Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Gratuito, festival de teatro Palco Giratório começa nesta terça-feira em Florianópolis

Evento promovido pelo Sesc é boa oportunidade para companhias que perderam espaço com cancelamento do Isnard Azevedo

Karin Barros
Florianópolis
Marco Santiago/ND
André Francisco,  Leandro Rovares, Neuza Borges e Tatiana Cobult, do grupo Teatro em Trâmite, de Florianópolis. Grupo apresentará três trabalhos no Palco Giratório, três monólogos

Com o cancelamento do Floripa Teatro - Festival Isnard Azevedo este ano, outro festival que já era bem conhecido em Florianópolis ganha ainda mais força: o Palco Giratório. O projeto do Sesc, que começa nesta terça-feira e segue até o dia 31, está em sua 13ª edição e tem toda a programação com entrada gratuita.

“A não continuidade de projetos como esse [Isnard Azevedo] enfraquece a cultura, e o Sesc entende isso. Este ano é especial para o Palco acontecer, porque estamos tendo um monte de cortes no país, e acreditamos que o fortalecimento se dá com a continuidade”, afirma Raphael Vianna, do departamento nacional do Sesc. Para ele, o festival serve nesse momento também como um alerta da importância de festivais de teatro para a classe local se sentir representada. “Nesses momentos acontece uma abertura de olhares e afirma para as instâncias políticas que é preciso incentivar”, pontua.

Os próprios atores de Florianópolis que irão participar do Palco também notam a importância ainda mais relevante do evento este ano. “Acaba contando muito mais essa participação, pois acaba sendo uma das poucas grandes oportunidades de nos apresentarmos na cidade”, explica Leandro Rovaris, do grupo de Teatro Em Trâmite, afirmando que já existem planos de realizar uma mostra teatral no final do ano na Casa Vermelha, sede da compahia.

O grupo Teatro Em Trâmite é de Florianópolis e tem 13 anos de história. No Palco, eles apresentarão três monólogos interpretados sempre pelo ator e diretor André Francisco, porém todos são bem distintos. “Discursos paralelos” terá sua estreia no dia 23, às 17h, no Centro da cidade; “Histórias Horripilantes” é para o público infantojuvenil e será encenado dia 24, às 15h, no teatro Sesc Prainha; por fim, “A luva e a pedra”, no dia 25, às 20h, no teatro Sesc Prainha, para adultos.

Apesar do sentimento de perda de grande parte da categoria artística, o Palco Giratório fará brilhar grupos de 16 Estados, entre eles Bahia, Maranhão, Minas Gerais e o Rio de Janeiro, além de seis oficinas de formação e a exposição “Arena conta... - Teatro e resistência no Brasil (1965-1970)”.

Durante o evento, as 20 companhias selecionadas para a circulação nacional do Palco Giratório e grupos convidados se apresentam em diferentes locais na Capital: no Teatro do Sesc Prainha, no Teatro Pedro Ivo, no Teatro Ademir Rosa, no Teatro Álvaro de Carvalho, e em espaços públicos. Os ingressos gratuitos são distribuídos uma hora antes do início de cada espetáculo, no local do evento e o espaço está sujeito à lotação. “Este ano o público pode esperar uma programação bem diversificada, com a preocupação do olhar das artes cênicas, de não ter uma hegemonia”, afirma Maria Teresa Piccoli, gerente de cultura do Sesc em Santa Catarina. 

Além da Capital, a programação cultural se intensifica nas “Aldeias Palco Giratório” instaladas em Jaraguá do Sul ( de 1 a 9/8) e Joinville (de 2 a 10/8). Realizadas em mais de 40 cidades em todo o país, as Aldeias são mostras locais de arte e cultura, com o objetivo de promover e incentivar as manifestações artísticas das regiões e fazer um intercâmbio entre artistas e cultura, fomentando a troca de experiências.

André Stefano/Divulgação/ND
A atriz Maria Alice Vergueiro é a homenageada desta edição. Ela apresentará a peça “Why The Horse” nesta sexta

Homenagem à dama do teatro

Neste ano, a homenageada do circuito nacional é a atriz Maria Alice Vergueiro. Aos 81 anos de idade e mais de 50 de palco, ela é considerada uma das grandes referências do teatro brasileiro, com passagens também pelo cinema e televisão. “O trabalho dela é bem significativo, ela é uma das grandes damas do teatro. Reafirmamos essa importância através do palco”, explica a gerente cultural Maria Teresa.

A homenageada estará presente na peça “Why the horse?”, com o Grupo Pândega de Teatro, um happening que trata de temas como vida, morte e envelhecimento a partir de uma proposta ousada da atriz de convidar seus parceiros de grupo a ensaiar com ela o seu “derradeiro momento”. São duas apresentações nesta sexta-feira, às 18h30 e 21h, no Teatro Ademir Rosa, do CIC.

Um pouco antes do Palco Giratório começar, curadores de todo o país chegaram na cidade para o Encontro Nacional de Programação em Artes Cênicas, que ocorre pela primeira vez em Florianópolis. Por meio do evento está sendo organizado a edição de 2017. “Foram mais de 88 indicados para o próximo Palco. A qualidade das indicações está muito boa. Está tendo muita discussão e reflexão, mas só no final vamos ter um panorama de como será”, sintetiza Maria Teresa.  

Serviço

O quê: Palco Giratório
Quando: de 2/8 a 31/8
Onde: Teatro do Sesc Prainha; Teatro Pedro Ivo; Teatro Ademir Rosa; Teatro Álvaro de Carvalho, e em espaços públicos
Quanto: gratuito
Saiba mais: www.sesc-sc.com.br

O quê: abertura oficial com “Dente de Leão”, do Grupo Espanca, de Belo Horizonte (MG)
Quando: 2 e 3/8, 20h
Quanto: Teatro Pedro Ivo (rod. SC-401, 4.600, Saco Grande Fpolis)
Quanto: gratuito

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade