Publicidade
Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 32º C
  • 22º C

Festival Isnard Azevedo é retomado após hiato de 3 anos, e prêmio Funcine será relançado

Secretário de Cultura e superintendente da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes falam sobre avanços na área

Karin Barros
FLORIANOPOLIS
06/08/2018 às 11H57

Com o lançamento na última segunda-feira (30), do 23º Floripa Teatro – 23º Festival Isnard Azevedo, assim como do Edital de Apoio a Cultura, que foi criado em 2012, mas que teve uma única edição, a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Juventude de Florianópolis dá expectativa para o setor cultural, que viu escassear esses instrumentos de incentivo.

O Floripa Teatro Festival Isnard Azevedo em 2015. Evento volta a ocorrer de 15 a 22 de setembro - Daniel Queiroz/Arquivo/ND
O Floripa Teatro Festival Isnard Azevedo em 2015. Evento volta a ocorrer de 15 a 22 de setembro - Daniel Queiroz/Arquivo/ND


Um dos eventos culturais mais importantes do Estado, o Floripa Teatro após um hiato de três anos volta a acontecer de 15 a 22 de setembro. Foram 517 inscrições de todo o país para participar, sendo cinco coproduções Brasil/outros países. Destes, 53 grupos teatrais foram selecionados para as 85 sessões de espetáculos previstos para os sete dias de evento em 31 espaços da cidade, de centros comunitários a teatros. Pelo menos metade dos espetáculos são locais e dois vindos de Buenos Aires (ARG). “Esse é um projeto muito forte e muito reconhecido no país, é importante esse retorno”, diz o secretário do setor, Marcio Alves.

De outro lado, o Edital de Apoio a Cultura irá apoiar 51 projetos de várias linguagens culturais, como música, dança e teatro, com uma verba de R$ 800 mil. As inscrições seguem até o dia 31 de agosto no site da FCFFC (Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes). “É uma busca do próprio Conselho Municipal de Cultura realizar esse edital. O fundo precisou reestruturado no ano passado e agora vem com algumas inovações, como o fato de não ser setorizado. Tudo que o conselho pediu foi atendido pelo edital”, explica o secretário.

Categoria espera reforço no Funcine 

Ainda este semestre, a Secretaria de Cultura junto da Fundação ainda pretendem lançar o Funcine (Fundo Municipal de Cinema), que teve sua última edição em 2014, e outros dois novos editais para apresentações e eventos culturais.

Secretário Márcio Alves e Roseli Pereira, da FCFFC - Daniel Queiroz/ND
Secretário Márcio Alves e Roseli Pereira, da FCFFC - Daniel Queiroz/ND


O Funcine teria como verba do município de R$ 300 mil e pode ser complementado com o FSA (Fundo Setorial do Audiovisual), do governo federal, na proporção de quatro para um, o que elevaria para mais de R$ 1 milhão o prêmio.

Segundo Márcio, o edital só não foi lançado porque o conselho espera alcançar uma verba ainda maior com o FSA, mas o pedido ainda precisa ser oficializado.
“Quando o pedido do setor for entregue, vamos levar ao conhecimento do prefeito, mas nosso orçamento prevê R$ 300 mil. Teríamos que ter uma mudança orçamentaria.

Temos que conversar ainda com o governo federal para ver se é assim que funciona. O que nos comprometemos com o conselho, nós cumprimos. Essa novidade tem que ser trabalhada e ver onde temos orçamento”, diz.

Possível primeiro longa de ficção

Segundo o Fórum Permanente da Setorial do Audiovisual de Florianópolis, uma carta será entregue ao secretário solicitando mais verba para poderem produzir o primeiro longa de ficção com o edital do Funcine, o que geraria destaque para a cidade e movimentaria a economia em diversos setores.

Os outros dois editais previstos ainda não tem data de lançamento muito menos os valores, mas, segundo Roseli Pereira, superintendente da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes, foram criados porque muitos grupos locais pedem apoio do município para realizarem seus eventos. Deste modo, a relação fica mais transparente com a classe e com o público. O edital de apresentações será destinado para shows de rua, como o caso do boi-de-mamão, que tem pelo menos dez grupos na Capital. O edital de eventos vai apoiar festivais locais de grande proporção, como, por exemplo, o FAM (Florianópolis Audiovisual Mercosul) e o Ri Catarina.

Além disso, a fundação também quer apoiar as três bandas centenárias de Florianópolis: Amor a Arte, Banda Comercial e a Banda da Lapa, para que se mantenham em atividade.

Cada vez mais aulas 

Outra iniciativa da área cultural, a Escola Livre de Artes passou por uma renovação e foi reinaugurada em março deste ano. Das quase 2.000 crianças que se inscreveram, 600 foram selecionadas – por renda per capita - para cursar as aulas, que acontecem na matriz da escola, na rua Alves de Brito, no Centro, e em outros equipamentos culturais da fundação, como na Casa das Máquinas, Teatro da Ubro, Casa da Memória e em parceria com entidades nas comunidades. “Nosso objetivo é ter um projeto que atenda a comunidade, não só crianças de escolas públicas, mas que as famílias possam ter acesso as oficinas”, diz Roseli.

Já a galeria municipal Pedro Paulo Vecchietti, na Praça 15, está funcionando sob o edital de ocupação, que destina R$ 2.500 para a produção do evento no local. Em 2016 o edital havia sido suspenso enquanto o cineasta Marco Martins e a produtora Loli Menezes montavam sua exposição. Na data do acontecido, segundo a fundação,

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade