Publicidade
Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

No clima de Batalha dos Confeiteiros, conheça confeiteiras de sucesso em Florianópolis

Na próxima quarta-feira, a RICTV Record estreia o reality "Batalha dos Confeiteiros Brasil", em busca de gerente para a loja paulista de Buddy Valastro

Karin Barros
Florianópolis
02/09/2016 às 01H06
Eduardo Valente/ND
A confeiteira Tathiana Reis é fã de reality show de culinária e de Buddy Valastro, que estreia programa na Record na quarta-feira.

Tendo a cozinha como cenário principal, reality shows relacionados à gastronomia têm atraído milhares de cliques e olhares nos últimos meses. São pelo menos nove programas que envolvem food trucks, confeitarias, cozinha gourmet e infantil que podem ser conferidos nas TVs fechadas e abertas diariamente. 

Assista à time lapse de um bolo sendo produzido

 

 

No dia 30, a RICTV Record entra na disputa pela audiência e estreia a primeira temporada da “Batalha dos Confeiteiros Brasil”. O programa, um formato da Discovery Networks e produzido pela Endemol Shine Brasil, será comandado por Buddy Valastro, mundialmente conhecido como o Cake Boss.

Buddy tem 38 anos e em julho anunciou que abriria a primeira filial da Carlo’s Bakery, confeitaria que administra nos Estados Unidos, em São Paulo. “Esta é a terceira vez que vim ao Brasil, e, desde a primeira vez em que estive aqui, em 2014, os fãs brasileiros fazem eu me sentir em casa. Já viajei para dezenas de países, meus programas são exibidos em cerca de 200 países, e a recepção por aqui tem sido bem marcante”, disse o confeiteiro.

Parte do sucesso dele deve-se às malucas estruturas de bolos que constrói para impressionar seus clientes. Em sua confeitaria, Buddy e sua equipe usam canos de PVC e ferramentas, como furadeiras, por exemplo. Mas antes de tudo isso acontecer em sua vida, e de um simples confeiteiro ele virar uma celebridade, o morador de Nova Jersey também participou de um reality, e não foi o vencedor.

“Foi a partir dessa participação que alguém da produção me falou que eu era carismático e que poderia me dar bem como apresentador de um projeto de confeitaria”, conta. O boom na TV nem ele mesmo sabe explicar. “Nunca imaginaria que em 2015 eu estaria no Brasil gravando um reality show e abriria uma loja. Por outro lado, nunca duvidei do trabalho que realizo. Quando decido fazer algo, eu injeto 100% do meu esforço nesta atividade. Fora isso, posso dizer que o alicerce de todo o meu trabalho é a minha família, que, inclusive, trabalha comigo”, explica Buddy.

O sucesso do Cake Boss é atestado pela também confeiteira Patrícia Goedert, que trabalha com doces há quase 17 anos, e em 2014 abriu um megaempreendimento na SC-401, em Florianópolis. Na última semana ela esteve em Orlando (EUA), para uma feira de confeiteiros. Na oportunidade, assistiu a uma palestra do americano. “Ele é um cara de carisma fantástico e um líder nato”, diz.

Bruno Ropelato/ND
Fã de Buddy Valastro, empresária e confeiteira Patrícia Goedert  conheceu-o semana passada  nos EUA

 

De confeiteira para confeiteiro 

O encontro da confeiteira Patrícia Goedert com Buddy Valastro em Orlando aconteceu de forma inesperada. Muita gente estava na expectativa de vê-lo na CakeFair, feira do setor, mas ela e as filhas tiveram sorte. “Ele nos recebeu de braços abertos, apesar das tantas fotos que ainda tinha que tirar. Disse que adora o Brasil, que adora o trabalho em família”, conta, associando ao caso de sua empresa, onde trabalham as duas filhas e o marido.

Apesar da correria diária que Patrícia vive com a empresa, que comporta cerca de 50 funcionários, no pouco tempo de folga que tem ela opta por prestigiar programas como o de Buddy. “Eu trabalharia uma semana de graça só pra ficar vendo o processo deles ”, conta ela, que sente a curiosidade das pessoas com sua doçaria também. “Na palestra, Buddy diz que ali é o lado glamouroso, mas quando sai para o trabalho, ele volta a ser o confeiteiro que precisa administrar a padaria e ficar de olho nos funcionários”, lembra.

A doceira começou trabalhando com bolos e tortas em casa, quando decidiu organizar uma mostra de noivas em Florianópolis para divulgar o trabalho dela e de colegas da cidade. O negócio deu dão certo que aconteceu sob sua orientação durante dez anos. “Uma característica minha desde quando eu comecei a trabalhar é que se as pessoas fazem assim, eu quero fazer diferente”, conta ela, que estuda e pesquisa constantemente sobre cozinha.

Com a essência voltada totalmente para o artístico, Patrícia precisa ficar sempre antenada à moda para atender seus clientes. Na palestra, a confeiteira lembra que Buddy também falou sobre como estar atento às novidades é necessário para realizar o desejo do cliente: “bolo também é moda, tendência e cor”.

A marca Patrícia Goedert virou franquia, com duas lojas no Rio Grande do Sul e três em Santa Catarina. Nos últimos dias, Patrícia, que procura sempre inovar em seus lançamentos, está preparando a Galeria do Sim!, espaço onde vai expor seus trabalhos com bolos. E ela antecipa uma das novidades: “nossa decoração de bolo agora contará com joias”. A mostra abre na segunda-feira, às 19h, na loja que fica na SC-401, na Capital. 

Iniciativa jovem

Foi ao lado da tia que Tathiana Reis, 24, de Forquilhinhas, em São José, começou a confeitar. Fazendo bombons para vender entre as amigas e familiares, aos 16 anos ela buscava melhorar a renda familiar. A jovem fez cursos de docinhos e biscuit, e em 2011 resolveu apostar no dom como carreira, e deu início ao curso técnico em gastronomia no IFSC (Instituto Federal de Santa Catarina). “Foi lá que desenvolvi técnicas de bolo, porque até então eles ficavam com uma aparência meio “rústica”, e aprendi a fazer pasta americana, por exemplo”, explica, afirmando que a evolução dentro da cozinha é lenta com pouco recurso financeiro.

Apesar disso, em quatro anos Tathiana diz que houve grande evolução no trabalho em todos os quesitos. A mãe e o namorado também entram na jogada. “Eu fico com as coisas mais pesadas, onde tenho conhecimento maior, e eles me ajudam a enrolar, a fazer as entregas e as montagens em festas”, diz.

Tathiana também é uma fã convicta dos reality shows culinários, mas principalmente do confeiteiro Buddy Valastro. Impressionada com tanta criatividade e a coragem que tem de ousar, Tathiana diz que é preciso ter cuidado ao trazer para o Brasil dicas do americano, pois o ingredientes são diferentes. “Admiro muito o trabalho dele, mas não sei se um dia vou fazer isso, porque gosto muito do bolo tradicional. Eu falo que se eu pudesse, trabalharia com ele, como um estágio, pois é um conhecimento que talvez eu não pratique no dia a dia, mas saber e poder incluir em algum momento da vida já é muito legal”, diz a doceira.

Para o futuro, Tathiana Reis quer ir longe, quer ter funcionários e atender e adoçar cada vez mais a vida das pessoas. Um projeto que talvez saia do papel logo, que chama a atenção dela pelo baixo custo, é o food bike que pretende implantar, uma revenda móvel em bicicleta com alguns dos seus doces, como o bolo de pote.

Marina Fidelis, 20, deu início à Dolce Mare di Marina, por incentivo da família. Estudante de arquitetura, desde adolescente criou o interesse pela gastronomia, e considera suas paixões “cozinhar e arquitetar”. “Me interessei cada vez mais em fazer os doces da melhor forma possível, desde a utilização de ingredientes de primeira qualidade até a melhor apresentação e sabor. Sempre que viajo para fora do Brasil, visito confeitarias e conheço novos doces”, conta.

A jovem da Capital também é fã dessa nova onda dos programas de competição culinária, e além de Buddy, gosta de conferir de perto o trabalho de Erick Jacquin, do “MasterChef”. “Acredito que o mais importante a se aprender com esses reality shows são as técnicas de preparo, montagem e apresentação. Todos têm muito a nos ensinar, ainda mais quando se trata de culturas e países diferentes”, finaliza ela.

Edu Moraes/Divulgação Record/ND

No reality, 14 participantes disputam a chance de comandar a primeira filial
da Carlos’s Bakery no país

Experiência de catarinense 

O novo reality show da RICTV Record terá dez episódios nessa temporada, e todos foram captados durante o mês de julho, período em que Buddy esteve no país. “Uma equipe com 160 profissionais esteve envolvida na idealização e produção dos desafios, na captação dos episódios e na pósprodução de todo o material”, explicou Carla Barros, diretora do “Batalha dos Confeiteiros Brasil”. A seleção dos candidatos foi feita por meio de vídeos. A produção assistiu a mais de cem demonstrações de confeiteiros, e após a seleção, em quatro dias conheceram 45 candidatos, e destes saíram apenas 14. “Eles me surpreenderam com tanto talento, muita personalidade e amor pela arte da confeitaria”, conta Carla. Gaby Amarantos, Ana Hickmann, Sabrina Sato, Gugu, Adriane Galisteu e Maurício de Souza serão os avaliadores gastronômicos. O vencedor será conhecido no dia 2 de dezembro.

Atualmente, nove reality shows de cozinha entre os mais badalados da televisão: “Que seja doce” (GNT), “Food truck – A batalha” (GNT), “MasterChef” (Band), “Cozinha Sob Pressão” (SBT), “Hell’s Kitchen” (TLC), “Guerra dos Cupcakes” (Discovery Home & Health), “Cozinheiros em Ação” (GNT), “Top Chef Masters” (Sony) e “Junior MasterChef” (Discovery Home & Health). Em Santa Catarina, um cozinheiro viveu o outro lado do balcão ao participar do programa da GNT “Cozinheiros em Ação”, em 2013.

De Balneário Camboriú, Gustavo Monteiro, 23, havia recém-retornado do Texas, a trabalho, quando entrou na atração. “Minha participação no reality foi mais impactante do que eu pensava que seria. Recebi diversas propostas de emprego e outros tantos contratos de consultoria de fãs do programa. O reality mudou meu modo de olhar para o alimento: entrei gostando do que fazia e saí completamente apaixonado pela gastronomia. Aprendi a respeitar ainda mais o alimento e a valorizar o simples, a cozinhar com alma, como dizia o jurado Ivan Achcar”, conta. Atualmente, Gustavo é personal chef, food stylist, consultor gastronômico e está com planos de abrir um food truck.

Conheça os participantes 

Rosangela Marinho, 57, Rio de Janeiro (RJ)
Marcia Acácio, 41, Fortaleza (CE)
Rodolfo Araújo, 37, Salvador (BA)
Manu Monteiro, 28, Rio de Janeiro
Léo Vilela, 29, São Paulo (SP)
Bruna Monari, 34, São Paulo (SP)
Mari Corali, 34, São Paulo (SP)
Alex Alvino, 41, Nova Iguaçu (RJ)
Gustavo Henrique, 23, Timbaúba (PE)
Chico Zinneck, 32, São Paulo (SP)
Ju Andreazi, 32, Santo André (SP)
Candelaria Forero, 30, Medelín (Colômbia)
Rick Zavala, 43, Santos (SP)
Manuka, 39, São Paulo (SP)

Conheça o trabalho das confeiteiras entrevistas nas redes sociais

Dolce Mare di Marina
Tathiana Reis Bolos e Doces
Patrícia Goedert Doçaria

Serviço 

O quê: “Batalha dos confeiteiros Brasil”
Quando: 30/9, 22h15
Onde: RICTV Record, reapresentação no Discovery Home & Health, a partir de 6 de outubro, às 19h30

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade