Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

“Le Frigô”, com o ator Renato Turnes e direção de Vicente Concilio, estreia nesta terça

Texto provocativo do argentino Copi mexe com as questões de gênero

Carol Macário
Florianópolis
Caio Cesar/Divulgação/ND
Renato Turnes dá vida a L., manequim aposentado que ganha uma geladeira de presente de 50 anos, eletrodoméstico que provoca uma crise delirante

Desde a montagem de “Mi Muñequita”, quando dirigiu o espetáculo de autoria do uruguaio Gabriel Calderón, em 2009, Renato Turnes e sua La Vaca Productora (a atriz Milena Moraes é sócia) vem fazendo um diálogo com os autores latino-americanos, trazendo sopro de vida nova ao teatro de Florianópolis com dramaturgia contemporânea. Dessa vez, Turnes mergulhou no universo transgressor de Copi (1939 -1987), escritor, cartunista e ator-trvesti argentino radicado na França, para dar vida à personagem L. no espetáculo “Le Frigô”. Com direção de Vicente Concilio, a peça estreia hoje, na Camarim Escola de Arte, no bairro Estreito, em Florianópolis.

Provocativo, o texto da peça, assim como grande parte da obra de Copi (pseudônimo de Raul Damonte Botana), tem no transformismo a essência da teatralidade. “As pessoas podem até olhar como show de travesti”, diz Renato Turnes. Em tom de comédia, a peça chacoalha as questões de gênero com L.,criatura de sexualidade ambígua e transformada, fetichista, andrógina e estranha.

A protagonista é um manequim aposentado, dedicado a escrever memórias, que no dia do seu aniversário de 50 anos recebe da mãe um presente de aniversário: uma geladeira. O eletrodoméstico deflagra um surto delirante em L., solitário e preso em seu mundo-bolha. Ainda vivendo no mundo das aparências (o que explica a troca de roupas constante da personagem), aquela que um dia foi estrela traz à tona os vários personagens da sua vida, num reencontro com seus fantasmas mais profundos.

“A geladeira é simbólica, um símbolo da morte. A metáfora do túmulo”, pontua o ator, que pesquisou referências da moda oitentista para compor a personagem. Num solo de ritmo vertiginoso, com tom cômico e grotesco criado por Turnes e Vicente Concilio, o espetáculo perpassa a crise de identidade de L. disparada pela presença odiosa da geladeira.

Não aos mortos

“Ou ficamos eternamente apresentando os mortos ou vamos para os novos. E temos conseguido bons resultados. Ventilando a produção teatral da Capital com textos novos”, diz Renato Turnes sobre a proposta da La Vaca Productora de oxigenar a produção teatral na Capital trazendo textos da produção latino-americana contemporânea.

Encenando o texto de Copi, Turnes volta atiçar o público da Capital com o tom provocativo presente na obra do argentino, como ocorreu recentemente com a montagem de Kassandra, do autor fanco-uruguaio Sergio Blanco, estrelado por Milena Moraes e dirigido por Turnes.

No caso específico de Copi, o tom provocativo é ainda mais radical. “Ele transgride as classificações de gênero. O que é ser homem ou ser mulher? Ou gay ou lésbica?”, indaga o ator. No universo copista essa classificação é movediça: mulheres que colocam pênis, homens que cortam o pênis fora. “O cômodo é ter tudo definido. Mas a aparência não é a verdade. Vai além do estudo do gênero.”

Nesse contexto, os personagens de Copi, como L., estão sempre fora do lugar e passam a sensação de não-pertencimento e solidão. Isso se explica talvez com a história de vida do dramaturgo. Apesar de ser argentino, ele foi muito cedo para a França e é muito francês na forma que se expressa. “A relação dele com a América é de negação e vínculo forte ao mesmo tempo. E os personagens meio exilados, como o próprio Copi foi, desde jovem”, finaliza Turnes.

“Le Frigô” foi um dos projetos contemplados pelo primeiro edital do Fundo Municipal de Cultura de Florianópolis e será apresentado em quatro distritos de Florianópolis. Depois da estreia de hoje, será apresentado amanhã na Casa das Máquinas, na Lagoa da Conceição; dia 2 de novembro no Sesc Cacupé e nos dias 3 e 4 de novembro no Teatro da Ubro, Centro de Florianópolis.

Serviço

O quê: Estreia do espetáculo “Le Frigô”, com Renato Turnes e direção de Vicente Concilio
Quando: Hoje, 20h
Onde: Camarim Escola de Arte, av. Santa Catarina, 1.313, Estreito, Florianópolis, tel. 3204-6608
Quanto: Gratuito

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade