Publicidade
Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Festival de sapateado em Florianópolis traz bailarinos do Japão, Estados Unidos e Suíça

O 6º Floripa Tap acontece de quinta a domingo, no Sesc Cacupe, Teadro Ademir Rosa e Jurerê Open Shopping

Karin Barros
Florianópolis
Marco Santiago/ND
Festival reunirá quatro grandes nomes internacionais e outros sete brasileiros

O Floripa Tap chega ao seu sexto ano com novidades. Por três anos consecutivos o evento trouxe quatro convidados dos Estados Unidos, porém, desta vez, o evento dá a oportunidade ao público de conhecer o sapateado vindo também do Japão, com Yukiko “Smilie” Misumi, representante japonesa na ITA (Associação Internacional de Sapateado), e o suíço Daniel Borak, considerado o principal nome do sapateado mundial da nova geração fora dos solos americanos.

O evento começa hoje e termina no domingo, e ocorre entre o Sesc Cacupé, com os workshops, Jam session e Duelo de Sapateadores, o Teatro Ademir Rosa, com a Noite de Performance, e o Jurerê Open Shopping, com a Mostra Comentada. Além dos dois convidados que estarão pela primeira vez no país, estreia no festival Melissa Tannús, integrante do grupo Syncopated Ladies e bailarina do show “Tap Worx”, da Universal Studios.

A bailarina Maud Arnold, que é fundadora do grupo Syncopated Ladies, cancelou sua vinda ao festival . Em seu lugar virá Star Dixon, uma das principais dançarinas originais da mundialmente renomada companhia de sapateado MADD Rhythms, de Chicago.

Além dela, Lane Alexander, fundador do Chicago Human Rhythm Project, maior festival de sapateado do mundo, e Christiane Matallo, diretora artística e organizadora do Brasil International Tap Festival. Christiane é conhecida por sapatear tocando saxofone. Acompanha os bailarinos ao vivo um trio de jazz de Santa Catarina formado por Luiz Gustavo Zago, Rodrigo Paiva e Carlos Ribeiro Junior.

Marina Coura, idealizadora do Floripa Tap, também se apresenta no evento. Ela é a bailarina convidada para representar o país no exterior desde 2013. Nos Estados Unidos, faz exibições e workshops, e no ano passado ministrou aulas e se apresentou no Chicago Human Rhythm Project.

Para Marina, a cultura americana do sapateado cresceu muito no Estado com o Floripa Tap. “A cada ano, a busca pelo aprendizado do ritmo aumenta em pelo menos 20%. Muitas pessoas conhecem o sapateado principalmente entre Florianópolis, Blumenau, Joinville e Itajaí”, ressalta ela, lembrando que na Capital há quatro escolas especializadas no ritmo.

Marco Santiago/ND
No outro extremo. Japonesa Yukiko “Smilie” Misumi é uma das atrações do evento que começa nesta quinta em Florianópolis

No ritmo do samba e do maracatu

O Floripa Tap está entre os maiores festivais de sapateado do mundo, e Marina Coura é uma das precursoras da mistura da cultura americana com a brasileira em suas representações do ritmo no exterior. “Em 2013 foi a primeira vez que apresentei o espetáculo ‘Recriando linguagens’, que se baseia no sapateado americano, mas retiro o jazz, que é a música deles, e coloco samba, baião ou maracatu. Eles ficaram super curiosos, principalmente por causa dos instrumentos, como pandeiro e berimbau, que a maioria não conhecia”, explica a diretora do evento.

Outro diferencial da 6ª edição do festival é a Mostra Comentada, que ocorre hoje com a Mostra de Dança no Jurerê Open Shopping, em Jurerê Internacional, na plataforma zero, com 1h30 de duração. De acordo com Marina, o quesito, que era solicitado pelos bailarinos, terá apresentação de 18 trabalhos e tem a intenção de colaborar com os grupos e coreógrafos. “Os comentários serão feitos por escrito e entregues diretamente ao coreógrafo. Queremos dar um feedback para cada um deles, para que melhorem, entendam como estão sendo vistos, ou apenas recebam um parabéns pelo bom trabalho”, acrescenta.

Serviço:


O quê: 6º Floripa Tap
Onde: 24/3, 18h, Mostra Comentada, Jurerê Open Shopping, avenida das Raias, 40, Jurerê Internacional, Fpolis;
25/3, 12h30, Jam Session, Sesc Cacupé, estrada Haroldo Soares Glavan, 1.670, Bairro Cacupé, Fpolis;
27/3, 17h, Cutting Contest – Duelo de sapateadores, Sesc Cacupé, estrada Haroldo Soares Glavan, 1.670, Bairro Cacupé, Fpolis.
Quanto: todos são gratuitos

O quê: Noite de performance
Quando: 26/3, às 20h
Onde: Teatro Ademir Rosa, Centro Integrado de Cultura (CIC), avenida Irineu Bornhausen, Agronômica, Fpolis
Quanto: R$ 60 e R$ 30 (meia) 

O quê: workshops Floripa Tap
Quando: 24 a 27/3
Onde: Sesc Cacupé, estrada Haroldo Soares Glavan, 1.670, Bairro Cacupé, Fpolis
Quanto: de R$ 80 (aula avulsa) a R$ 885 (pacote de 15 aulas nível avançado) 

festival reunirá quatro grandes nomes internacionais e outros sete brasileiros

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade