Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Indústria moveleira de SC investe no design contemporâneo

Para ganhar o mercado nacional, polo moveleiro catarinense investiu na inovação e design

Carol Macário
Florianópolis
Divulgação / ND
Linha de produção da Artefama, empresa de São Bento do Sul que conquistou o consumidor brasileiro com seu design inovador

 

Não à toa a edição catarinense da mostra Casa Cor é uma das mais importantes do Brasil. Em Santa Catarina, dos 14 segmentos da economia criativa segundo a Firjan, o de maior destaque ao lado de moda, design, software & Tecnologia é o setor de arquitetura e decoração. O volume de negócios gerados no setor gera milhões. Só entre as 110 lojas do ramo associadas ao Núcleo Catarinense de Decoração, a previsão é de negociações em torno de R$ 107.314.824,00 milhões (entre junho de 2012 a maio de 2013). E sob a ótica dos empregos criativos no Estado, o setor é o que conta com maior participação no total do mercado de trabalho, com mais de 8.000 profissionais.

A região de São Bento do Sul, Rio Negrinho e Campo Alegre, no Norte, é o principal pólo moveleiro do Estado e do Brasil. Durante anos foi o maior exportador brasileiro de móveis. Segundo o Sindusmobil (Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul), o setor perdeu muito de sua competitividade internacional especialmente em decorrência da política cambial dos últimos anos. “Foi então que as empresas passaram a retomar o mercado nacional”, diz o presidente da entidade, Fernando Gassner. Em 2009 as vendas para o mercado interno superaram pela primeira vez o faturamento com as exportações.

No último levantamento do Sindicado, de 2011, o pólo conta com 411 indústrias, que empregam 9.200 trabalhadores diretos. O faturamento em 2011 alcançou R$ 844 milhões e, desse total, 71% foi direcionado ao mercado nacional. “Diversas ações foram realizadas para essa mudança de mercado. Uma das principais foi exatamente o investimento em design. As empresas passaram a formar áreas internas de design e também contratar escritórios de design para criar produtos voltados ao estilo do consumidor brasileiro”, diz Gassner.

Criação como valor agregado

A maioria das empresas da região moveleira do Estado trabalha com produtos de maior valor agregado. A Artefama, maior exportadora de móveis do Brasil, foi uma das empresas que investiram no design para crescer no mercado interno. “O design é fundamental para que seja viável a comercialização para o mercado brasileiro. No Brasil, por sermos um povo descendente do mundo inteiro, não temos um padrão definido de design. Olhando com a visão de consumidor, isso é sensacional, pois não ficamos nas mãos de fornecedores que fazem sempre a mesma coisa, aquele design tradicional”, afirma o arquiteto Angelo Duvoisin, responsável geral do departamento comercial. A maioria dos produtos da Artefama é criada por ele.

E a utilização de madeira maciça, inclusive madeira vinda de cultivo, acabamentos especiais e cuidados na produção resultam em móveis de qualidade superior. Além disso, o design tem recebido atenção especial dos fabricantes do Planalto Norte Catarinense. “Muitos investimentos foram realizados pelas empresas para desenvolver linhas de produtos com design exclusivo e voltado ao consumidor brasileiro”, diz o presidente do Sindusmobil.

Na região, o destaque é para o estilo contemporâneo, com linhas modernas e utilização de acabamento nobres. Além da Artefama, destaque também para a Móveis Rudnick, marca mais conhecida da região e que sempre foi destaque em design, e a Bel Metais, que ultimamente tem investido no conceito do design contemporâneo.

Divulgação / ND
Cadeira "Speed", criação da Artefama

Próxima Bienal Brasileira do Design será em Santa Catarina

A quinta edição da Bienal Brasileira do Design será em Santa Catarina e deve ocorrer até o final do primeiro semestre de 2015. “Uma grande conquista e reconhecimento do design no Estado”, afirma o designer Renato Buchele Rodigues, diretor administrativo da SC Design (Associação Catarinense de Design). A entidade representa a classe e conta com 200 membros, entre pessoas físicas e escritórios, e atua em todo o Estado promovendo e difundindo a cultura do design. “A história do design em Santa Catarina começou há cerca de 20 anos”, afirma Rodrigues. Segundo ele, primeiro surgiram cursos acadêmicos na área, e em seguida as empresas foram absorvendoo conceito e os profissionais.

A cadeia criativa da Arquitetura & Engenharia

Segundo a Firjan, as empresas de arquitetura & engenharia fornecem as ideias e a criatividade para a indústria da construção civil, e por isso a cadeia desse segmento é a mais expressiva sob a ótica da indústria criativa. No Brasil, são 833 mil empresas em toda a cadeia da Arquitetura & Engenharia, das quais 28 mil estão concentradas no núcleo criativo.

Os 14 segmentos da economia criativa (Fonte: Firjan)

 Artes Cênicas, Artes, Música, Filme & Vídeo, TV & Rádio, Mercado Editorial, Software, Computação & Telecom, Pesquisa & Desenvolvimento, Biotecnologia, Arquitetura & Engenharia, Design, Moda, Expressões Culturais, Moda e Publicidade

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade