Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Lista dos indicados ao Oscar reconhece boa safra de filmes e atuações de peso

Além de “La La Land”, o mais indicado, há outros grandes filmes na disputa, como “A Chegada”, “Moonlight: Sob a Luz do Luar”, “Cercas”, “Até o Último Homem” e “Manchester à Beira-Mar”

Alessandra Ogeda
Florianópolis
24/01/2017 às 20H13
Cercas, com Denzel Washington  e Viola Davis  - Divulgação/ND
Cercas, com Denzel Washington e Viola Davis - Divulgação/ND



Desta vez os votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood acertaram. Pelo menos na escolha dos filmes indicados ao prêmio mais badalado do cinema mundial, o Oscar. Como esperado, o musical que resgata o romantismo nos cinemas e põe em evidência a “fábrica de sonhos” de Hollywood, “La La Land: Cantando Estações”, é o filme mais indicado do ano, com 14 chances em 13 categorias diferentes. Mas outros grandes filmes desta temporada, como “A Chegada”, “Moonlight: Sob a Luz do Luar”, “Cercas”, “Até o Último Homem” e “Manchester à Beira-Mar” também estão na lista.

Depois das 14 indicações e 13 chances de “La La Land”, os filmes que tem mais chances na premiação que será entregue na noite do dia 26 de fevereiro são “A Chegada” e “Moonlight”, cada um deles indicado em oito categorias. Em seguida aparecem “Até o Último Homem” e “Manchester à Beira-Mar”, com seis chances cada um. Entre os destaques individuais, vale citar a impressionante 20ª indicação da atriz Meryl Streep, desta vez por “Florence: Quem é Essa Mulher?”, e o ressurgimento de Mel Gibson, que concorre como Melhor Diretor 21 anos depois de ter vencido nesta categoria por “Coração Valente”.

Neste ano, os fãs do cinema podem ter certeza que praticamente todos os grandes filmes da temporada estão bem representados no Oscar. Claro que alguma produção que teve grande bilheteria no ano passado e que caiu no gosto popular, como os blockbusters “Capitão América: Guerra Civil” e “Procurando Dory”, ficaram de fora, o que deve desagradar aos fãs destas produções. Mas outros produtos de franquias de sucesso, como “Rogue One: Uma História Star Wars” e “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, além de “Star Trek Beyond” e “Esquadrão Suicida” foram lembrados.

Diferente de anos anteriores, em que grandes produções ou artistas tinham ficado de fora da premiação - inclusive houve grande polêmica pela Academia ignorar atores e realizadores negros -, em 2017 isso não aconteceu. De fato as nove produções indicadas na categoria Melhor Filme merecem estar lá por diferentes méritos. Algumas, tem como destaque o “conjunto da obra”, enquanto outras se destacam por seus elencos e roteiros. Mas não há injustiças na lista. O mesmo pode ser dito em quase todas as categorias.

Manchester à Beira-Mar, com Casey Affleck e Michelle Williams - Divulgação/ND
Manchester à Beira-Mar, com Casey Affleck e Michelle Williams - Divulgação/ND



O Oscar 2017 privilegia grandes histórias, procurando colocar no holofote a importância do cinema para a sociedade em uma época em que o presidente Donald Trump ataca diversos valores defendidos pela indústria cinematográfica do país. Entre outros temas, os indicados a Melhor Filme tratam de preconceito racial, de pacifismo, da importância da comunicação, de desigualdades sociais, de oportunidades e da relevância do amor e da capacidade de cada indivíduo em sonhar.

Parece que, claramente, Hollywood está mandando uma mensagem não apenas para Trump, mas para o mundo, defendendo valores que eles consideram importantes. A expectativa é que a premiação deste ano seja carregada de discursos políticos que repassem estas mensagens. Quando a preocupação social do cinema encontra grandes histórias e qualidade técnica, todos ganham. Esta é uma grande safra, aproveitem!..

 

Moonlight: Sob a Luz do Luar, com Mahershala Ali - Divulgação/ND
Moonlight: Sob a Luz do Luar, com Mahershala Ali - Divulgação/ND



O velho e o novo

-Este ano o Oscar apresenta uma mistura interessante entre grandes talentos da indústria cinematográfica, já bastante reconhecidos, e novos nomes que despontam como promessa para a continuidade de Hollywood. Isso fica evidente tanto na lista dos diretores indicados quanto dos atores. A recordista em indicações ao Oscar, Meryl Streep, soma a sua 20ª indicação (ela ganhou três vezes) no ano em que a favorita como Melhor Atriz é a jovem Emma Stone, em sua segunda indicação - Natalie Portman, que já ganhou um Oscar e recebe a segunda indicação, também tem chances.

O veterano Denzel Washington, perfeito em “Cercas”, concorre pela sétima vez ao prêmio (ele ganhou duas vezes), enquanto o bem cotado Casey Affleck concorre pela segunda vez (mesmo número de oportunidades que o indicado Ryan Gosling teve) e Andrew Garfield recebe a primeira indicação. Mahershala Ali, que já merecia ter sido indicado em anos anteriores, finalmente concorre pela primeira vez como Melhor Ator Coadjuvante. Ali é favorito para levar o prêmio, assim como Viola Davis, que chega à sua terceira indicação sem nunca ter levado um Oscar para casa.

O Oscar fascina o mundo pelo desfile de estrelas. Este ano, além dos filmes principais, vale dar atenção para categorias menos “badaladas”, como Melhor Documentário e Melhor Filme em Língua Estrangeira. Exceto por Gleason, que foi esquecido na categoria de documentário, os outros indicados chegaram lá tocando em temas importantes e fazendo um grande trabalho.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade