Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Flávia Duzzo e Diego de los Campos abrem mostra em Florianópolis nesta quinta-feira

Ambos artistas radicados no Estado, eles apresentam seus trabalhos na Fundação Badesc e no Museu Victor Meirelles

Karin Barros
Florianópolis
21/02/2018 às 09H56

A partir desta quinta (22), dois artistas radicados em Santa Catarina apresentam seus trabalhos para o público em exposições diferentes no Centro de Florianópolis. Flávia Duzzo abre a temporada 2018 na Fundação Cultural Badesc com a mostra “Olhar o Desenho”. 

Flávia Duzzo exibe desenhos em grafite e trabalhos feitos com fios de telefone - Daniel Queiroz/ND
Flávia Duzzo exibe desenhos em grafite e trabalhos feitos com fios de telefone - Daniel Queiroz/ND


Por meio de desenhos com barra grafite sobre papel e por trabalhos feitos com fios de telefones, a artista aborda o pensamento sobre a linha e sobre o desenho. A exposição, que fica aberta à visitação gratuita até 22 de março, traz trabalhos de fases diferentes da vida da artista, porém, que se conversam e sugerem ao público o pensar sobre as linhas em diversos planos. “São duas linguagens bem distintas e apresentar essas duas fases me faz o exercício de pensar no que é singular, diferente, em temos de desenho. Quis propor um espaço de reflexão. Nunca tinha executado algo assim”, explica ela, que trabalha com arte desde a década de 1980. 

Flávia é pós-doutora em Artes Visuais pela Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina) e doutora pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul). “A questão do desenho ocorre de 2008 para cá, onde venho trazendo a pesquisa mais voltada para a linha: o que ela é e como ela se relaciona com o fundo da parede, por exemplo”, diz. 

Também nesta quinta-feira, às 19h, Diego de los Campos volta a expor, dessa vez no Museu Victor Meirelles. Antes, às 18h, ocorre o tradicional Encontro com o Artista, evento onde o expositor conversa com o público sobre as suas obras e trajetória, neste caso sobre a mostra “Dialética binária”, que é homônima ao primeiro trabalho da série. 

Diego de los Campos expõe série composta de máscaras e bonecos feitos com materiais comuns como madeira e papelão - Divulgação
Diego de los Campos expõe série composta de máscaras e bonecos feitos com materiais comuns como madeira e papelão - Divulgação


A exposição é composta de máscaras e bonecos produzidos com materiais comuns como madeira e papelão, que se articulam através do uso de pequenos motores. As obras realizam movimentos contínuos e aleatórios e algumas delas sugerem ao observador um surpreendente diálogo humanizado. 

Diego traz em seu trabalho uma mistura de vertentes, pois diz que é difícil separar isso na hora de criar. Nesta mostra ele traz animação, robótica, escultura e materiais diferenciados para compor as obras. O primeiro trabalho foi feito em 2017 e trouxe a ideia sobre o corpo. Um deles traz dois rostos que dialogam, porém apenas com “sim” e “não”. “O título da exposição é super contraditório, mas acho que é a situação que vivemos hoje, onde não tem diálogo, só manifestações acaloradas. Toda arte tem que ser política, e estamos vivendo em um mundo virado do avesso, e não é só aqui no Brasil, mas algo mundial”, coloca o artista. 

Sobre a humanização dos objetos por meio da robótica, Diego cita como exemplo a Disney, que dá vida a canecas e bules, e essa humanização acaba se tornando algo intríseco na nossa natureza. “O corpo humano tenta procurar a perfeição, mas encontra algo artificial”, explica. 

A mostra de Diego de los Campos faz parte da 7ª edição do projeto Memória em Trânsito, iniciativa que propõe estudar e divulgar as obras dos artistas catarinenses que integram o acervo do Museu Victor Meirelles. O objetivo é ampliar o entendimento da poética desses artistas, estimulando a elaboração de outros discursos, bem como produzindo e atualizando a documentação museológica referente ao artista na instituição. 

Serviço

O que: “Olhar o Desenho”, de Flávia Duzzo
Quando: 22/2, 19h. Até 22 de março, das 12 às 19h
Onde: Fundação Cultural Badesc, rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis
Quanto: gratuito

O quê: “Dialética Binária”, de Diego de los Campos
Quando: 22/2, 19h. Até 21 de abril
Onde: Museu Victor Meirelles, rua Rafael Bandeira, 41, Centro, Fpolis
Quanto: gratuito

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade