Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Peças teatrais "A Paixão de Cristo" devem emocionar milhares de catarinenses nesta Semana Santa

Em Florianópolis ocorrem pelo menos três encenações dos momentos finais da vida de Jesus Cristo

Marciano Diogo
Florianópolis
Marco Santiago/ND
Os Emaús de Florianópolis ensaiam a peça teatral com tema biblíco


Assistir aos últimos acontecimentos da vida do maior profeta da história é uma emoção que a Semana Santa torna possível para muitas pessoas. Encenações da peça “A Paixão de Cristo”, que resume os dias derradeiros vividos por Jesus na terra, incluindo sua morte e ressurreição, devem cativar milhares de catarinenses em apresentações em diferentes regiões do Estado. Em Florianópolis serão pelo menos três delas: uma será exibida pela primeira vez no CIC (Centro Integrado de Cultura), e as outras ocorrem no Centro da cidade e no Ribeirão da Ilha, no Sul da Ilha de Santa Catarina.

“Há seis meses estamos organizando essa apresentação, que já está na 23a edição. Sempre fazíamos no Centro da cidade, mas isso afastava um pouco o público quando chovia, e agora evitaremos esse imprevisto. O objetivo é também evangelizar as pessoas, provocar um momento de oração nesta data que é a mais especial para a Igreja Católica”, afirma Renan Schlickmann, coordenador dos Emaús – movimento nacional que tem como intuito a evangelização da juventude – em Florianópolis.

Os Emaús vão apresentar a peça “A Paixão de Cristo” em duas sessões seguidas no Teatro Ademir Rosa. Os ingressos para a primeira delas estão praticamente esgotados. “Esperamos 900 pessoas para cada apresentação. Temos 50 jovens atores voluntários envolvidos no espetáculo, e pelo menos mais cem pessoas no backstage”, observa Schlickmann, que também é um dos diretores do espetáculo. Tudo o que for arrecadado nos espetáculos será revertido para instituições de caridade.

Outras apresentações da “Paixão de Cristo” na Capital prometem sensibilizar o público. A que acontecerá em frente à Catedral Metropolitana, organizada pelo Movimento Água Viva Jovem, envolverá cerca de 70 pessoas, 30 delas atores voluntários. A encenação ocorre desde 2004 e os coordenadores esperam uma platéia de pelo menos 1.500 pessoas, como nos anos anteriores. “Vamos tentar ao máximo retratar a realidade. O mais difícil no processo de criação foi a composição dos figurinos, que precisam ser daquela época”, afirma Joyce Pereira Marques, organizadora da apresentação.

A mais tradicional encenação da peça “A Paixão de Cristo”, encenada desde 1983 em Florianópolis, também deve juntar um público significativo no Sul da Ilha. Cerca de 5.000 pessoas são esperadas para a apresentação no Ribeirão da Ilha, que envolverá mais de cem atores, entre eles crianças e idosos. “Desde dezembro estamos ensaiando a peça, que terá o diferencial de ser contemporaneizada por cenas atuais que serão exibidas durante o martírio de Jesus. Haverá a cena bíblica e a cena atual na sequência; temos um texto bem atual, que foge do campo religioso”, explica a diretora e roteirista da peça, Marilei Sylva, que há 20 anos organiza “A Paixão de Cristo” no Ribeirão. O enfoque da peça, que também contará com coreografias, será o mesmo da Campanha da Fraternidade deste ano: Igreja e Sociedade.

Divulgação/ND
A peça encenada em Guabiruba, no Vale do Itajaí, é a maior de Santa Catarina


Peças com o tema da Paixão de Cristo serão apresentadas no Vale e Norte do Estado

A maior encenação da peça “A Paixão de Cristo” em Santa Catarina ocorrerá novamente na cidade de Guabiruba, localizada no Vale do Itajaí. O espetáculo “Paixão e Morte de um Homem Livre” envolverá 330 atores voluntários, e esperam-se 4.000 pessoas em cada uma das duas sessões programadas para quarta e quinta-feira. O evento, realizado há 30 anos no município, chega à 20a edição.

“O diferencial é que pela primeira vez a peça será narrada por uma mulher, Maria Madalena. Levamos um ano para finalizar o espetáculo, foi um árduo trabalho de produção, da elaboração do texto à escolha de atores e pesquisa de figurino”, conta o produtor-executivo da montagem, Gilmar José Celva, que também é o superintendente da Fundação Cultural de Guabiruba.

A peça “Paixão e Morte de um Homem Livre”, com duas horas de duração, teve dublagem especial produzida em um estúdio de áudio, porque a apresentação alcança muitas pessoas e não teria como microfonar os atores. O palco onde o espetáculo será encenado mede cem metros e haverá simultaneidade na apresentação das cenas. “Como o palco é extenso, não teremos intervalos para troca de cenários. O jogo de luzes vai dar ritmo à peça”, explica Gilmar Celva. O ator Júlio Rocha interpretará o vilão Herodes.

Na mesma região, outra grande apresentação também espera um público significativo. Em Itajaí, no bairro Cordeiros, a sexta edição do “Teatro da Paixão de Cristo” conta com 80 pessoas envolvidas, 60 delas atores voluntários. “Foram dois meses de ensaios e preparativos. Neste ano a peça terá uma narrativa diferente: será feita por Maria, mãe de Jesus, e pelo discípulo João, que irão conversar e relembrar os fatos bíblicos”, explica a organizadora cênica do espetáculo, Agnes Maria Cardoso. A montagem, que será encenada em dois palcos, também contará com a participação ao vivo do músico Daniel Montero, que canta em parte da trilha sonora da peça.

Na região Norte do Estado também ocorrerão apresentações gratuitas da peça “A Paixão de Cristo”, nas cidades de Jaraguá do Sul e Joinville. Em Joinville os espetáculos foram produzidos por diferentes comunidades e paróquias, como as dos bairro Floresta e Vila Nova.

Florianópolis
“A Paixão de Cristo” encenada pelos Emaús de Florianópolis, 3/4, 17h30 e 20h, no Teatro Ademir Rosa, do CIC. av. Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica, Florianópolis, tel. 3953-2351, R$ 10.

“A Paixão de Cristo” encenada pelo Movimento Água Viva Jovem, 3/4, 17h, escadaria em frente à Igreja Metropolitana de Florianópolis, no Centro Histórico, gratuito.

“A Paixão de Cristo”, encenada por moradores do Ribeirão da Ilha, 3/4, 18h30, na praça da Igreja Matriz Nossa Senhora da Lapa, Ribeirão da Ilha, Florianópolis, gratuito.

Vale do Itajaí
“Paixão e Morte de Um Homem Livre” , 2/4, 19h30, 3/4, 20h30, no pátio da Capela São Cristóvão, bairro Aimoré, Guabiruba, R$ 10, 5 (meia).

 “Teatro da Paixão de Cristo”, 3/4, 18h, na lateral esquerda da Igreja Matriz de Itajaí, praça Governador Irineu Bornhausen, Centro, Itajaí, gratuito.

Norte
“A Paixão de Cristo”, 3/4, 18h30, na Paróquia Nossa Senhora Medianeira, no bairro Vila Nova, Joinville, gratuito.

“A Paixão de Cristo”, 3/4, 19h, na Paróquia Cristo Ressuscitado, no bairro Floresta, Joinville, gratuito.

“A Paixão de Cristo”, 3/4, 19h30, na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no bairro Ilha da Figueira, Jaraguá do Sul, gratuito.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade