Publicidade
Sexta-Feira, 18 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 29º C
  • 24º C

Exposição "Faz Sentido" reúne dez artistas voltadas para o sensorial, orgânico e sensitivo

Mostra abre no Masc nesta quinta (27)

Carolina Moura
Florianópolis
Débora Klempous/ND
Isabela, Renata, Flávia, Helenita, Ani e Pirjo estão entre as artistas, de diferentes estados e países, reunidas na mostra coletiva

Fotografias, peças de barro ou de vidro, pinturas e instalações dividem espaço no Masc (Museu de Arte de Santa Catarina) a partir desta quinta (27), obras de dez mulheres vindas de lugares tão diferentes entre si quanto Santa Catarina e a Finlândia. A exposição coletiva “Faz sentido”, que abre esta noite, às 19h30, parece responder o que se pode perguntar sobre essa reunião heterogênea: faz sentido colocar artistas de lugares e trabalhos tão diferentes em uma mesma sala? O título diz que faz, e o curador, Carlos Franzoi, também. “Elas têm um ponto em comum que é essa afinidade com o sensorial, o orgânico, o sensitivo”, explica.

As artistas paulistas Ani Rocco, Gilda Vogt, Regina Carmona e Renata Barros, as catarinenses Helenita Peruzzo, Isabela Sielski e Jane Bruggemann, a italiana Celina Spelta e a finlandesa Pirjo Heino foram reunidas por Flávia Fernandes, que percebeu o diálogo entre o trabalho de todas e o seu próprio. O trabalho de Franzoi entrou então para organizar essas relações, em uma curadoria que será adaptada a cada espaço em que passa a exposição. Depois do Masc, “Faz Sentido” vai para Itajaí, Blumenau e Joinville.

Em Florianópolis, cada artista tem praticamente uma mostra individual em um dos corredores do museu, possibilitando mergulhar na obra de cada uma. “Todas elas estão discutindo sua identidade dentro do mundo e o mundo dentro delas também”, diz Franzoi.  Nesse sentido, Flávia Fernandes contrapõe a dureza da cidade em suas “Pinturas Macias”, Ani Rocco trabalha a arquitetura e o conceito de lar em suas telas e Pirjo Heino incorpora os ritmos brasileiros em suas formas construtivistas, pinturas feitas especialmente para a exposição.

Débora Klempous/ND
Helenita Peruzzo expõe fotos de si mesma como uma "mulher cama"

 

Questões femininas

Embora seja composta por dez mulheres, a exposição não tem necessariamente um enfoque no feminino. A questão aparece, porém, com mais força em alguns dos trabalhos. Isso fica claro no caso de Isabela Sielski, por exemplo, que convidou diferentes mulheres para se despegarem de algum objeto ligado às suas memórias. Sapatos, peças de roupa e objetos da casa são expostos cobertos em barro, matéria prima de Isabela em suas cerâmicas. Neste caso, porém, ela usa o barro cru, que vai rachando durante a exposição e remete à questão do tempo presente na temática da memória.

No trabalho de Helenita Peruzzo, o elemento da cama, já presente em sua obra anteriormente, passa a fazer parte da sua própria identidade. Nas fotografias ela veste uma espécie de longo colchão com uma cabeceira na ponta. O nome do trabalho, “Meridianas”, remete ao cômodo da casa que era voltado para o tempo livre da mulher, onde ela lia e fazia suas atividades depois do almoço. A ideia vem de uma inquietude de Helenita com a dificuldade de conseguir o tempo e o espaço para ficar sozinha nos dias de hoje.

Já a instalação “Corações por um fio”, de Renata Barros, trata da fragilidade humana. Corações de vidro, com textos ou imagens projetadas na parede, ficam em uma sala fechada com um sensor. Quando o visitante entra, uma luz vermelha pulsa e o som sugere uma estante de corações que cai e se quebra. “As coisas se quebram. E o coração da mulher se quebra sempre”, diz a artista.

 

Débora Klempous/ND
Os corações de vidro de Renata Barros remetem à sua fragilidade

 

 

Serviço

O quê: Exposição coletiva “Faz Sentido”

Quando: Conversa com as artistas 27/6, às 17h. Abertura às 19h30. Visitação até 27/7, de terça a sábado das 10h às 20h30 e domingos e feriados das 10h às 19h30

Onde: Masc, CIC, av. Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica, Florianópolis, tel.:  3953-2380

Quanto: Gratuito

 

Programação

Casa de Cultura de Itajaí – 10 a 30/8

Museu de Arte de Blumenau – 5/9  a 22/10

Museu de Arte de Joinville – 17/9 a 22/10

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade