Publicidade
Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 32º C
  • 22º C

Cores de Aidê comemora três anos de existência e resistência lançando primeiro trabalho

Grupo de samba reggae de Florianópolis, formado 100% por mulheres, fará show gratuito e aberto no CIC, neste sábado (17)

Luciano Vitor - especial para o ND
Florianópolis
15/11/2018 às 19H51
Grupo lança  “Quem É Essa Mulher?”, com canções de luta, orgulho e independência feminina - Toia Oliveira/Divulgação/ND
Grupo lança “Quem É Essa Mulher?”, com canções de luta, orgulho e independência feminina - Toia Oliveira/Divulgação/ND

Após três anos de existência e resistência, o grupo de samba reggae Cores de Aidê lança no próximo sábado (17) seu primeiro trabalho, “Quem É Essa Mulher?” no Teatro do CIC, em Florianópolis, em um show gratuito.

Em pleno 2018 ultrapassa o campo simbólico um grupo formado 100% por mulheres das mais diversas etnias cantar e celebrar através do samba reggae, canções de luta, orgulho e independência feminina. Se passou pela sua cabeça caro leitor que todas as pessoas, independente de sua cor, credo e sexo não possam comungar uma opinião através da música e se expor através dela, certamente você não acredita na transformação do individuo e do coletivo através da arte e por ela, poder se comunicar da maneira mais universal possível.

Cores de Aidê surgiu da necessidade de se comunicar com uma geração mais politizada e principalmente se libertar das amarras do patriarcado ao investir em um trabalho 100% feminista e porque não, feminino, mas sem abandonar a luta!

O grupo nasceu da mente de Sarah Massí, atual regente e também percussionista do grupo. Sarah que sempre pensou no coletivo como instrumento transformador para através desse, agregou histórias que pudessem trazer novas cores e ideais para a ideia principal da Cores de Aidê: a luta e independência das mulheres.

Primeiro álbum do grupo feminino e feminista se chama “Quem É Essa Mulher?”  - Divulgação/ND
Primeiro álbum do grupo feminino e feminista se chama “Quem É Essa Mulher?” - Divulgação/ND

Através da alegoria da escrava que foge do engenho (Aidê) para evitar um casamento forçado com o sinhozinho e assim encontrar seus irmãos e irmãs no quilombo, negando-se dessa forma, a compactuar da liberdade comprada, o grupo consegue fazer a ponte para os dias atuais. Aidê acredita na liberdade conquistada e na luta como instrumento de resistência.

Assim, de maneira resumida, se contextua o grupo. Existência, resistência e independência dos modelos tradicionais impostos por uma sociedade opressora. No próximo sábado, Florianópolis será palco de um dos mais originais grupos criados na ilha. Maiores informações em: http://coresdeaide.com.br/ 

Serviço:

O quê: Show de Lançamento do CD “Quem É Essa Mulher”.
Quando: 17/11, 20h
Onde: Teatro do CIC
Endereço: Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Florianópolis 
Quanto:  Gratuito                       

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade