Publicidade
Domingo, 16 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C

Festival celebra o choro com músicos reconhecidos, como Geraldo Vargas e Mauricio Carrilho

Programação começa nesta quarta com o show "Bandolins do Sul", no CIC

Redação
Florianópolis
09/10/2018 às 19H52
Geraldo Vargas é organizador do evento que conta com shows e oficinas - Marco Santiago/Arquivo/ND
Geraldo Vargas é organizador do evento que conta com shows e oficinas - Marco Santiago/Arquivo/ND



O gênero que deu base a Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Chiquinha Gonzaga e Jacob do Bandolim e forneceu também um repertório potente à música instrumental brasileira protagoniza evento nesta semana, na Capital. O Festival de Choro da Primavera abre nesta quarta-feira com o encontro “Bandolins do Sul”, no Teatro Ademir Gonzaga, do CIC, às 20h30, com Geraldo Vargas (Florianópolis/SC), Daniel Migliavacca (Curitiba/PR) e Elias Barboza (Porto Alegre) e com o violonista convidado Mathias Pinto (Porto Alegre/RS) em uma apresentação homenageando os 100 anos de Jacob do Bandolim. Até o dia 14, a programação também inclui oficinas de violão, cavaquinho, canto, percussão e instrumentos de sopro, além de práticas de conjunto, palestras e audições abertas à comunidade e roda de choro aberta à participação de todos.

Nomes como como Maurício Carrilho e Luciana Rabello e também da cantora Amélia Rabello, do saxofonista/clarinetista Pedro Paes e do percussionista Marcus Thadeu integram essa programação.

À frente do evento, o resistente músico da Capital Geraldo Vargas. Há 37 anos, conta Geraldo, ele teve oporturnidade de conviver com músicos da “primeira geração” do choro em Florianópolis, como Zequinha (Bandolim), Léo (Violão), Nilo (clarinete), entre outros. “Mas meu trabalho como músico tomou realmente maturidade a partir dos anos 1990 quando conheci o choro do Rio de Janeiro nas mãos de grandes músicos como Maurício Carrilho e Luciana Rabello. Esses e tantos outros músicos cariocas já vêm há décadas difundindo o choro em oficinas de música e Festivais pelo Brasil afora”, conta o músico, que também comanda um projeto de formação de instrumentistas em várias comunidades da Capital.

Luciana Rabello é uma das principais cavaquinistas do país - Divulgação/ND
Luciana Rabello é uma das principais cavaquinistas do país - Divulgação/ND



Para o Festival da Primavera, que tem organização em parceria da Escola Portátil de Música (RJ) em parceria com a Fundação Cultural Simpozio, do Campeche, há 87 alunos inscritos de vários Estados brasileiros para as oficinas de violão, cavaquinho, canto, percussão e instrumentos de sopro.

“O Choro é um gênero musical que se propagou por todo o território brasileiro a partir do início do século 20. Essa música conta com um dos maiores e mais ricos repertórios da música instrumental brasileira.Aqui em Santa Catarina, e Florianópolis mais especificamente, o choro sempre foi mais executado em ambientes informais, como bares e rodas de choro”, finaliza Geraldo..

Serviço:

O quê: Encontro “Bandolins do Sul”
Quando: 10/10, 20h30
Onde: Teatro do CIC, av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica, Florianópolis
Quanto: R$ 20/R$ 10

O quê: Festival de Choro da Primavera
Quando: 10 a 14/10, diversos horários
Onde: Fundação Cultural Simpozio, rua Huberto Rohden, 274, Campeche, Florianópolis
Quanto: R$230, programação de oficinas
Saiba mais: www.festivalchoroprimavera.com.br

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade