Publicidade
Domingo, 18 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Polpetone: de origem e tradição italiana, preparado de carne moída pode ter recheios variados

Natural de Roma, o chef italiano Riccardo Rosati explica que as diferenças entre o polpetone e a polpeta, conhecida no Brasil como almôndega, estão no formato e no recheio

Marciano Diogo
Florianópolis
Rosane Lima/ND
Assado durante cerca de uma hora, o polpetone traz a carne moída misturada com temperos como alho, sal, pimenta, azeite de oliva, alecrim e salsa.


Um simples preparado de carne que conquistou o paladar mundial. Prato tradicional na Itália, o polpetone é um bolo feito com carne moída bovina e suína. Habitualmente servido com algum acompanhamento, como massa ou batata, o polpetone é recheado e preparado com temperos e especiarias, além de farinha de trigo ou farelos de pão, que dão o sabor e consistência ao prato. “O formato também traz certa atratividade ao prato. O polpetone pode trazer diferentes sabores, dependendo do que é misturada à carne moída. É adorado na Itália, faz parte da cultura do país”, conta o chef italiano Riccardo Rosati, 40, proprietário do bistrô Mangiafuoco, localizado no Norte da Ilha de Santa Catarina.

Natural de Roma, o chef italiano explica que as diferenças entre o polpetone e a polpeta, conhecida no Brasil como almôndega, estão no formato e no recheio. “As polpetas são menores, redondas, e não levam nenhum recheio. Já o polpetone é maior, cilíndrico, e traz algum recheio, seja o ovo ou queijo parmesão derretido”, esclarece Riccardo. Quanto ao preparo, o chef conta que as polpetas são normalmente cozidas ou fritas, enquanto o polpetone é assado: “a forma de cozimento varia. E o molho também faz a diferença. Eu uso a receita da minha avó e asso o prato com vinho branco, que provoca ainda mais o contraste de sabores”.

Assado durante cerca de uma hora, o polpetone traz a carne moída misturada com temperos como alho, sal, pimenta, azeite de oliva, alecrim e salsa. Também pode ser servido com algum molho, como o ragu à bolonhesa. “Não é preciso necessariamente acrescentar trigo na carne moída para dar consistência. Se você prepará-la com cerca de 12 horas de antecedência e deixá-la em refrigeração, o prato ganha textura e fica mais encorpado”, observa Riccardo Rosati.

Quanto às variações nos sabores do polpetone, dependem de seu recheio. O chef Riccardo conta que pode levar ovo, presunto, pinoles, uvas passas e noz moscada, entre outros ingredientes. “Também pode ser servido de maneiras diferentes, como por exemplo, no formato, que pode ser achatado ou cilíndrico. Em algumas regiões da Itália são servidos com molho e em outras até mesmo no espeto”, explica o cozinheiro italiano.

Rosane Lima/ND
Da Itália para o Brasil: chef Riccardo Rosati usa a receita da avó e assa o prato com vinho branco


Confira uma receita de preparo do polpetone:

500 g de carne bovina moída
100 g de carne suína moída
100 g de farelo de pão ou farinha de trigo
100 g de queijo parmesão ou 4 ovos cozidos
1 dente de alho picado
½ xícara de salsa e alecrim
50 ml de azeite de oliva
Sal e pimenta a gosto

Misture as carnes moídas e temperos, separando o queijo ou o ovo. Após a mistura, corte o queijo ou o ovo em pedaços pequenos, e os envolva do preparado de carne, dando a forma que for de sua preferência. Leve o prato ao forno durante 60 minutos e faça a redução do alimento com vinho branco, acrescentando um pouco da bebida algumas vezes durante o cozimento.

Mangiafuoco Bistrô Italiano, rua Mario Lacombe, 617, Canavieiras, Florianópolis, tel. 48 3206-9310

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade