Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Como é a dinâmica dos espaços museológicos administrados pelo Estado na Capital?

Em entrevista, o presidente da FCC explica como funciona a comissão de pautas e como são definidas as mostras nos museus de Florianópolis

Carol Macário
Florianópolis

Rosane Lima / ND
Museu Histórico de Santa Catarina / Palácio Cruz e Sousa é um dos espaços administrados pela FCC

No ano passado, a artista Eli Heil, 86, uma das mais importantes do Estado, celebrou 50 anos de carreira artística. O marco, no entanto, não mereceu exposição no Masc (Museu de Arte de Santa Catarina). Joceli de Souza, presidente da FCC (Fundação Catarinense de Cultura) – entidade que administra o museu – explica que a seleção das mostras “varia conforme a missão de cada museu.” Em Florianópolis, os três principais museus administrados pela Fundação são o Masc, o MIS (Museu da Imagem e do Som) e o MHSC (Museu Histórico de Santa Catarina).

Até o começo deste ano, as exposições e atividades realizadas nessas instituições eram decididas sem o respaldo de uma comissão técnica e exclusiva para as especificidades de cada espaço. Depois da assinatura de três portarias em 24 de janeiro, foram constituídas comissões para cada um. “Os membros das comissões são acionados sempre que necessário e a demanda de pautas exigir”, afirma Souza. Segundo ele, as reuniões são agendadas conforme a demanda. Até o momento foram agendadas duas reuniões para cada um dos museus.

No Masc, a agenda de exposições está fechada até o final do ano. A artista Flávia Fernandes abre a próxima mostra amanhã, que segue até 28 de julho. Em seguida quem expõe é Tércio da Gama, entre 7 de agosto de 13 de setembro, depois Luciano Martins, entre 25 de setembro e 27 de outubro. O 11º Salão Victor Meirelles está previsto para novembro, dezembro e janeiro de 2014.

MHSC tem agenda morna

Com uma agenda dinâmica de atividades culturais até 2010 / 2011, o Museu Histórico de Santa Catarina / Palácio Cruz e Sousa esbarra atualmente num circuito lento de mostras. Entre 22 de outubro do ano passado e 2 de junho deste ano o espaço sediou apenas uma exposição, “Guerra do Contestado: 100 anos de Memórias e Narrativas”. Sobre isso, Joceli de Souza responde que as exposições de artistas plásticos no local era uma situação temporária por conta do fechamento do Masc, em razão das obras do CIC. “Não cabe ao MHSC manter esse tipo de programação porque foge da temática desse museu. Cabe ao MHSC dedicar-se às exposições de história, sociologia e outras do gênero.”

A agenda de exposições para os próximos meses na Sala Martinho de Haro, no entanto, é contraditória: entre 10 de outubro e 10 de novembro, Scott Macleay expõe fotos contemporâneas. Depois é a vez da exposição “Floripa na Foto”, entre 23 e 26 de outubro e, por fim, será aberta a exposição “Veio da Terra”, com curadoria de Carlos Alberto Franzoi, entre 14 de novembro e 23 de fevereiro de 2014. De hoje até outubro, ficará um hiato no museu.

Quem é quem das comissões de pautas

Comissão do MIS

- Cristiane Pedrini Ugolini (Administradora do MIS-SC)
- Renilton Roberto de Assis (museólogo da FCC)
- Soraya Bianchini (gerente de logística e eventos da FCC)
- Felipe Artur Gomes (funcionário da FCC/TAR e técnico na área de vídeo)
- Ivan Schmidt (representante do governo, gerente de projetos da FCC e técnico da área de música)
- Frederico Campos Didoné (representante da Associação dos Amigos do MIS-SC)
- Gabriela Bresola (diretora de comunicação e acervo da Associação Cinemateca Catarinense)
- Carlos Stegemann (secretário geral da Associação Catarinense de Imprensa)
- Lincoln Thiego Espíndola (representante da Ordem dos Músicos do Brasil).

Comissão do Masc

- Ligya Helena Roussenq Neves (administradora do Masc)
- Ronaldo Linhares (técnico da FCC)
- Renilton Roberto de Assis (museólogo da FCC)
- Soraya Bianchini (gerente de logística e eventos da FCC)
- Carlos Stegmann (Secretário Geral da Associação Catarinense de Imprensa ACI)
- Péricles Prade (presidente da Academia Catarinense de Letras)
- Onor Filomeno, presidente da Associação Amigos do Museu de Arte de Santa Catarina

Comissão do MHSC

- Vanessa Borovisky (administradora do MHSC)
- Fábio Richter (historiador FCC)
- Renilton Roberto de Assis (museólogo da FCC)
- Soraya Bianchini (gerente de logística e eventos da FCC)
- Márcia Carlsson (lotada no MHSC)
- Ana Lúcia Bergmann (representante da Associação dos Amigos do Museu)
- Nereu do Vale Pereira (representante do Instituto Histórico  e Geográfico de Santa Catarina)
- João Batista Soares (representante da Associação Catarinense de Imprensa)
- Janice Gonçalves (profissional  da área de história, indicada pelo departamento de  história, do Centro de Ciências Humanas e de Educação da Udesc)

Saiba mais:

Os teatros administrados pelo Estado, por meio da FCC, são o Ademir Rosa e Álvaro de Carvalho. A curadoria dos espetáculos é feita pelos membros da comissão de pautas, formada por nove membros.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade