Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Três artistas abrem exposições em Florianópolis esta semana

Pati Peccin e Juliana Stringhini trazem suas obras para o Centro, e Silvana Macêdo apresenta o trabalho no Mis/CIC

Redação ND
Florianópolis
02/08/2018 às 13H05

Nesta semana três exposições de arte abrem em Florianópolis. Na quinta-feira (2), Pati Peccin apresenta pela segunda vez o projeto “Universo das Coisas Incontáveis”, na sala Martinho de Haro do Palácio Cruz e Sousa. No mesmo dia “Intraduzível”, de Silvana Macêdo, abre às 19h, no Mis (Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina). Já no sábado, a fotógrafa Juliana Stringhini expõe “Transborda”, no Mesc.

Pati Peccin usa o princípio da composição em colagens que exibe no Palácio Cruz e Sousa - Marco Santiago/ND
Pati Peccin usa o princípio da composição em colagens que exibe no Palácio Cruz e Sousa - Marco Santiago/ND


Os trabalhos de “Universo das Coisas Incontáveis” surgiram no ano passado, e foram expostos pela primeira vez no Tralharia Bar, e no início desta ano nas cidade de Joaçaba e Jaraguá, pelo edital do Sesc Galerias.

A exposição é composta por uma série de colagens que destacam os princípios de composição e exploram o poder expressivo dos personagens, que são criados a partir de imagens de objetos cotidianos, tralhas e antiguidades. “Tenho uma relação forte com objetos desde São Paulo [onde trabalhou no final da década de 1990), sempre tive esse affair por eles. Eu brincava que eles tinham vida própria, porque a gente perde e do nada eles aparecem”, diz Pati. 

As obras são narrativas poéticas e criam uma literatura subjetiva, com textos datilografados e recortados. A artista desenvolve a linguagem artística há pelo menos 10 anos e explora o hibridismo de técnicas e a pesquisa de materiais, utilizando imagens de livros de ciências, de desenhos técnicos e revistas, interferindo com tinta, bordado e desenho, para criar criaturas com uma força simbólica futurista. As imagens utilizadas na exposição vem, por exemplo, de revistas alemãs de moda das décadas de 1930 e 1940.

Apesar do trabalho já ter sido exibido outras duas vezes, segundo Pati, ele é sempre inédito, porque amadurece com o tempo e de acordo com o espaço que é apresentado. Para a curadora Lela Martorano, a artista questiona a relação com os objetos do cotidiano como se fossem extensões do corpo. 

Silvana Macêdo e finlandesa

“Intraduzível”, de Silvana Macêdo, é resultado do prêmio Elisabete Anderle do ano passado onde a artista propõe um estudo da sua obra em diferentes períodos, de 1997 até 2017. 

Mostra de Silvana Macêdo é resultado do prêmio Elisabete Anderle do ano passado - Divulgação/ND
Mostra de Silvana Macêdo é resultado do prêmio Elisabete Anderle do ano passado - Divulgação/ND


A mostra, que tem curadoria de Juliana Crispe, traz trabalhos inéditos no Brasil criados em colaboração com a artista finlandesa Henna Asikainen, o compositor Frederico Macêdo e o astrofísico iraniano Reza Tavakol. A abertura prevê uma conversa com as artistas Henna Asikainen e Silvana e a curadora. 

Henna estará no Brasil para a abertura, porque a exposição celebra os 20 anos de parceria artística com Silvana. Do montante desse período, elas atuaram por dez anos sem criar nada fora dessa colaboração exclusiva. Asikainen & Macêdo tornou-se uma marca associada a ações artísticas colaborativas, ambientais e sociais. No resultado formal de suas pesquisas, ambas misturam biografias e paisagens de países muito distintos, a Finlândia e o Brasil. Nessa constelação de motivos, a mostra assume um caráter retrospectivo. 

A exposição permite conhecer trabalhos realizados no Reino Unido, onde Silvana Macêdo estudou na Northumbria University, Newcastle. Voltada aos multimeios, ela investiga a complexa relação entre arte, ciência e natureza. Nascida em Goiânia em 1966, moradora de Florianópolis desde 2004, onde atua como professora da Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina).

A exposição agrega ações que apostam na aprendizagem, na troca de experiências, no encontro e em discussões. Paralelo à mostra, ocorrerão atividades gratuitas para que jovens e adultos possam vivenciar a proposta artística de forma mais ampla. 

Imagens de desconhecidos

A fotógrafa Juliana Stringhini expõe “Transborda”, no Mesc, no Centro da cidade. Ela buscou fotografar a natureza humana abordando desconhecidos em ruas e praças do Brasil e da América Latina. A revelação desta viagem interior resultou na exposição já passou por Joinville e agora permanece na Capital o dia 30. 

“Sempre me interessei em ver e tentar revelar, através de uma imagem ou vídeo, esses momentos mais humanos e verdadeiros que todos vivenciamos. Acredito que, no momento de transbordamento, somos mais crus, estamos mais vivos e presentes. E poder captar isso no outro e ser testemunha desse processo foi muito interessante”, revela a artista, que registrou mais de 400 histórias em dois anos de processo de criação. 

Sem máscaras ou filtros, habituais em tempos de exposição midiática pessoal, cada um de seus personagens revelou-se a partir de uma aproximação espontânea e natural. Inicialmente, foram indicações, mas depois Juliana foi às ruas para convidar as pessoas. 

No Mesc, Juliana Stringhini mergulha em personagens - Juliana Stringhini/Divulgação/ND
No Mesc, Juliana Stringhini mergulha em personagens - Juliana Stringhini/Divulgação/ND


Nas fotos e vídeos há histórias sobre amor, ódio, arte, família e morte. Além do resultado da exposição, a experiência deste compartilhamento de sentimentos foi intensa e, segundo Juliana, marcada por sua própria exaustão emocional. Para a artista, esta troca a levou a se questionar sobre seu próprio transbordamento, saindo da obviedade escondida das relações superficiais. 

Serviço

O quê: “Transborda”
Quando: 4/8 a 30/8, de segunda a sexta, das 13h às 19h, sábado, das 10h às 16h
Onde: Museu da Escola Catarinense – Mesc, rua Saldanha Marinho, 196, Centro, Florianópolis
Quanto: gratuita 

O que: “Universo das Coisas Incontáveis”
Onde: Museu Histórico de Santa Catarina / Palácio Cruz e Sousa, Praça 15 de Novembro, Centro, Florianópolis
Quando: abertura 2/8,19h. Visitação até 9/10, de segunda a sexta, das 10h às 18h, sábado, domingos e feriados, das10h às 16h
Quanto: R$ 5 e R$ 2 (meia)

O quê: “Intraduzível”
Quando: abertura 2/8, 19h
Onde: Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina, av. Gov. Irineu Bornhausen, 5.600, Agronômica, Florianópolis, tel.: 3664-2555
Quanto: gratuito

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade