Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

O Grande Circo Místico vai representar o Brasil na disputa pelo Oscar

Filme conta a história de cinco gerações de uma família proprietária de um circo a partir do olhar de Celavi, um mestre de cerimônias que não envelhece

Agência Brasil
São Paulo (SP)
11/09/2018 às 19H38

O filme O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues, foi anunciado hoje (11) como representante brasileiro na disputa pelo Oscar. Entre os pontos fortes da produção apontados pela comissão de seleção estão a força poética e a presença da música brasileira. “O mundo está precisando de um pouco de poesia, de um pouco de magia”, enfatizou a presidente do grupo, Lucy Barreto. O longa-metragem foi escolhido entre 23 possíveis candidatos.

O Grande Circo Místico - TV Brasil/Agência Brasil
O Grande Circo Místico - TV Brasil/Agência Brasil

O filme conta a história de cinco gerações de uma família proprietária de um circo a partir do olhar de Celavi, um mestre de cerimônias que não envelhece. A narrativa mistura elementos fantásticos com realismo. Estão no elenco os atores Jesuíta Barbosa, Mariana Ximenes, Bruna Linzmeyer, Rafael Lozano, Catherine Mouchet, Antônio Fagundes e Vincent Cassel. O roteiro é uma parceria entre Diegues e George Moura. A Globo Filmes é coprodutora do longa. 

A comissão também destacou que são levados em consideração aspectos como premiações anteriores do filme, repercussão e os critérios do próprio juri do Oscar. O secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, Frederico Mascarenhas, disse que o filme receberá um apoio de R$ 200 mil para fazer a divulgação no exterior e melhorar as chances na competição do Oscar.

O diretor Cacá Diegues foi eleito há pouco mais de uma semana para ocupar a cadeira de número 7 de Academia Brasileira de Letras. Nascido em 19 de maio de 1940, em Maceió, ele é um dos fundadores do Cinema Novo. A maioria dos 18 filmes que realizou foi selecionada por grandes festivais internacionais, como Cannes, Veneza, Berlim, Nova York e Toronto, e exibida comercialmente na Europa, nos Estados Unidos e na América Latina, o que o torna um dos realizadores brasileiros mais conhecidos no mundo.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade