Publicidade
Domingo, 18 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Márvio Lúcio, o “Carioca”, se apresenta neste sábado em Florianópolis

Peça de comédia com Antonio Fagundes e show dos grupos Molejo e É o Tchan são outras atrações do Clube ND desta semana

Ian Sell
Florianópolis
27/04/2018 às 08H50

Um humor caricato, irreverente, assim é caracterizado o humorista Márvio Lúcio, o Carioca, com sua infinidade de imitações de celebridades da TV, teatro e rádio. Ele apresenta no sábado (28) o espetáculo “Carioca em Más Companhias”, no Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis. A peça é um monólogo onde o artista mostra diversos personagens, convidados como prefere se referir, entre eles Jô Suado, Lelé Santos, Boris, Bolsonabo, Pastor Cráudio, Pedro Paulo de Milão, Didi Mais Cedo e Dilma du Cheff.

O Carioca traz o rol de personagens, como Jô Suado e Bolsonabo - Divulgação/ND
O Carioca traz o rol de personagens, como Jô Suado e Bolsonabo - Divulgação/ND


Formado em jornalismo e publicidade, o ‘Carioca’ ficou nacionalmente conhecido por seu trabalho no Pânico, grupo de comédia que tem programa na rádio e teve por 14 anos na televisão.

O humorista concedeu entrevista via WhatsApp ao Notícias do Dia falando sobre o começo da carreira, o  humor no teatro, e o movimento do humor politicamente correto no país, confira:

Entrevista Márvio Lúcio, o Carioca

- Como você começou no humor e nas imitações? Essa veia humorística vem de família?

Minha família sempre foi muito alegre, descontraída, festeira, lá em casa a ordem era ‘zoar’ total. Um ambiente muito legal, divertido, de muitas piadas. Claro que o ambiente familiar influencia, era sempre um gozando da cara do outro, tios, primos, meus pais. Sempre vivi nesse ambiente de humor mesmo, isso favoreceu muito. O ambiente que vivemos é o ambiente que nos faz.

- Carioca, são mais de 20 anos no rádio, e 14 na televisão. Quais as principais diferenças em fazer humor na tv, no rádio e no teatro?

Fazer humor no rádio é maravilhoso, porque o rádio quando você senta, você fala, você discute, troca uma ideia, precisa ter uma boa lábia para prender o teu ouvinte. A televisão já é algo muito mais difícil, depende de muita grana, de produção, maquiagem. Encantador, porém, muito difícil. Já o teatro é a grande recompensa, você está cara a cara com o público, o cara que é seu fã está ali perto de você, olhando no seu olho e você olhando no olho dele, isso faz toda a diferença, atualmente estou apaixonado em fazer teatro.

- Dos diversos personagens que você interpreta, tem algum que te chame mais a atenção e que você goste mais?

Difícil, eu gosto de todos, é quase perguntar “qual filho você gosta mais” (risos)? De todos. Porém, eu tenho mais amor ainda pelo personagem que ainda está por vir, esse ainda é uma surpresa, porém o que mais gosto.

- O movimento do humor “politicamente correto” tem tomado conta do país. Isso limita o trabalho de um artista criador como você? Existe um limite para o humor?

É difícil falar isso, hoje existe uma patrulha, a internet tem muita voz, o comentário das pessoas as vezes vale muito. Eu acredito que o humor tenha que seguir em frente, o humor é livre. Lógico que um pouco de bom senso as vezes é recomendável, mas o humor precisa ser divertido, engraçado, pois o que vale é a risada, tudo é válido pela risada, essa é a proposta do humor, senão, não faria sentido ele existir.

- Quais suas expectativas para o show e os principais objetivos do espetáculo “Carioca em más companhias”?

Floripa é um lugar maravilhoso, já fiz meu espetáculo da Dilma ai. Estar de volta para mim é um grande prazer, o público de Florianópolis é muito divertido. O intuito do espetáculo é levar o público para rir, relaxar, as vezes passamos semanas difíceis. Esse é o verdadeiro objetivo do teatro, entreter, divertir, ser feliz e viver a vida.

Serviço:
O quê: Espetáculo “Carioca em Más Companhias”
Quando: 28/4, 20h
Onde: Teatro Pedro Ivo, rod. SC 401, 4600, km 05, Saco Grande, Florianópolis
Quanto: R$ 80, clube ND tem 40% de desconto

Baixa Terapia traz comédia com Antonio Fagundes

Escrita pelo argentino Matias Del Federico e com a direção de Marco Antônio Pâmio, a peça “Baixa Terapia – Uma Comédia no Divã” é atração nesta sexta (27) e domingo (28) em Florianópolis. O espetáculo é uma comédia onde apresenta três casais, um após o outro, que chegam para uma sessão de terapia. Quando se encontram, descobrem que a psicóloga não foi e terão que conduzir a sessão em grupo. Ela deixou a sala preparada com café, agua e bastante whisky, além de uma mesa com envelopes numerados, com instruções de como devem conduzir essa sessão especial. O objetivo é que todas as questões sejam resolvidas em grupo. 

A peça traz à tona queixas, confissões, suspeitas, relevações, verdades e mentiras de forma humorística. Os três casais são formados por Ariel (Antonio Fagundes) e Paula (Mara Carvalho), Estevão (Bruno Fagundes) e Tamara (Alexandra Martins) e Roberto (Fábio Espósito) e Andrea (Ilana Kaplan), pessoas com diferentes problemas e conflitos.

Serviço:
O quê: Espetáculo “Baixa Terapia – Uma Comédia no Divã”
Quando: 27/4 e 29/4, 18h
Onde: Teatro Ademir Rosa CIC, av. Governador Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica, Florianópolis
Quanto: R$ 120 a R$ 140, clube ND tem 50% de desconto 

Moletchan comanda o sábado na Stage

O Stage Music Park recebe nesse sábado (28) os grupos Molejo e É o Tchan que marcaram época na década de 1990. Eles se apresentam juntos na festa nominada “Moletchan”, apresentando hits como “Quebradeira”, “Dança da Cordinha”, “Cilada” e “Dança da Vassoura”.

Grupos Molejo e É o Tchan, que marcaram época na década de 1990, se reúnem em apresentação - Divulgação/ND
Grupos Molejo e É o Tchan, que marcaram época na década de 1990, se reúnem em apresentação - Divulgação/ND


A banda é o Tchan é comandada por Beto Jamaica e Compadre Washington, e tem quase 30 anos de história. Já o Molejo tem como integrantes Anderson Leonardo (cavaquinho, voz e vocal), Andrezinho (surdo, voz e vocal), William Araújo (violão e vocal), Claumirzinho (pandeiro e vocal), Lúcio Nascimento (percussão e vocal) e Jimmy Batera (bateria e vocal).

Serviço:
O quê: Festa “Moletchan”
Quando: 28/4, 22h
Onde: Stage Music Park, rod. Maurício Sirotsky, 1050, Jurerê Internacional, Florianópolis
Quanto: R$ 50 a R$ 100, clube ND tem 30% de desconto

Espetáculo Infantil fecha a programação

O musical “A Pequena Sereia” é atração de sexta-feira (27) no Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis. O musical inspiradora na obra homônima do Dinamarquês Hans Christian Andersen, traz a protagonista, a sereia Ariel que se apaixona pelo príncipe Erick e enfrentam diversas dificuldades.

Serviço:
O quê: Espetáculo “A Pequena Sereia”
Quando: 27/4, 16h
Onde: Teatro Pedro Ivo, rod. SC 401, km 05, 4600, Saco Grande, Florianópolis
Quanto: R$ 40, clube ND tem 50% de desconto

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade