Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Esporte é um meio de melhorar notas e o desempenho intelectual das crianças

Prática fora de sala de aula ajuda desde e capacidade de leitura e resolução de cálculos, até a atividade mental e formação da cidadania

Por Roberta Diener, psicopedagoga, especial para a Inspira
Florianópolis
26/06/2018 às 15H45

Apostar em práticas que levem os alunos além dos limites da sala de aula. E, ainda que pareça controverso, sim, é possível melhorar notas e alavancar o desempenho intelectual das crianças em espaços externos. Um grande aliado fora da sala de aula para desenvolver competências técnicas e habilidades emocionais e cognitivas dos alunos de qualquer faixa etária é o esporte.

A prática de esporte deve ser considerada um instrumento pedagógico  - Divulgação/ND
A prática de esporte deve ser considerada um instrumento pedagógico - Divulgação/ND



Na prática, significa que, nas quadras onde praticam vôlei, futebol, basquete, patinação ou xadrez, entre outros tantos esportes, os alunos aprendem a se relacionar melhor com os colegas e professores, melhorar a capacidade de leitura, de resolução de cálculos, além de potencializarem a atividade mental, a memória e a tomada de decisões.

Muito mais do que uma simples atividade de descontração e lazer, a prática de esporte deve ser considerada um instrumento pedagógico tão importante quanto as outras áreas do conhecimento. Isso porque ele é capaz de contribuir, de forma significativa, na formação social e intelectual dos estudantes, possibilitando experiências práticas que exercitam as habilidades de se trabalhar em grupo, e também, habilidades individuais.

Estudos mostram que, além dos benefícios físicos, os exercícios geram alterações cerebrais. O cérebro é um órgão muito plástico e dinâmico e o esporte influencia nessa plasticidade neural.  Do ponto de vista emocional, os alunos desenvolvem com os jogos habilidades para melhorar a interação com colegas, o respeito ao próximo, o limite do outro, além de trabalhar agressividade, impulsos e sentimento de frustração nos casos de derrotas.

Atividades melhoram interação com os colegas - Divulgação/ND
Atividades melhoram interação com os colegas - Divulgação/ND



Em uma sociedade individualista, trabalhar a aceitação e a valorização do outro é algo muito importante e necessário. Ao mesmo tempo, o lado cognitivo ganha destaque: as táticas, esquemas de jogos e regras das partidas ajudam os alunos a melhorar a resposta em atividades na sala de aula, com crianças mais atentas, comprometidas e preparadas para lidar com questões como o tempo e organização nas tarefas do dia a dia, especialmente nas que exigem mais concentração e raciocínio.

Para além fronteiras, os alunos com alta performance nos esportes também podem garantir vagas em universidades fora do Brasil, que além do bom desempenho na prática esportiva, avaliam o histórico escolar e a proficiência na língua.

Assim, o esporte, como instrumento pedagógico, precisa se integrar às finalidades gerais da educação, de desenvolvimento das individualidades, de formação para a cidadania e se transformar num campo aberto para a exploração de novos sentidos/significados e, acima e tudo, de muitos novos aprendizados para a vida! Para uma vida dinâmica!

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade