Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Santo Antônio de Lisboa ganha café-teatro que visa valorizar o artista local

A abertura é nesta terça-feira (14), com o lançamento do acervo digital do médico Waldemar da Silva Neto

Karin Barros
Florianópolis
10/11/2017 às 11H54

A alta temporada em Florianópolis terá um novo espaço multicultural. Abre na próxima terça-feira (14), véspera de feriado, o Café e Bistrô Nau Catarineta e o Teatro Baccus Cavea (Plateia de Baco em grego) em Santo Antônio de Lisboa.

A artista Luiza Lorenz tocará o Nau Catarineta, espaço ligado à tradição da Casa Açoriana - Daniel Queiroz/ND
A artista Luiza Lorenz tocará o Nau Catarineta, espaço ligado à tradição da Casa Açoriana - Daniel Queiroz/ND


Sob comando de Luiza Lorenz, 37, filha da artista plástica Jandira Lorenz e do ativista cultural João Otávio Neves Filho (Janga), o projeto tem a proposta de descentralizar as atividades culturais da cidade e trazer mais uma alternativa aos turistas e moradores do bairro. No local, localizado nos fundos da tradicional Casa Açoriana, funcionava um restaurante e com o ponto livre, Luiza, que também é atriz, viu o espaço como uma oportunidade de se expressar e dar vez a outras artes além das visuais já trabalhadas na Casa. “Quando eu era pequena, nesse lugar funcionavam as escolinhas de arte, e eu fiz parte disso como aluna junto à comunidade. Eu vi a transformação das pessoas com a ajuda da arte. Vi como um espaço pode transformar uma comunidade, e eu não abro mão desse propósito”, coloca ela.

A abertura do projeto será com o lançamento do acervo digital do médico Waldemar da Silva Neto, sob curadoria e pesquisa de Zé Rafael Mamigomian. O “Acervo Caruso” trata-se de fotos e áudios de manifestações culturais do interior das comunidades de Florianópolis desde a década de 1970. “Ainda é uma forma bruta, mas muito gostosa de ser mostrada e compartilhada, e agora passamos a querer criar coisas a partir dele”, afirma Luiza.

Em janeiro, entra em funcionamento o teatro. A estreia será feita pela Cia Aérea de Teatro e as peças “Cascaes – O homem de argila”, com codireção do grupo argentino Périplo Cia Teatro e financiamento do Edital Elisabete Anderle, e uma sobre o poeta Cruz e Sousa. O local também servirá como sede da Cia Aérea de Teatro na Capital. “Sentimos a necessidade de ter um espaço nosso, porque não dá para ficar fazendo temporada nos teatros daqui, eles não foram feitos para a gente”, diz.

Os trabalhos vêm ao encontro ao que já é feito na Casa Açoriana, onde se valoriza o artista popular e o artesanato local, que muitas vezes não têm suas obras expostas e preservadas. “Estamos nos preparando para a alta e baixa temporada, mas estamos em um lugar que hoje em dia já tem um fluxo natural de turistas que tem interesse em um lugar histórico, um bairro de resistência cultural, algo muito implantado pelo meu pai”, reflete Luiza.

A ideia da empreendedora é trazer também recitais de poesia, teatro de sombras, música ao vivo, oficinas e cursos de arte, incluindo um com sua mãe, que foi professora da Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina), e um jardim cultural, chamado Cruz e Sousa.

Já o café começou a funcionar há cerca de um mês, e, para Luiza, é o coração do espaço, sob comando da chef Cristina Viviani, do bairro Cacupé. “Eu entro agora [no bairro] com toda essa história pregressa, de também ser uma apaixonada pela cultura popular, mas de ter escolhido o teatro como forma de expressão e ter uma certa história como produtora, que me ajuda em diversos pontos”, finaliza.

Serviço
O quê: Nau Catarineta Café-Theatro
Quando: abertura 14/11
Onde: rua Cônego Serpa, 30, Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade