Publicidade
Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Polenteria em Coqueiros oferece imersão em pratos originalmente italianos

A Oro Giallo, que abriu há 11 meses, tem como carro chefe a polenta com cordeiro

Karin Barros
Florianópolis
Flavio Tin/ND
Polenta com cordeiro é o carro-chefe da casa de Coqueiros


Na Itália diferente do que a maioria pensa, não é tão fácil assim encontrar uma boa polenta em qual quer esquina. Diferente da macarronada ou da pizza, no país europeu é preciso ser inverno e “subir montanhas” para se deliciar em uma polenteria. O prato ganhou fama no tempo na guerra, em que os soldados não tinham dinheiro para a comida, e a polenta, que era algo barato, era responsável por dar sustento aos guerrilheiros.

Em Coqueiros, na parte continental de Florianópolis, há 11 meses, moradores podem conferir um pouco dessa história e desse sabor no Oro Giallo Polenteria – que significa ouro amarelo -, nome que referência o prato, considerado pelos soldados o “ouro” da época. Criado pela gaúcha Sandra de Souza Pimenta, 48, e o chefe italiano, nascido na Calábria, Pietro Prestia, 50, o local é inspirado nos restaurantes italianos, que primam pelo sabor da comida. Sem uma grande fachada e estacionamento, de acordo com Sandra, para os italianos o importante é a boa gastronomia mediterrânea, que tradicionalmente não é carregada de tempero.

Flavio Tin/ND
Polenta com provolone e geleia de damasco são servidas de entrada


A inspiração surgiu entre 2008 e 2012, quando o casal morou na Itália e conheceu um restaurante na cidade de Bérgamo, no estilo “sorveteria de polentas”. “No começo achamos uma loucura abrir uma polenteria em uma praia, mas acabamos adaptando os pratos”, diz Sandra, citando a polenta com camarão, uma versão feita exclusivamente para Florianópolis.

No Oro Giallo, o cliente tem uma imersão na gastronomia italiana, a começar pelos produtos vindos diretos do país de origem, como a polenta de milho, óleo de oliva, tomates, queijo, risoto, massa, trufas com queijo e patê de azeitonas pretas. Desde as entradas é possível degustar tipos diferentes e saborosos da polenta tipo bramata, com grãos mais grossos, como a polenta na chapa com queijo provolone e geleia de damasco, ou as brusquetas com pães e molhos de berinjela, caponata ou pimentão, todos feitos na cozinha da casa, tradição também trazida da Itália. O carro chefe do restaurante é a polenta com cordeiro, que custa R$ 60 por pessoa. Os pratos variam entre R$ 35 (criança) e R$ 65 (com bacalhau).

Receita de família

Flavio Tin/ND
Sandra e o chefe italiano Pietro abriram o Oro Giallo há 11 meses


Por ser diferente da polenta ao qual o brasileiro está acostumado, a mistura é feita em uma máquina específica para polentas, vinda da Itália, em que o chefe Pietro coloca apenas água e sal, e a massa sai cremosa “como um chopp” em 1h20 de processo, podendo ficar até dez horas na máquina.  “O procedimento é simples, é só colocar um pouco de amor que tudo funciona. Temos uma cozinha bem tradicional, nada muito sofisticado”, salienta.

O Oro Giallo oferece ainda opções de pratos veganos, vegetarianos, saladas para dois e pratos para crianças com bife a milanesa com receita de Milão, além de trocar a polenta por batata, caso seja a preferência do cliente. Risotos italianos também são feitos na casa, na hora, como também a parmegiana clássica do país, que, ao invés de usar carne, é com berinjela empanada, queijo e molho. Segundo o chefe, pratos como esses são de receitas de família, e não se encontra em restaurantes badalados da Itália. No espaço há uma adega com 50 rótulos, sempre indicados para sempre apreciados com os pratos quentes. Para sobremesa, mais um prato tradicional, o tiramisù com nata.

Serviço

O quê: Oro Giallo Polenteria
Onde: rua Desembargador Pedro Silva, 2.765, Coqueiros, Fpolis
Quando: de terça a sexta, das 19h às 23h30; sábado, das 12h às 16h, e das 19h às 23h30; domingo, das 12h às 16h. Pratos executivos, de segunda a sexta, das 11h às 14h

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade