Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Guitarrista do Guns N' Roses leva dezenas de músicos e fãs para workshop em Florianópolis

Ron “Bumblefoot” Thal tocou, fez piadas, arriscou um português, ensinou técnicas e respondeu perguntas do público no GTR Instituto de Música

Juliete Lunkes
Florianópolis

Enquanto cerca de 80 músicos, ou simplesmente fãs de Guns N’ Roses, se amontoavam em uma das salas de aula do GTR Instituto de Música na noite desta segunda-feira (31), em Florianópolis, na salinha ao lado o guitarrista Ron “Bumblefoot” Thal comia castanha de caju e esperava a hora de ministrar mais um workshop da série que ele vem promovendo em algumas capitais brasileiras. “Eu adoro isso aqui”, dizia enquanto mastigava um punhado da especiaria tipicamente brasileira. “Não estou fazendo esses workshops em todas as cidades em que tocamos, só nas que tenho bons parceiros para isso”, disse apontando para parte da equipe de professores do instituto que o acompanhava no backstage.

 

Marco Santiago/ND
Guitarrista do Guns N' Roses, Bumblefoot está na sua segunda passagem por Florianópolis

 

Essa é a segunda vez que o guitarrista do Guns N’ Roses vem a Florianópolis. Em fevereiro de 2013 ele participou de um evento na Capital ao lado dos também companheiros de banda Chris Pitman e Frank Ferrer com o projeto Blowout, na Posh Club.  “Ano passado definitivamente deu para irmos à praia e tudo, dessa vez não conseguimos, viemos direto do aeroporto. Então meu plano para hoje é conhecer o pessoal que está aqui e fazer um som com eles”.

:: Seis jornalistas que acompanham o Guns N’ Roses desde os primórdios debatem a carreira da banda

O guitarrista, que se prepara para o show do Guns N’ Roses nesta terça-feira (1º) no Devassa On Stage, quando questionado sobre um possível atraso, desses que os fãs já estão quase acostumados a enfrentar, foi enfático. “Eu sempre estou pronto na hora certa, quem atrasa é o vocalista”, brincou, em tom de verdade, referindo-se a Axl Rose.

Segundo ele, a banda acaba não tendo muito contato com o frontman fora dos palcos. “Nós viajamos separados e ele geralmente chega depois. Nos falamos mais por e-mail, às vezes jantamos juntos, mas eu geralmente tenho muitas coisas para fazer, e ele também”.  

Durante o workshop, Bumblefoot tocou algumas músicas, fez piadas, arriscou várias palavras em português, respondeu perguntas do público e mostrou algumas de suas técnicas na guitarra.

 

Marco Santiago/ND
Dezenas de fãs e músicos acompanharam o workshop ministrado pelo guitarrista
Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade