Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual exibe nove curtas-metragens em Florianópolis

Evento gratuito acontece no sábado (7) na Fundação Cultural Badesc, no Centro da Capital

Redação ND
Florianópolis
Divulgação/ND
Cena do filme "De que lado me Olhas", curta de Carolina de Azevedo e Elena Sassi que é exibido no festival


Depois de ser realizado durante nove anos no Ceará, o Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual For Rainbow, chega a Florianópolis. O evento tem entrada gratuita e ocorre no sábado (7) a partir das 17h, no Cineclube da Fundação Cultural Badesc, entidade localizada no Centro da cidade. O festival vai exibir nove curtas-metragens sobre gênero e após a exibição haverá uma oficina sobre sensibilização para o respeito à diversidade sexual. O público poderá votar em um dos curtas por meio de cédula impressa e a produção mais votada pelo júri popular receberá o troféu Artur Guedes de melhor curta-metragem.

O Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual For Rainbow é um dos mais importantes espaços de debate e difusão do respeito à pluralidade sexual e de gênero no Brasil. O festival tem média de público de cinco mil pessoas por ano e estará sendo exibido em 250 espaços em todo o Brasil durante o mês de abril. Os filmes exibidos são do acervo da própria organização do festival, cedidos pelos realizadores participantes da 5ª a 9ª edição.

O quê: Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual For Rainbow
Quando: 7/5, 17h
Onde: Fundação Cultural Badesc, rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis, tel. 48 3224-8846
Quanto: Gratuito

Confira os storylines dos filmes exibidos no Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual em Florianópolis:

Melhor Amigo - de Allan Deberton. Ceará. 213. 18 min. Sábado, primeiro dia de férias. Lucas e Felipe decidem ir à praia.  

Aceito - de Felipe de Andrade Rosa do Couto Cabral. Rio de Janeiro. 2014. 20 min. 12 anos. Júnior prepara uma grande surpresa para pedir seu namorado em casamento, mas nem tudo sai como planejado.  

De que lado me Olhas - de Carolina de Azevedo e Elena Sassi. Rio Grande do Sul. 2014. 15 min. Vivemos sob perspectivas alheias e, por vezes, sentimos não ter outra escolha senão deixar que esses olhares nos definam. Ao buscarmos nossas verdadeiras identidades, deixamos de pedir permissão para vivermos nossas essências. Ao colocarmos anossa perspectiva em pauta, criamos um novo lado para que nos olhem. Em Porto Alegre, sete pessoas oferecem suas perspectivas sobre uma importante realidade desconversada.  

O Segredo dos Lírios - de Brunna Kirsch e Cris Aldreyn. Rio Grande do Sul. 2012. 17min. Christiane, Estela e Vera: três mães cujo amor supera o 'incomum'.  

Entre lugares: A Invisibilidade do Homem Trans - de Luiz Carlos Nascimento. Recife. 2011. 13 min. "O que seriam homens trans?" ‘Entre Lugares: a invisibilidade do homem trans’ aproxima o foco na vida de Leonardo Tenório e Luciano Palhano, dois homens – que nasceram biologicamente mulheres – que rompem com uma cultura binária ditada pelo gênero, mostrando, a partir de suas experiências, diferentes possibilidades na relação entre identidade (de gênero) e orientação sexual.  

Meninas do Cabaré - de Tel Candido. Ceará. 2013. 25 min. Um grupo propõe levar a arte transformista e as histórias de vida de travestis às luzes da ribalta, mexendo com a cena cultural do estado e com as representações convencionais sobre o “universo” trans. “Meninas do Cabaré” narra a experiência do Coletivo Artístico As Travestidas e flana entre as esquinas onde a arte e a política se encontram.  

Chanson d’Amour - de Renata Prado. Rio de Janeiro. 2014. 12 min. Luiza se apaixona por Clara, a guitarrista da sua nova banda e compõe uma canção de amor, mas é perseguida pelo ex- namorado de Clara.  

Receita Para Trazer seu Amor de Volta - de Andrei Bessa. Ceará. 2099. 5 min.Numa sexta-feira, uma jovem prepara uma receita para trazer a pessoa amada de volta. Essa pessoa é uma garota. De forma poética e bem humorada, o curta revela um universo encantado onde só as pessoas apaixonadas conseguem chegar. No entanto, o final revela uma forte surpresa. Será que seu amor vai voltar?  

Também Sou Teu Povo - de Orlando Pereira e Franklin Lacerda. Ceará. 2006. 14 min. O filme parte da visão das travestis de Juazeiro do Norte e da sua relação com esta cidade para (re)contar a(s) história(s) no cenário das romarias. Mostra a relação com o visitante romeiro, o personagem padre Cícero, a religiosidade, a Igreja. Sempre considerando a experiência e a visão de mundo desses “atores sociais”, as travestis.

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade