Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Os bigodes estão de volta, mais canastrões, sensuais e intimidadores que nunca

Adeus às lâminas - a onda agora é aparar o bigode com a tesourinha!

Carol Macário
Florianópolis
Fernando Mendes / ND
Suber bigodón - O guitarrista Vina da Caverna e seu bigode à la Dom pedro 1º


Faceiros e faciais, os bigodes estão de volta, mais canastrões, sensuais e intimidadores que nunca. Quintessência do tipo macho (ou da Frida Kahlo), o bigode - em seu ciclo de idas e vindas da moda –, despede-se mais uma vez do estigma de cafona, antiquado, coisa de avô, tio, galã mexicano ou do Tom Selleck (ator americano que nunca desistiu dele), para harmonizar a face masculina dos mais desapegados. “I want to break free”, diria o saudoso bigodudo Freddie Mercury. Em Florianópolis, homens descolados que adotaram o estilo garantem que o sucesso com o público feminino é concreto, embora muitas mulheres concordem ser um ponto discutível.

 

Só alegria

O produtor cultural Thiago Skárnio, 32, deixou crescer o bigode meio sem querer, depois de uma falta de tempo devido aos trâmites de uma mudança de casa. “As mulheres começaram a elogiar muito”, conta, e até hoje essa é a única função do tufo capilar acima dos lábios.  “Foi só alegria. Minha namorada vê fotos antigas e constata a melhoria”, diz. Hoje seu bigode já está prestes a comemorar aniversário de dois anos.

 

Fernando Mendes / ND
Thiago Skárnio - Só alegria depois de dois anos com bigode

 

À la Dom Pedro I

O guitarrista Vinícius Neves Zimmermann, 30, o Vina da Caverna, é roqueiro mas faz um tipo galã vitoriano, um quê de Dom Pedro I ou Dom alguma coisa. O longo bigode já forma um pequeno arabesco nos extremos e se liga com a bem crescida costeleta. Segue um ritual antes de cada refeição, de alisar os pelos para cima evitando o contato com qualquer resíduo alimentar que possa deixar vestígios. Vina chegou a ter uma barba de dez centímetros, mas agora aposta no seu bigodón. “Foi desafiador, porque eu também tinha preconceito, achava cafona”, diz. Mas aí lembrou roqueiros clássicos bigodudos que nunca deixaram de fazer sucesso. Todos os Beatles, por exemplo, tiveram sua fase bigoduda. “É claro que chama mais atenção. Por ser músico tem sempre o assédio feminino e as meninas gostam”, constata. Os cuidados são simples. No banho, na hora de lavar os longos cabelos, capricha na dose do xampu para amaciar também os pelos do rosto.

Bigode tipo piscina

Guilherme Dalpasquale, 22, estudante de publicidade, vai repetir neste verão seu grande trunfo do ano passado. Com um bigode tipo piscina – aquele que se vê o fundo, Dalpasquale afirma que o novo estilo surtiu efeitos concretos com as mulheres. Sua barba é rala e cresce devagarzinho, uma longa espera de quase um mês para o dito cujo aparecer. Fazendo um tipo “canalha”, o estudante brinca que deixou crescer bigode porque gosta de cultura mexicana.

 

Rosane Lima / ND
Guilherme Dalpasquale - Bigode tipo piscina, aquele que se pode ver o fundo

 

Salvador Dalí

Krystopher Andrade, 24, estudante de cinema, deixou um bigodinho no ano passado, para participar de uma competição de bigodes realizada pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). Não cresceu a tempo do campeonato, mas assim mesmo adotou o estilo e arrumou até uma namorada. “Ela já me viu uma vez sem e diz que prefere, mas eu gosto com”, comenta. Até pouco tempo, seu bigode de tão crescido fazia voltas, um quase Salvador Dalí. “Cortei porque chamava muito atenção, as pessoas chegavam até a apontar pra mim na rua”, lembra.

 

Rosane Lima / ND
Krystopher de Andrade e seu bigode tipo canastrão

 

Tem quem goste, tem que não

O músico Jean Mafra, 34, adota múltiplos estilos, às vezes com bigode, às vezes sem. “A primeira vez que deixei foi para tirar uma onda, e depois gostei”, conta. Sua mulher é contra, por isso intercala suas investidas capilares. “Tem gente que gosta, tem gente que não. Mas já notei que mulheres acima dos 30 gostam e comentam mais”, revela.

Famosos e bigodes

Na extensa lista de famosos bigodudos figuram ilustres políticos e líderes, portadores de miríades de diferentes intenções e propósitos, como Hitler, Stalin, Gandhi. Abundam exemplos também no showbiz. Galãs de novelas e filmes, como Charles Bronson e seu impecável bigodão e o unânime personagem de Lima Duarte, o inesquecível Sassa Mutema. Insolente, o artista espanhol Salvador Dalí usava e abusava de sua finíssima linha acima dos lábios.

Dick Vigarista, Belchior,Brad Pitt, Chaplin, todos se renderam ao charme Del bigodón.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade