Publicidade
Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 22º C

Músico Alex Origgami lança EP com composições próprias que misturam reggae, rap e rock

O cruzamento musical entre reggae, rap e rock é evidente nas músicas do florianopolitano Alex Origgami

Marciano Diogo
Florianópolis
Flávio Tin/ND
Alex Origgami começou a tocar graças a influência do pai e irmã violonistas


Assim como a arte secular oriental que faz alusão a seu nome artístico, o músico Alexsandro Silveira da Silva, 22, procura nas dobras a intersecção criativa necessária para compor suas canções. O cruzamento musical entre reggae, rap e rock é evidente nas músicas do florianopolitano Alex Origgami, que lança seu primeiro EP com cinco canções originais em dezembro deste ano. O próprio artista afirma preferir não definir seu gênero musical para não impor limites em seu trabalho. “Nosso país é pura miscigenação, por que impor barreiras de gênero na nossa música?”, observa o cantor.

Alex Origgami começou a tocar instrumentos musicais ainda quando criança, graças à influência do pai e da irmã, violonistas, e há cinco anos compõe suas canções originais. “Minha família sempre foi musical, com tios cavaquistas e sanfoneiros também. Com dez anos de idade já tocava percussão, com 13 anos, violão. Mas foi o samba a minha escola musical, foi com ele que aprendi o que é música de verdade”, afirma Origgami, que cita o tradicional Cartola e o contemporâneo Criolo como grandes influências e referências. “Não ter medo da mescla, do diferente, é essencial na hora de compor”, opina o músico.

O primeiro EP do músico florianopolitano, “Conexão Sem Fio”, apresenta as músicas “Odoiá”, “A Milhão”, “História de Lei”, “O Molho Azeda” e “Na Orla”. A mistura melódica do reggae brasileiro com o beat do rap norte-americano é uma característica própria e escolha do artista. “Acho que isso também amplia meu público”, afirma o jovem, que traz o som de seu violão como companhia e norte de suas canções.

Origgami ressalta que opta por trabalhar com temas positivos em suas canções, como força de vontade, foco e paixão. O músico, que já foi vocalista e tocou em diferentes bandas, explica ainda que atualmente segue carreira solo para ter maior independência e identidade própria no seu trabalho. “Não tenho nenhuma ‘fórmula’ para compor. Mas o que eu faço, faço bem feitinho. E com o coração, que é o mais importante”, conclui.

Codinome poeta
Apelidado pelos amigos de “codinome poeta”, Alexsandro Silveira da Silva conta que transitou bastante pelas rodas de samba e também de rap até começar a misturar os gêneros musicais. O jovem observa que, em um primeiro momento, ele mesmo se surpreendeu com o resultado ao sintetizar os estilos. “A sonoridade de algo sobreposto a outro resulta em algo autêntico. O trabalho de compor flui naturalmente para mim. O que me inspira são as relações humanas, de todos os tipos e dimensões”, conclui Origgami. 

Assista ao videoclipe da canção “A Milhão” e saiba mais sobre a arte do músico Alex Origgami pelo site www.origgamioficial.com.br.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade