Publicidade
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 19º C

Governo não cumpre prazo de pagamento do Edital Elisabete Anderle

Adiado pela segunda vez, pagamento do Edital Elisabete Anderle ainda não tem data definida. Secretaria da Fazenda informou que faz esforço para pagar ainda neste mês

Karin Barros
Florianópolis
06/11/2017 às 15H17

No início de 2017, durante cerimônia de posse no Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis, o governador Raimundo Colombo junto ao secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan, e o presidente da FCC (Fundação Catarinense de Cultura), Rodolfo Pinto da Luz, anunciaram que neste ano haveria o lançamento do Edital Elisabete Anderle. O último foi lançado em 2014, executado em 2015, e era uma grande reclamação dos artistas. 

Em abril foram abertas as inscrições para o edital. O prêmio, que teria investimento de R$ 5,6 milhões, teve recorde de inscritos, com mais de 1.800 trabalhos. O resultado foi divulgado no início de agosto, com 175 propostas selecionadas.  Os recursos viriam do Governo do Estado de Santa Catarina, com promoção da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, por meio da FCC e do Conselho Estadual de Cultura. A programação do edital datava o mês de setembro para o pagamento do recurso aos artistas, contudo, a classe não recebeu nada. Dia 30 de outubro foi a nova data estipulada pela FCC para o pagamento, porém, novamente os artistas ficaram sem ver o dinheiro pelo qual inscreveram seus trabalhos. 

Cia de Dança Lápis de Seda venceu o edital Elisabete Anderle de 2017 - Cristiano Prim/Divulgação/ND
Cia de Dança Lápis de Seda venceu o edital Elisabete Anderle de 2017 - Cristiano Prim/Divulgação/ND





A Secretaria da Fazenda informou por meio da assessoria que está fazendo um esforço para o pagamento do edital ainda neste mês de novembro, porém sem data definida e justifica o atraso devido a fatores como queda na arrecadação e dívidas acumuladas.

 Renato Turnes, ator e diretor, e dono de uma das propostas selecionadas no edital, diz que está se formando uma grande ideia de calote entre os artistas. “Temos medo que se repita a velha história dos outros anos, ainda mais que no ano que vem tem eleição, e se não sair a verba até dezembro, não teremos mais, pois esse dinheiro acaba parando em um buraco negro”, coloca ele. 

Outro problema é em relação ao Edital Estação Cultural, que teria sua primeira edição neste ano, previsto para acontecer entre os dias 26 e 29 de outubro. Ele teve mais de cem projetos aprovados e aconteceria em 50 cidades de Santa Catarina, porém, a programação foi adiada sem nova data prevista para a realização. “Os artistas se programaram, formaram uma agenda para se apresentar nesse projeto, e ele não aconteceu”, diz Turnes. 

O edital da Cinemateca Catarinense também foi um projeto anunciado pelo governador para este ano, mas que até o momento não teve lançamento.

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade