Publicidade
Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Nova plataforma virtual abriga manifestações culturais durante o ano inteiro

Curadores do projeto são responsáveis por festivais de peso no calendário do Rio

Folha de São Paulo
Rio de Janeiro (RJ)
08/08/2018 às 22H27
Riofestiv.al é uma plataforma virtual que vai abrigar manifestações artísticas durante os próximos 12 meses - Reprodução
Riofestiv.al é uma plataforma virtual que vai abrigar manifestações artísticas durante os próximos 12 meses - Reprodução

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS0 - Um evento marcou na noite de terça (7), no Oi Futuro Flamengo, o início do Riofestiv.al, uma plataforma virtual que vai abrigar manifestações artísticas durante os próximos 12 meses. Por todos os andares do prédio, instalações criaram ambientes para que o público assistisse ao vivo o que a partir de agora estará na internet.

Os curadores do projeto são responsáveis por festivais de peso no calendário do Rio: Ailton Franco Jr.(Festival Curta Cinema), Batman Zavarese (Multiplicidade), Bia Junqueira, Cesar Augusto e Márcia Dias (Tempo Festival), Karen Acioly (FIL-RJ), Nayse López (Festival Panorama) e Tânia Pires (Festlip).

Não deixa de ser curioso ver produtores culturais que quebram a cabeça para descobrir como atrair o maior número de visitantes a seus projetos individuais agora reunidos numa iniciativa que leva arte às pessoas sem que elas saiam de casa. A festa no Oi Futuro foi a única atividade presencial no ano inteiro de duração do Riofestiv.al.

As propostas permeiam a discussão do consumo de arte/informação. Batman Zavarese reuniu para seu projeto "Avalanche" 13 artistas que vão fornecer trabalhos inseridos na investigação da exposição compulsiva das pessoas na rede. "Eu mesmo me propus a ficar menos enredado na avalanche de conteúdo, um desafio pessoal que não consegui cumprir", diz o curador à reportagem.

Para explorar uma diversidade de linguagens nesse cenário, ele convidou um grupo de colaboradores nada uniforme, que tem, entre outros, a atriz Camila Morgado, o designer Kenzo Mayama e o músico Marcelo Yuka.

A familiaridade com a superexposição nas redes fica bem clara em "FaceGenerationS". A curadora Karen Acioly coordena 26 adolescentes, a partir de 14 anos, que já demonstraram afeição à produção artística. Cada um vai produzir seu "autorretrato digital", de um minuto, com lançamentos semanais na plataforma.

Bia Junqueira, Cesar Augusto e Márcia Dias são parceiros em dois projetos: "Portal U_topia", uma galeria de trabalhos que associam arte à utopia, e "Esther, o Extraterrestre", uma das facetas mais pop do Riofestiv.al. "Os youtubbers oferecem conteúdos realistas, aparecem ali como eles mesmos, gravando em suas casas", explica Bia. "A gente propôs um youtubber alienígena, um personagem que questiona essa linguagem ultrarrealista do YouTube."

Nayse López cuida de três projetos, com a missão não tão fácil de inserir dança no mundo virtual. Em "Dança Caseira", seis coreógrafos vão protagonizar um reality-show sobre seus trabalhos. "Insta.corpo" vai trazer 12 artistas alimentando diariamente perfis no Instagram. Já "Festival Remoto" se encarregará de transmitir ao vivo espetáculos de dança e teatro dentro e fora do Brasil.

Curadora do Festlip, dedicado à arte em língua portuguesa, Tânia Pires cuida de dois projetos. "Peripécias Poéticas" apresenta interação com atores de países lusófonos que, em tempo real, dividirão a leitura de poesias, exibindo contrastes de seus sotaques e maneiras de entender o texto. E "Conexões Improváveis" exibirá episódios interativos na conexão dos internautas com o grupo português de improviso Os Improváveis.

Já "Curtas Histórias" é totalmente baseado na interatividade. Ailton Franco Jr. chamou cinco diretores que já participam de seu Festival Curta Cinema para que produzissem dez vídeos de 60 segundos, cada um deles inspirado em uma palavra-chave.

No portal riofestiv.al, a pessoa escolhe dez palavras entre as 50 disponíveis e determina a ordem delas. A seguir pode assistir ao vídeo de dez minutos resultante do encadeamento proposto. "Os interessados podem incluir seus próprios vídeos autorais, conectados a palavras-chave", explica Franco Jr. "Em um ano de projeto, esse arquivo vai ser multiplicado."

Fica realmente difícil de prever o tamanho do Riofestiv.al em agosto de 2019.

*O jornalista viajou a convite do RioFestiv.al.

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade