Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Cover dos Mamonas Assassinas relembra os 16 anos sem o grupo com show na Capital na sexta (2)

Integrantes do grupo paranaense Mamonas Cover Brasil eram crianças quando a banda paulista morreu num acidente aéreo, em 1996

Carol Macário
Florianópolis
Divulgação / ND
Banda apresenta show cover no dia do aniversário de morte dos Mamonas Assassinas

Até quem não gostava da onipresença dos Mamonas Assassinas na TV, na rádio, na ponta da língua de crianças e adolescentes do Brasil inteiro sucumbiu ao inegável charme do inusitado grupo paulista. Quando sofreu um acidente aéreo há exatos 16 anos, no dia 2 de março de 1996, a banda somava apenas sete meses de formação e um disco lançado. Em contrapartida, alcançou a incrível marca de 3 milhões de cópias vendidas e a eternidade garantida. Para os saudosos do rock-besteirol, o grupo paranense Mamonas Cover Brasil apresenta sexta (2) em Florianópolis um show para reviver os primeiros anos da década de 90.

“Lembro que quando eles tocaram na minha cidade, meus pais não me deixaram ir por causa do conteúdo das músicas”, lembra o músico Eduardo Cauduro, 26. Ele e a maior parte dos integrantes do grupo cover tinham dez anos quando ocorreu o acidente. “Ainda hoje me emociono quando lembro”, diz. Cauduro é o vocalista da banda Mano Ed, que há dois anos divide o tempo compondo canções próprias e interpretando os Mamonas Assassinas em shows pelo Estado.

O grupo aposta no figurino para impressionar. “Tem o chapolim, o presidiário e até o coelho”, diz Cauduro. O cover dos Mamonas Assassinas tem aberto muitas portas para a banda do Paraná. “Nós já tocamos um som similar, uma mistura de rock divertido com outros ritmos, até que amigos e o público começaram a nos comparar com eles”, afirma. A cada apresentação a banda presta homenagem aos Mamonas pedindo ao público aplausos. “Quase todo mundo se emociona”.

Besteirol, escracho e rock

Quando lançaram o primeiro e único álbum gravado em estúdio, em 1995, os Mamonas Assassinas tiveram praticamente todas as suas canções nas paradas de sucesso, desde o escrachado “Sabão Crá- Crá” até “Pelados em Santos”, “Robocop Gay” e “Vira-Vira”. O segredo do estrondo na música brasileira foi a total falta de vergonha misturada à criatividade e ousadia para mesclar punk rock, forró, pagode, sertanejo, brega e heavy metal com letras improváveis.

 

Mujica/Folhapress/Divulgação/ND
Grupo sofreu um acidente aéreo fatal quando voltava de um show

A banda surgiu em 1990 com o nome de Utopia, em Guarulhos, e apresentava-se na região metropolitana de São Paulo, até perceber que as palhaçadas agradavam mais que os covers sérios que faziam. Foi quando conheceram o produtor Rick Bonadio e assumiram o perfil comédia para então cair nas graças do país.

Dinho (vocal), Bento Hinoto (guitarra), Júlio Rasec (teclado), Samuel Reoli (baixo) e Sérgio Reoli (bateria) morreram em um acidente aéreo quando voltavam de um show em Brasília, há poucos minutos do pouso no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

Serviço:

O quê: Show Mamonas Cover Brasil
Quando: 2/3, 22h
Onde: John Bull Pub, av. das Rendeiras, 1.046, Lagoa da Conceição, Florianópolis, tel. 3232-8535
Quanto: R$ 25

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade