Publicidade
Domingo, 18 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Peças de teatro quebram o marasmo de janeiro com apresentações em Ingleses

Recém-inaugurado Teatro Dionísio recebe "A Vida Como ela é" e "Garota da Capa" no fim desta semana

Carolina Moura
Florianópolis

Divulgação
Andréa Padilha faz humor sem texto em "Garota da Capa", em cartaz no domingo (13)

No marasmo cultural de janeiro, a programação de peças no Teatro Dionísio no fim desta semana é um oásis. Na quinta, sexta e sábado o grupo Teatro Sim... Por Que Não?!!! apresenta “A Vida Como ela é”, baseada no texto de Nelson Rodrigues, na nova casa inaugurada no bairro de Ingleses. Segundo Júlio Maurício, produtor do grupo, essa é uma oportunidade para levar as apresentações para mais perto dos turistas, que encontram poucas opções culturais no verão. “Há cerca de 12 anos nós procuramos sempre colocar um espetáculo no TAC (Teatro Álvaro de Carvalho) na época de verão. Esse ano a gente decidiu transferir essa oferta e levar direto na praia, agora que tem um espaço”.

Reunindo cinco histórias, “A Vida Como ela é” trata sobre paixões, traições, dramas e tragédias, em adaptação do gaúcho Luis Artur Nunes, que mora no Rio de Janeiro. Especialista na obra rodrigueana, ele é doutor em teatro pela City University de Nova York e foi convidado pelo grupo para dirigir a peça. Nunes trouxe o foco para o humor das histórias trágicas que são contadas, um elemento que segundo ele só começou a ser reconhecido a partir da década de 80.

A montagem traz o humor presente nos exageros e na histeria dos personagens. A representação também traz elementos da contação de histórias, de forma que os atores alternam as tarefas de interpretar o personagem, narrar, descrever e comentar. Recursos teatrais como máscaras, sombras, quadros vivos, dublagem e atores manipulando outros atores como se fossem bonecos também dão o diferencial à produção.

Esta será a primeira apresentação teatral no Teatro Dionísio, inaugurado em dezembro com concertos da Camerata Florianópolis e do Polyphonia Khorus . “Tomara que outros bairros de Florianópolis, até mais populosos, também venham a ter uma casa como o Dionísio; um teatro equipado e com excelente acústica”, diz Júlio Maurício. A atriz Andréa Padilha, que no momento substitui Berna Santana em “A Vida Como ela é” e que apresenta “Garota da Capa” no domingo, no mesmo teatro, elogia a iniciativa e acredita que há cada vez mais público para ela. “Eu tenho certeza que já existe espaço para atividades artísticas no verão. O turista quer, o próprio morador já se tornou assíduo do teatro. É importante estar atento a isso.”

Ron Lima/Divulgação
"A Vida Como ela é" adapta a obra de Nelson Rodrigues com foco no tragicômico

Garota em silêncio

A peça “Garota da Capa” foi criada pelo diretor John Mowat e pela atriz Andréa Padilha como um solo teatral. A protagonista é uma mulher que vive no mundo das revistas, com mulheres sempre jovens, famosos e celebridades, viagens para lugares exóticos e festas extravagantes. Triste, mas também engraçada, a história mostra o mundo secreto dos sonhos e desejos dessa personagem, com suas memórias do passado e expectativas para o futuro.

Um desafio para a atuação de Andréa e o silêncio. A peça não tem nenhuma fala, e funciona com uma comédia visual, em que a interpretação de Andréa transmite o cômico e o trágico sem usar as palavras. “Essa é uma pesquisa que eu faço há anos, já trabalhei com essa linha no espetáculo ‘De Malas Prontas’. Então procurei um diretor que trabalha esse método a partir da improvisação”, explica ela. No caso de “De Malas Prontas”, ela interagia com a atriz Vanderléia Will em cena, mas desta vez está sozinha no palco. “Eu interajo com personagens da revista, mas eles também não falam. É uma vida solitária, a peça fala de solidão, de amor, de beleza, de sexo, mas com muita comicidade em tudo.”

Andréa tem 23 anos de experiência como atriz, educadora e produtora, e é formada pela Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina). O diretor, John Mowat, nasceu em Londres e começou sua carreira no teatro nos anos 80. Ele já viajou por cerca de 40 países como ator e diretor, e hoje divide seu tempo entre Brasil, Portugal e Inglaterra.

Serviço

O quê: “A Vida Como ela é”, do Teatro Sim... Por Que Não?!!!

Quando: Quinta, sexta e sábado, 21h

Onde: Teatro Dionísio, anexo ao Colégio Santa Terezinha, servidão Safira, 148, Ingleses, Florianópolis

Quanto: R$ 40 (meia R$ 20)

O quê: “Garota da Capa”, de John Mowat e Andréa Padilha

Quando: Domingo, 21h

Onde: Teatro Dionísio, anexo ao Colégio Santa Terezinha, servidão Safira, 148, Ingleses, Florianópolis

Quanto: R$ 40 (meia R$ 20)

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade