Publicidade
Segunda-Feira, 12 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Cultura milenar do chá começa a conquistar o paladar brasileiro

Nutricionista e sommelière de chás, Luiza Kasulke fala sobre benefícios e ensina a preparar a bebida

Andréa da Luz
Florianópolis
26/08/2018 às 22H14

Por volta do ano 2.737 a.C., o imperador chinês Shen Nung fervia água para beber quando algumas folhas de uma árvore próxima caíram na panela, dando origem a um líquido acastanhado. Curioso, o imperador provou a bebida, achando-a muito refrescante. Começava ali a cultura milenar do chá, que se espalhou pelos continentes e hoje é a segunda bebida mais consumida no mundo. O país líder no consumo é a Turquia, onde o chá preto é o mais apreciado.

Luzia Kasulke, nutricionista e sommelière de chás - Daniel Queiroz/ND
Luiza Kasulke, nutricionista e sommelière de chás - Daniel Queiroz/ND


Resgatar essa história transforma um ato simples - beber uma xícara de chá - em uma verdadeira cerimônia de degustação. Os chás podem ser escolhidos a partir de uma necessidade ou benefício, e misturados a infusões ganham propriedades e sabores adicionais. Para fazer isso, é preciso entender um pouquinho mais sobre as combinações possíveis.

É aí que entra o trabalho da nutricionista e sommelière de chás Luiza Kasulke. Formada pelo Instituto Chá, em Curitiba, Luiza estudou a história da bebida, seus benefícios, composições e harmonizações com diferentes pratos, doces e ervas. À frente da Tea Shop, em Florianópolis - uma das maiores redes de lojas de chás gourmet da Espanha e do Brasil-, Luiza explica que são considerados chás apenas as bebidas provenientes da planta Camellia sinensis, que dá origem aos chás verde, branco, preto, vermelho e azul (Oolong).

"O que diferencia os chás é a forma como são produzidos, com maior ou menor oxidação das folhas. No caso do chá branco, a parte utilizada são os brotos e flores da planta", ensina. As demais bebidas, feitas com ervas, frutos e flores são chamadas infusões.

Os chás comerciais vendidos em saquinhos não são tão puros quanto os comercializados a granel. “Os chás a granel normalmente têm qualidade superior, pois são colhidos à mão, tendo o cuidado de separar qualquer coisa que não seja flores ou folhas e de descartar as partes mais envelhecidas”, diz a especialista.

Como fazer um bom chá

Na prática, o mais importante é saber como preparar a bebida da forma correta e a especialista dá as dicas. São três quesitos básicos para fazer o chá ou infusão da forma correta:

- usar a quantidade certa de produto (são 2g para cada 200ml de água);
- cuidar da temperatura da água, que muda de acordo com a erva utilizada, mas nunca deve ferver (para o chá branco, o ideal são 60 graus
Celsius; já para o chá preto, 95ºC);
- não ultrapassar o tempo ideal de infusão, o qual também varia de acordo com a matéria-prima utilizada (dois minutos para o chá verde, oito
para o gengibre e quatro para o chá preto, por exemplo).

Loja especializada em Florianópolis comercializa chás e infusões exóticos - Daniel Queiroz/ND
Quantidade de produto, temperatura da água e tempo de infusão são cruciais para se conseguir um bom chá - Daniel Queiroz/ND


Para facilitar a tarefa, há vários utensílios específicos para extrair o melhor aroma e as propriedades das folhas, frutos e ervas para um ótimo chá. No controle da temperatura, por exemplo, é possível utilizar uma chaleira elétrica - alguns modelos já vem com termostato, ou um termômetro (de preferência o infravermelho que não precisa ser mergulhado no líquido).

Infusores de vários tipos permitem que a erva fique mergulhada na água e já servem como 'peneira' para coar a bebida. Os modelos podem ser de cerâmica ou de inox e há modelos de canecas e bules que já vem com o infusor dentro. "No caso dos redondos do tipo cesto, a dica é escolher os maiores e encher apenas a metade, para que as folhas tenham espaço para inchar e o sabor possa ser extraído com eficiência. Eles são bem práticos, mas a desvantagem é que não permitem preparar mais do que 200ml de cada vez", explica Luiza.

O tempo de infusão pode ser controlado com ampulhetas, timer ou até mesmo o celular. Isso é importante porque algumas plantas tendem a ficar amargas se deixadas por um período maior do que o ideal.

Por fim, uma colher medidora que já vem com o tamanho exato, de dois gramas, é outra forma de facilitar o preparo. Quem não tem balança ou uma dessas colheres em casa pode se basear em uma medida aproximada de uma colher de sobremesa.

Mercado em crescimento

Aos poucos, a bebida começa a despertar maior interesse dos brasileiros. De acordo com a nutricionista, há um grande nicho a explorar embora os números sobre esse mercado no país ainda sejam escassos. "Um dos chás que está em alta no mercado internacional e que deve entrar com tudo no Brasil no ano que vem é o Matchá", aposta Luiza.

Ele nada mais é do que o chá verde triturado, mas essa forma de apresentação potencializa suas propriedades em até dez vezes. "Uma xícara do matchá equivale a dez do chá verde e por isso ele vem sendo utilizado em produtos de beleza e até na culinária", diz. “É uma ótima opção para quem precisa estudar porque ele é estimulante e, ao contrário do café, ele é absorvido no intestino, evitando gastrites", explica a especialista.

A Camellia sinensis é rica em compostos como catequinas, flavonoides e taninos, resultando em um excelente antioxidante, combatendo os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele. Também contém magnésio, potássio, ácido fólico, vitaminas C, K, B1 e B2 – essenciais para o bom funcionamento do organismo. Deve ser evitada por gestantes, crianças e pessoas com problemas no estômago, coração, rins, hipertireoidismo e pacientes em tratamento de quimioterapia.

Consumo de matchá deve aumentar a partir de 2019 no Brasil - Daniel Queiroz/ND
Consumo de matchá deve aumentar a partir de 2019 no Brasil - Daniel Queiroz/ND


Propriedades dos chás e de algumas infusões

Chás:
- Vermelho: é um chá fermentado, com leve teor antioxidante, indicado para baixar o colesterol, auxiliar no processo digestorio e em dietas
de emagrecimento;
- Verde: obtido das folhas frescas da árvore, tem alto teor antioxidante e adstringente (pode ficar amargo se passar dos dois minutos de infusão), é diurético e indicado para combater a retenção de líquidos. Benéfico para quem sofre de pressão alta e diabetes. Estimulante, é uma alternativa ao café;
- Preto: mais energético do que o chá verde, é obtido de folhas mais envelhecidas da Camellia sinensis;
- Azul (Oolong): parcialmente oxidado, não é tão estimulante, mas é um bom digestivo com sabor melhor do que a conhecida infusão de boldo;
- Branco: antioxidante e diurético, auxilia nos processos de cicatrização e estéticos.

Infusões:
- Rooibos: disponível na Tea Shop, a infusão feita com essa planta originária da África do Sul, pode ser utilizada sem restrições, inclusive por gestantes e crianças, principalmente por não ter efeito estimulante. “Essa infusão funciona como relaxante muscular, antialérgico (para rinites e dermatites tópicas), isotônico (substituto para os similares industrializados) e é excelente para quem está amamentando, pois os benefícios passam para os bebês, especialmente os que sofrem com alergias", ensina Luiza. Pode ser consumido quente ou gelado.
- Camomila: excelente calmante, diminui a ansiedade e a insônia;
- Hortelã: boa para a digestão e para baixar a pressão arterial;
- Hibisco: “o uso dessa flor popularizou-se no país, mas ele não tem efeito emagrecedor cientificamente comprovado”, afirma a especialista. Suas propriedades são mais laxativas e vasodilatadoras (diminui a pressão arterial);
- Jasmine Dragon Pearls: outra opção da Tea Shop, esse chá é feito com flores de jasmim colhidas à mão e embrulhadas em folhas de chá verde, formando umas bolinhas. Une as propriedades calmantes e digestivas do jasmim aos antioxidantes do chá verde, ideal para tomar sozinho em qualquer momento do dia.

Flores de jasmim envoltas por folhas de chá verde une propriedades calmantes, digestivas e antioxidantes - Daniel Queiroz/ND
Flores de jasmim envoltas por folhas de chá verde une propriedades calmantes, digestivas e antioxidantes - Daniel Queiroz/ND


A especialista também revela que as infusões florais, de maneira geral, são ótimas para as mulheres, porque ajudam a combater os efeitos da TPM (tensão pré-menstrual) e da menopausa. “Pode usar camomila, hibisco e flor de lavanda, por exemplo”.

Já as misturas mais frutadas adicionam vitaminas aos chás e contribuem para redução da vontade de comer doces. “Dá para usar maçã, pêssego, abacaxi ou laranja e o melhor é que dá para aproveitar as cascas da fruta, reduzindo o desperdício na cozinha”, ensina. No caso da utilização de cascas e raízes, essas podem passar pelo processo de decocção (fervura), por até dez minutos no máximo.

Receitas

Chá detox: misture chá vermelho com especiarias (canela, gengibre, cravo e cardamomo) até totalizar 4g. Deixe em infusão em 200ml de água a 95ºC por três minutos. Coe e adicione 200ml de leite de amêndoas aquecido ao chá.

Chá com gim e tônica: 4g da infusão Rooibos* mais alecrim e casca de limão. Misturar em 70ml de gim por 5-10 minutos e completar o copo com água tônica e gelo.

Chá para crianças (gelado): 6g das infusões Rooibos* + La Provence* (contém groselha, alfazema, malva e folhas de hortelã). Deixe a mistura em infusão por cinco minutos em 200 ml de água a 95ºC. Coe e preencha o copo com gelo.

*Disponíveis na Tea Shop.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade