Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Pub alemão surpreende com cardápio típico de comidas e bebidas em São Pedro de Alcântara

O Die Kleine Kneipe Weisskopf, que significa Pequena Adega do Cabeça Branca, existe há três anos e atrai visitantes de todo o Estado

Karin Barros
Florianópolis
Eduardo Valente/ND
Mário Müller tem o pub alemão há três anos


“Cinco foram convidados
vieram dez
botei água na sopa
sejam todos bem-vindos.”

No Brasil o ditado popular seria citando o feijão, mas nesse caso, a frase está escrita em alemão e em um grande cartaz na entrada da cozinha do Die Kleine Kneipe Weisskopf (Pequena Adega do Cabeça Branca), a taverna ou pub alemão, localizado em São Pedro de Alcântara, e único do estilo no Estado. O ditado é famoso na Alemanha e pode ser encontrado em panos de prato, bordado a ponto cruz. Mário Müller, 50, nascido em Piratuba, e dono do estabelecimento, é um apaixonado pela cultura alemã, mas principalmente pela gastronomia.

No cardápio do pub, ele traz 25 pratos salgados com nomes que só ele ou algum descendente bem próximo da língua conseguem pronunciar. Em sua maioria, eles levam a famosa lingüiça alemã, que pode ser a Bockwurst, a vermelha, ou a Weisswurst, a branca, e, claro, batata. Os pratos variam de acordo com a estação do ano, e são comprados de indústrias de Itapiranga e Indaial. “Bem no começo, eu tinha um pouco de receio, e aliviei bastante os pratos, com apenas toques do alemão e porções mais leves. Mas to sentindo que não, os visitantes querem a comida forte e pesada da culinária germânica”, explica.

Atualmente, ele serve seis comidas diferentes. Dois pratos doces tradicionais fecham o cardápio. A carta de bebidas do pub é curta, mas de requinte, com cervejas premiadas, e o refrigerante Pureza, que seo Mario inclui por ser uma bebida de catarinenses também com descendência alemã. Os preços variam de R$ 6,50 a R$ 31,50.

O pub do seo Mário não serve os clientes no estilo restaurante, por isso não tem entradas, mas tem pratos como Durchschnitt Weisskopf, que é uma tábua de frios com linguiça, lombo, azeitona, pepino, queijo e mostarda - outro acompanhamento sempre presente nos pratos alemães. Por meio do Currywurst, o pub surpreende o visitante com a batata frita, que a princípio seria uma comida tradicionalmente americana, mas que faz sucesso em Berlim, capital alemã, e com o curry, tempero que também não é alemão, mas caiu no gosto deles, segundo o empresário. “É feito um molho de curry e jogado em cima das linguiças, e acompanha a batata frita, que foi minha redenção. Eu tinha medo de usá-la, porque não via muito no Brasil nos pratos alemães, mas indo até Berlim em 2013, vi que ela existe sim no cardápio deles”, conta.

Mário garante que o Buckwurst mit Sauerkraut é certeza de saciedade por 24 horas. O prato leva os dois tipos de linguiça da casa, o chucrute a moda do chefe e mostardas. Para ele, a comida alemã é muito forte, porque quando os imigrantes chegaram ao Brasil especialmente, eles eram muito pobres e o trabalho muito pesado, então eles comiam bem pela manhã, iam pra roça, e só voltavam a noite. A comida precisava sustentar o dia difícil deles.

Carta premiada 

Ir até a Alemanha e não provar suas cervejas é como não ir, e o mesmo acontece no Die Kleine Kneipe Weisskopf. Na bomba, o pub tem sempre dois tipos de cervejas: uma que nunca sai do barril, a pilsen. Ela tem a melhor nota do festival de cervejas artesanais de Blumenau, segundo Mário. A Schwarz, cerveja escura, que é servida mais no inverno, ganhou medalha de bronze da America no Chile este ano. A Weizen, de trigo, é servida quando está menos frio, e é medalha de ouro também no festival da capital catarinense da Oktoberfest.

Em garrafas, ele apresenta os mesmos tipos de cervejas e outras opções mais caras. O pub também oferece marca catarinense de cerveja belga, além de bebidas quentes. 

Respeito pela tradição

Mário é neto de um alemão legítimo, que entrou no país pelo Rio Grande do Sul, e começou a povoar o Estado. Seu avô foi fundador da cidade de Piratuba, no Oeste de Santa Catarina, na década de 1960. Apesar disso, Mário não via na cidade natal chances de crescimento.

Sempre envolvido com a cultura alemã, passando a ser membro da Sociedade Alemã de Florianópolis, começou a fazer o tradicional chopp em metro e se especializou em decoração alemã para festas. “Fui criando um acervo, e isso virou meu mundo, não consegui mais sair disso. É um gostar muito grande. Um respeito muito grande, não dá pra explicar”, diz ele sobre a descoberta do caminho a seguir e da criação do pub. 

Serviço

O quê:  Die Kleine Kneipe Weisskopf
Quando: quinta e sexta, das 17h30 a 0h, e sábado, das 13h a 0h
Onde: rua João Carlos Clasen, 197, São Pedro de Alcântara (em frente a igreja)

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade