipe, esgotando as vendas de um teatro de mil lugares em duas horas.

O sonho de estar no palco de um teatro juntas veio muito antes do canal, porém, só depois de escreverem pelo menos quatro roteiros, finalmente elas chegaram a um texto final. “Que bom que não deu certo antes, porque agora é o momento ideal”, diz Thalita. Para o palco, as duas optaram por levar o mesmo humor dos vídeos, mas também com momentos emocionantes, em que contam a própria história e a do canal. Porém, a linha principal da apresentação é a amizade das duas e sobre como trabalhar com o seu melhor amigo.

Elas afirmam que tentam ao máximo separar a relação profissional da amizade. “Quando a gente sai junto, não falamos de trabalho, buscamos fofocar, rir. Rola cansaço, mas é uma meta de vida ser amiga antes, não dá para ser só colega de trabalho”, coloca Gabie. Para Thalita, o fato de uma brincadeira entre amigas ter se tornado uma empresa é complicado, porque há assuntos chatos. “Tem coisas que não gostamos, não concordamos, mas fazemos de tudo para não atrapalhar a nossa amizade”.

Perguntadas sobre as expectativas para a estreia, as duas não negam o nervosismo. “Estamos em uma ansiedade absurda, tendo ideia direto, conversando muito sobre isso, e o mês de abril vai ser de muito ensaio”, diz Gabie. “As expectativas eram as melhores, mas quando começou a venda de ingressos, as expectativas foram superadas, então estamos reformulando algumas coisas, porque agora a responsabilidade pesou”, brinca Thalita.

Melhores amigas 

Thalita Meneghim e Gabie Fernandes, do canal Depois das Onze, - Daniel Queiroz/ND
Thalita e Gabie começaram com vídeos bem caseiros; hoje, a qualidade surpreende até outros youtubers - Daniel Queiroz/ND

A história do canal começou despretensiosa. Gabie e Thalita se conheceram fazendo a série adolescente “Its”, produzida pela RICTV Record, em 2011. A amizade começou a se fortalecer mesmo um ano depois do trabalho, quando viraram melhores amigas e ainda iniciaram uma participação em outro canal no YouTube.

Contudo, as duas jovens, que na época tinham em torno de 16 anos, queriam algo só delas. Foi então que arrastaram a cama do quarto de Thalita, pegaram uma câmera digital, colocaram um papel de parede atrás e um relógio e começaram a falar assuntos do dia a dia. Com uma estrutura bem precária, porém já mostrando indícios de sucesso, Rafael Dias, que estava começando com a Dia Estúdio, uma network certificada pelo Google/YouTube, apostou nas meninas.

O Depois das Onze foi o primeiro canal da empresa e também será a primeira peça que Dias dirigirá. Ambos, canal e empresa, cresceram juntos, e em 2014 iniciou a aliança. Em pouco tempo, as meninas conquistaram a placa de 100 mil inscritos no canal do YouTube. Em maio de 2015, uma festa em uma das salas da Dia marcou o momento que vislumbrava um canal catarinense que despontaria no país. “Passou muito rápido para a gente. Começamos a ser cada vez mais reconhecidas nas ruas”, lembra Thalita. A placa mais recente chegou em novembro do ano passado, momento que marcou o número de 1 milhão de inscritos. Hoje, o canal tem quase 1,7 milhão de inscritos, e vídeos de até 2,3 milhões de visualizações, como é o caso do “Desafio Quem sou eu”.  

Mico e trouxa

A pegada do canal, diferente de muito que acontece no YouTube, é que ele é atemporal. Fãs podem assistir a vídeos produzidos há dois anos sem acharem o conteúdo velho. As meninas também fazem muitas brincadeiras, jogos e quiz nas gravações, o que traz curiosidade ao espectador. Gabie explica que as duas trabalham juntas no material, mas ela fica mais com o roteiro, e Thalita, com a edição. As duas separam os assuntos que as interessam mais, fatos do cotidiano, namoro e TPM, por exemplo, e soltam o verbo. “A Thali, por exemplo, todo dia paga um mico diferente, ela é um grande material para a gente”, brinca Gabie. “E a Gabie sempre que pode é uma trouxa”, lembra Dias, brincando também.  

Preocupação com o público 

O público que dá Ibope ao canal é basicamente feminino, de 10 a 18 anos. Fato curioso que torna esse um dos diferenciais delas. “Os pais dizem que deixam os filhos verem porque não tem palavrão, ‘baixaria’, elas se preocupam muito com o que falam”, coloca Dias. “Dá para fazer humor sem falar palavrão, sem apelar, sem fazer apologia a nada”, diz Gabie.

A qualidade da produção dos vídeos também impressiona quem assiste. Foi-se a época que as pessoas buscavam um canal caseiro, despreocupado. O “espectador de YouTube” está refinando o olhar, e cada vez mais quer algo de qualidade, com som perfeito, luz apropriada, e porque não um cenário? O relógio é a marca principal do Depois das Onze, que tem esse nome porque, segundo elas, não “funcionam” antes das 11h da manhã. As duas inclusive tatuaram o símbolo do relógio no braço.

Rafael Dias, que há quase três anos aposta nas duas amigas, afirma ainda que a química da dupla é o segredo do canal, além do talento, é claro. “No momento, no Brasil, sempre tem os canais da onda, acho que o momento é delas. Todos os youtubers que eu converso estão falando dos bordões, da qualidade do produto que elas fornecem”, pontua.   

Confira as datas e as cidades da peça “Tudo bacana”

Florianópolis, 6 e 7/5, Teatro Pedro Ivo, esgotado
Itajaí, 13/5, Teatro Municipal, a partir de R$ 60
Joinvillle, 11/6, Teatro da Liga, R$ 80
Blumenau, 18/6, Teatro Carlos Gomes, R$ 60
São Paulo, 27 e 28/5 e 3 (único dia com ingressos) e 4/6,Teatro Gazeta, R$ 40
Curitiba, 1 e 2/7, Teatro Bom Jesus, R$ 80
Salvador, 8 e 9/7, Teatro ISBA, R$ 40
Porto Alegre, 15/7, Teatro Amrigs, R$ 80
Caxias do Sul, 16/7, Teatro Murialdo, R$ 60
Maringá, 29/7, Teatro Marista
Londrina, 90/7, Teatro Marista
Brasília, 5/8, Teatro Royal Tulip Brasília Alvorada
Goiânia, 6/8, Teatro da PUC, esgotado
Fortaleza, 12 e 13/8, Teatro do Shopping Via Sul
Belo Horizonte, 20/8, Teatro Brasil Vallorec, esgotado

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade