Publicidade
Terça-Feira, 18 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 22º C

Eventos de experiência atraem público exigente e abrem nicho de mercado em Florianópolis

Foco de quem atua no ramo é proporcionar momentos inesquecíveis que marquem a vida das pessoas

Andréa da Luz
Florianópolis
16/11/2018 às 21H00
A produtora Lica Paludo na Cabana dos Sonhos, refúgio para eventos diferenciados - Flávio Tin/ND
A produtora Lica Paludo na Cabana dos Sonhos, refúgio para eventos diferenciados - Flávio Tin/ND



Com 20 anos de atuação na área, a expert em produção de eventos Lica Paludo aproveita seu conhecimento e vivências para proporcionar experiências singulares e exclusivas, em eventos únicos e transformadores. Desde o início da carreira, seu foco é a customização, oferecendo propostas específicas para cada cliente.

Seu estilo reflete o olhar de quem já viveu em várias cidades do mundo - Los Angeles, Paris, Nova York e Sidney, além de passar temporadas no Caribe e no Sul da França, e é essa amplitude de referências que lhe permite criar novas formas de levar os convidados a uma experiência inesquecível. Isso acontece especialmente no novo nicho em que vem atuando, o mercado de eventos-experiência.

Do almoço à beira-mar ao mini wedding, passando por eventos corporativos, a diferença principal dessa modalidade está em proporcionar alguma coisa que marque ou transforme a vida do participante. “Falar de sustentabilidade em uma sala fechada tem um resultado completamente diferente de uma palestra realizada onde é possível perceber o ambiente, suas fragilidades e diferentes aspectos”, aponta.

A percepção de que as pessoas e corporações buscam algo a mais quando se trata de um evento fez Lica abrir o seu refúgio particular, uma charmosa casa à beira da Lagoa da Conceição, em Florianópolis, para pequenos acontecimentos. “A Cabana dos Sonhos não é uma casa de eventos, porém eventualmente proporcionamos eventos de experiência aqui”, diz Lica. O espaço foi palco de um editorial de fotografias; cenário do evento corporativo All Happy Day, da Gol Linhas Aéreas, com um dia de detox incluindo aulas de ioga e meditação; e palestra da produtora sobre como receber bem.

Um dos eventos na Cabana incluiu dia de detox e meditação - Chama Mathias/divulgação/nd
Um dos eventos na Cabana incluiu dia de detox e meditação - Chama Mathias/divulgação/nd



Provocando sentidos

Dois mini weddings (festa de casamento mais íntima, com poucos convidados) e uma cerimônia de noivado surpresa com jantar à luz de velas e serviço de cozinha são as próximas experiências que ela irá proporcionar na casa que carrega parte da sua história. “Comprei esse imóvel há quase 30 anos e morei aqui durante 10, sozinha. Então, tenho um carinho especial por essa casa e só abro para pequenos eventos e encontros que proporcionem esse estilo de vida à beira d’água, poder fazer um peixe, conversar, que é uma experiência genuína da Ilha”, revela.

Recém-reformada, a casa é “um verdadeiro lar com alma”, aquele cantinho onde a gente chega e já se sente à vontade. Mas o toque de elegância da produtora está em cada detalhe. Na cabana, a exuberância da natureza da Ilha de Santa Catarina se descortina através das aberturas generosas que revelam o visual extraordinário da Lagoa. O luxo não está nos objetos, na decoração, mas no fato de poder experimentar algo único e preparado especialmente para você. “Não se trata do luxo da ostentação, aqui ele está na simplicidade das coisas, na oportunidade de viver um momento especial que consegue tocar as pessoas”, reforça Lica.

Inspirada, Lica já idealiza o Santa Catarina Mar e Montanha, projeto que está sendo construído em parceria com uma vinícola para proporcionar experiências genuínas a turistas de fora do Estado. A ideia é proporcionar ao visitante um tempo para desfrutar à beira-mar, com passeios até a montanha, onde poderá degustar vinhos, fazer caminhadas ou até passeios de helicóptero para conhecer os picos mais altos do Estado. Um outro formato seria voltado a grupos fechados com temas específicos, como arquitetura, design, arte, música, etc. de acordo com o perfil do cliente. “Estamos bem animados com esse projeto”.

Lica afirma que o ramo de eventos é bastante sazonal, por isso ela aproveita os períodos com menos demanda e cria workshops, ensinando técnicas e dicas de como montar uma cena completa para receber bem e de forma inesquecível. O próximo será “A Arte de Bem Receber - Verão”, em dezembro (a data ainda será definida).

Moniky Bittencourt e Monica Correa, mãe e filha criaram um serviço que une vinho e alta gastronomia - Moniky Bittencourt /Divulgação/ND
Moniky Bittencourt e Monica Correa, mãe e filha criaram um serviço que une vinho e alta gastronomia - Moniky Bittencourt /Divulgação/ND



Vinho-experiência

As empresárias Monica Correa e a filha Moniky Bittencourt, da Check-in 4 Wine, deram uma guinada nos negócios ao apostar no ramo de evento-experiência. Atuando em assessoria de comunicação desde 2007, elas realinharam os negócios depois da crise de 2016. Após contratar um serviço de coach, mãe e filha uniram o conhecimento no mercado da gastronomia - acumulado na assessoria para vinícolas - e o gosto pelo tema para organizar roteiros e viagens enogastronômicas por vinhedos dentro e fora do país.

Com muita pesquisa e um planejamento financeiro, as empreendedoras começaram a viajar para conhecer lugares inusitados, inexplorados pelos viajantes tradicionais. E assim decidiram fazer o mesmo com pequenos grupos de pessoas, através da Check-in 4 Wine. A operação começou em janeiro deste ano, quando elas formalizaram o novo empreendimento voltado ao nicho de roteiros, ingressos e eventos que proporcionam uma experiência inesquecível para as pessoas.

Um passo por vez é a receita para entrar no mercado que é muito promissor, mas incipiente no país. "Esse é um mercado que não pode cair no lugar comum, por isso buscamos experiências às quais as pessoas não estão acostumadas, identificando roteiros novos e inusitados, para proporcionar momentos inesquecíveis e que realmente façam a diferença na vida das pessoas", afirma Monica.

Para isso, elas seguem quatro regras básicas. A primeira e mais importante é o cenário. "Procuramos cenários de natureza abundante que causam grande impacto e locações ao ar livre, sempre que possível", diz a empresária. As outras regras incluem bebida - no caso, o vinho - que ajuda a tornar o momento mais agradável, música e boa comida - elas optaram pela alta gastronomia.

A receita parece estar dando certo. "Esse é um mercado que exige muito atendimento e requer uma boa cadeia de fornecedores. No Brasil a gente já os conhece, mas fora do país não tínhamos contato, então aproveitamos os passeios internacionais realizados este ano para prospectar esses parceiros que precisam oferecer um serviço de excelência", conta Monica.

Sunset em uma vinícola catarinense - Divulgação/ND
Sunset em uma vinícola catarinense - Divulgação/ND



Acumulando expertise

Aos poucos, elas vão acumulando conhecimento na nova área. Neste fim de semana, elas organizam o primeiro Wine Festival no Passeio Pedra Branca em Palhoça, nos dias 16 e 17 de novembro, para 400 pessoas. "Esse é nosso maior evento e marca o encerramento da programação de 2018. Em geral, trabalhamos com grupos menores, entre 40 e 60 pessoas para passeios e no máximo 20, no caso de viagens para fora do país", cita.

O sexto evento da Check-in 4 Wine reúne degustação de vinhos, gastronomia, música, wine garden com vinho em taça, comidas e música ao vivo, debates sobre enoturismo, mercado de vinho e workshops, com a presença de várias importadoras, distribuidoras, vinícolas e produtores catarinenses. O sábado (17) será dedicado especialmente à degustação de mais de 150 rótulos e lançamentos de vinhos de verão, apresentando as novas safras e os vinhos e espumantes para a estação mais quente e as festas de fim de ano. Tudo embalado pelo som de DJs e bandas locais.

Antes, elas já realizaram outros cinco eventos. O primeiro foi uma Colheita de rosas com degustação de vinhos ao pôr do sol, nas vinícolas da serra catarinense, em São Joaquim, que reuniu 40 participantes em janeiro. "É um evento comum na Europa, mas no Brasil não temos a tradição de aproveitar esse espetáculo maravilhoso", revela.

Depois, em abril, levaram 15 pessoas ao Uruguai para participar da colheita das uvas em uma vinícola de prestígio internacional, unindo à experiência a alta gastronomia local. Em seguida, o Festival da Lua Cheia, na vinícola Monte Agudo em São Joaquim; um evento de uma importadora de bebidas; e um passeio pela Europa, com um grupo de cinco pessoas, em outubro, com passagem pela Espanha, Itália e Portugal.

O roteiro incluiu um passeio de balão pelos vinhedos e florestas da Espanha, passando por abadias e castelos, com piquenique na aterrissagem. Na Itália, o grupo foi a Piedmont para a caça ao Tartufo Bianco com cães farejadores treinados para encontrar a iguaria (espécie rara de fungo muito apreciada na alta gastronomia e que pode chegar a custar 750 euros o quilo), cuja safra só acontece de outubro e dezembro. Por fim, em Portugal o ponto alto foi um almoço com Leitão à Bairrada (prato típico) em uma casa centenária. "Isso é uma experiência!", reforça Monica.

"Seguimos o ciclo da colheita das uvas nas vindimas brasileiras, no Uruguai e na Europa para que as pessoas possam aproveitar o cenário belíssimo das parreiras carregadas que é um cenário lindo e vamos continuar apostando nisso".

A receita parece estar dando certo. Até o momento, todos os eventos tiveram os ingressos esgotados antecipamente e a programação para 2019 já está definida, com roteiros pela Europa, Uruguai e Brasil. O festival de vinhos deve ser ampliado para outros locais do Estado. "É o nosso primeiro evento grande então vamos ampliar a experiência antes de levá-lo para outros locais do Brasil", pondera a empresária.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade