Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Restaurante em Florianópolis serve a típica culinária peruana

Entre os pratos que mais saem estão os clássicos ceviche e lomo saltado

Karin Barros
Florianópolis
Flávio Tin/ND
Lomo saltado. Cubos de filé mignon salteados com cebola roxa, tomate e tiras de pimenta amarela. Acompanha arroz branco e batatas rústicas

 

Falar de comida peruana e não pensar em provar um bom ceviche não faz muito sentido. O tradicional prato leva fatias de peixe e frutos do mar marinados em creme à base de três tipos de pimentas peruanas, além de suco de limão, cebola roxa, coentro, acompanhados de batata doce glaciada e pipoca andina. A especialidade pode ser encontrada no restaurante Sabor Peru, na Lagoa da Conceição, e em Coqueiros.

Para a proprietária Elaine Cristina Bispo, o diferencial do prato clássico para os feitos em outros locais da Capital, como as casas de sushi, é o uso das pimentas e do Leche de Tigre - um caldo de peixe com suco de limão. Rico em sabor e refrescância, o ceviche está entre os mais pedidos do local, junto ao Lomo Saltado, outra especialidade do país latino.

O prato, que dessa vez leva cubos filé mignon, é básico na mesa dos peruanos, e traz também cebola roxa, tomate e tiras de pimenta amarela, acompanhados de arroz branco e batatas rústicas. O país também tem bebida típica, que é a base pisco, um destilado de uva, a bebida nacional do Peru. “O pisco está para o Peru, assim como a cachaça está para o Brasil e a tequila para o México”, brinca Elaine remetendo a uma frase do marido peruano. O teor alcoólico do Pisco é de 43%. Na sede de Coqueiros, há o primeiro Piscobar do Brasil, com dois bartenders peruanos.

Segundo Elaine, as pimentas peruanas e o milho andino não podem faltar nos pratos. “Tem três coisas que o brasileiro não está habituado: tivemos que medir a pimenta, porque se você pedir um ceviche à la peruana, ele vem com bastante pimenta e coentro, e os nossos cozinheiros não abrem mão de fazer o prato como é feito no país deles – todos são peruanos. O cominho também é bem usado na gastronomia do país”, explica a proprietária, salientando que também não é possível mudar muito os pratos para não descaracterizá-los. 

Como sobremesa, o Sabor Peru sugere o suspiro limeño, natural da capital, Lima, que leva doce de leite caseiro, baunilha coberto com merengue à base de vinho do Porto, levemente torrado no maçarico.

Flávio Tin/ND
Ceviches. Peixes e frutos do mar são marinados em molho de três pimentas peruanas

 

Tudo sobre o Peru

A ideia de abrir um empreendimento voltado a comida do Peru tem inspiração no marido de Elaine, o também proprietário Bernardo Mayer, que é natural daquele país. “Somos apaixonados pela comida peruana, e temos um contato constante com o povo de lá”, explica Elaine, paulista moradora da Capital há dois anos.

Completando um ano de existência, o restaurante contrata exclusivamente cozinheiros peruanos, além do chefe, Jorge Villalobos, que também é do país. Eles concedem cursos constantemente para os contratados da cozinha, e também oferecem cursos com inscrições para a comunidade com os próprios cozinheiros lecionando.

Os garçons contratados precisam entender da comida do Peru para explicar ao cliente. “Estamos organizando um guia do Peru para trazer junto ao menu para o clientes, porque constantemente eles nos procuram para pegar dicas sobre viagens para lá”, diz Elaine. O ambiente com 18 mesas, todo caracterizado, remete ao Peru com a música ambiente, as cores e chapéus tradicionais.

Flávio Tin/ND
Sobremesa. Para finalizar, o suspiro limeño, leva doce de leite, baunilha e merengue à base de vinho do Porto

 

Serviço:

Onde: Sabor Peru, avenida Afonso Delambert, Lagoa da Conceição, Florianópolis/Avenida desembargador Pedro Silva, Coqueiros, Florianópolis
Quando: de segunda a segunda, menos terça-feira, das 17h às 0h

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade