Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Rodrigo de Haro lança dois novos livros de poemas

As obras, embaladas em uma caixa-presente pela Editora da UFSC, serão apresentadas nesta terça-feira (20) na Fundação Badesc, na Capital

Pedro Santos
Florianópolis
Cristianoa Andujar
O artista e poeta lança "Espelho dos Melodramas" e "Folias do Ornitorrinco"

O artista Rodrigo de Haro não para de criar. Enquanto pinta grandes telas em sua casa-atelier, na Lagoa da Conceição, ele escreve poemas narrativos e reflexivos como os que estão presentes nos dois livros que serão lançados na noite de hoje, na Fundação Cultural Badesc, Centro de Florianópolis.

“Espelho dos Melodramas” e “Folias do Ornitorrinco”, lançados pela Editora UFSC, integram uma edição de luxo, embalados em uma espécie de box-presente que a editora preparou especialmente para as vésperas do Natal.

“Em ‘Folias Ornitorrinco’ eu optei por poemas mais sintéticos, de reflexão. Já ‘Espelho dos Melodramas’ são poemas mais narrativos, ligados ao drama por tratar dos movimentos violentos do espírito. São livros diferentes compostos pelo mesmo homem”, explica o autor.

O filho do pintor Martinho de Haro é um raro exemplo de alguém que transita comodamente por diversas modalidades artísticas, da poesia às artes plásticas, passado pelo conto, ensaio e novela. “O mundo é um laboratório mágico. O som e a palavra começam na alma. Tudo é poesia, é arte”, destaca.

Da infância vivida em São Joaquim e do contato com o pai, o artista afirma ter herdado a simplicidade, um atributo que ele julga fundamental na hora de escrever poemas. “Eu guardo de meu pai a tradição do trabalho e, sobretudo, a simplicidade. É algo fundamental para o operário que sou”, observa. “E para mim, a poesia é o som da voz do mundo em que eu vivo.”

Aos 72 anos, Rodrigo de Haro não tem problemas em assumir a pretensão da arte em religar o cotidiano das pessoas com certa energia vital, cósmica, que faz parte de todos os seres. Algo que, para ele, é a razão de seguir trabalhando com arte. “A poesia é como a religião. Ambas tentam religar o homem com algo que está perdido entre nós. Quando consegue, é a maior contribuição que a arte pode ter.”

Caramujo

Ninguém viajou tanto
Tuas vozes remotas
como decifrá-las?

Cálcio e volutas,
sopro de mil bocas,
ninguém viajou tanto

Frisado, atento
caramujo – tuas vozes
remotas.

Serviço

O quê: Lançamento dos livros “Espelho dos Melodramas” e “Folias do Ornitorrinco”, de Rodrigo de Haro
Quando: 20/12, 19h30
Onde: Fundação Cultural Badesc, rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis, tel.:3224-8846
Quanto: Gratuito

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade