Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Ciclo de cinema traz 14 filmes dirigidos por mulheres ou que abordam questões femininas

A ideia do festival europeu é estimular a proximidade entre o Brasil e a União Europeia

Redação ND
Florianópolis
28/05/2017 às 18H41

Desta segunda-feira (29) até sábado (3), o cineclube da Fundação Cultural Badesc, em Florianópolis, recebe o 13º Festival de Cinema Europeu, evento realizado em 12 capitais brasileiras e no Distrito Federal. Na capital catarinense serão exibidos 14 filmes de países como Alemanha, Suécia, França, Itália, Hungria, Espanha, Dinamarca e Eslováquia. Entre as produções está “Hannah Arendt”, premiada em festivais no Canadá e nos Estados Unidos e que tem a atriz Barbara Sukova no papel principal.

"De sua janela à minha" está entre os filmes exibidos no festival - Divulgação/ND


Este ano, o festival traz o tema Mulheres em Cena, selecionando prestigiadas produções dirigidas por mulheres ou que abordam questões femininas. Além de “Hannah Arendt”, aparecem “Belleville Baby”, “O menino na ponte”, “Pânico”, “Tigres na cidade”, “Marie Krøyer”, “De sua janela à minha”, “Nossa estrangeira”, “O primeiro cargo”, “Marcela”, “Mamãe e outras figuraças da família”, “A excêntrica família de Antônia”, “Amália – O filme” e “O caminho de Halima”.

De acordo com a presidente da Eunic (Associação dos Institutos Culturais, Embaixadas e Consulados de países membros da União Europeia), Lieselotte Pellens, a ideia do festival é estimular a proximidade entre o Brasil e a União Europeia. “Diversidade é uma palavra chave tanto para o Brasil quanto para a EU”, explica Lieselotte. “É como um terreno fértil onde novas ideias podem brotar e a criatividade florescer”. Todas as sessões são gratuitas.

>> Confira a programação completa

Dia 29, segunda-feira
17h – “Hannah Arendt”, de Margarethe von Trotta. Alemanha, 2012, 112 min. Drama, biografia. A história da filósofa e cientista política alemã Hannah Arendt, especificamente sua cobertura sobre o julgamento do oficial nazista Adolf Eichmann na Nova York da década de 1950.
19h – “Belleville Baby”, de Mia Engberg. Suécia, 2013, 75 min. Drama. Um amante do passado liga para uma diretora de cinema e diz a ela que passou vários anos na prisão. Com isso voltam diversas lembranças, inclusive do dia em que ele desapareceu.

“Hannah Arendt”, de Margarethe von Trotta será exibido nesta segunda-feira - Divulgação/ND
“Hannah Arendt”, de Margarethe von Trotta será exibido nesta segunda-feira - Divulgação/ND



Dia 30, terça-feira
17h – “O menino na ponte”, de Petros Charalambous. Chipre. 2016. 85 min. Drama. Sócrates, de 12 anos, passa os dias de bicicleta pelas ruas de sua vila, brincando e atormentando os residentes locais. Sua vida despreocupada chega ao fim quando descobre que sua tia e um primo sofrem violência doméstica.
19h – “Pânico”, de Barbara Zemljič. Eslovênia. 2013. 103 min. Drama, comédia. Vera, uma quarentona entediada e presa em sua rotina, torna-se obcecada com a ideia de que nunca mais vai se apaixonar.

Dia 31, quarta-feira
17h – “Tigres na cidade”, de Juraj Krasnohorský. Eslováquia. 2012. 100 min. Comédia, drama. Uma tentativa de retratar aqueles que estão na faixa dos 30 anos e começam a ver a vida de uma forma séria.
19h – “Marie Krøyer”, de Bille August. Dinamarca. 2012. 103 min. Drama, romance. Marie Krøyer foi pintora, casada com o também pintor dinamarquês P. S. Krøyer. No auge do seu casamento, a doença mental dele fica cada vez mais grave e Marie tem de se dividir entre os cuidados com a família e a arte.

 “Marie Krøyer”, de Bille August também está na lista de exibições - Divulgação/ND
“Marie Krøyer”, de Bille August também está na lista de exibições - Divulgação/ND


Dia 1, quinta-feira
17h – “De sua janela à minha”, de Paula Ortiz. Espanha. 2011. 107 min. Drama. Violeta, Inês e Luisa são mulheres de idades diferentes, cujos dias transcorrem em aparente placidez do outro lado da janela.
19h – “Nossa estrangeira”, de Sarah Bouyain. França, Burkina Faso. 2010. 82 min. Drama. Jovem sai de Paris e retorna à terra natal, Burkina Fasso, procurando sua mãe, da qual foi separada aos oito anos. Paralelamente, uma burquinense procura desesperadamente por sua filha em Paris.

Dia 2, sexta-feira
15h – “O primeiro cargo”, de Giorgia Cecere. Itália. 2011. 90 min. Drama. Em 1953, jovem professora assume cargo em um vilarejo da Puglia, onde encontra uma realidade hostil e quase arcaica.
17h – “Marcela”, de Helena Trestíková. República Tcheca. 2007. 80 min. Documentário. A vida de uma cidadã tcheca ao longo de várias décadas, mostrando sua luta diária e as tragédias vividas.
19h – “Mamãe e outras figuraças da família”, de Ibolya Fekete. Hungria. 2015. 108 min. Drama. A história de quatro gerações de mulheres durante o século 20 na Hungria, passando pelas mudanças que o país atravessou, como guerras mundiais e tratados de paz.

Dia 3, sábado
14h – “A excêntrica família de Antônia”, de Marleen Gorris. Países Baixos. 1995. 102 min. Comédia dramática. Comandada por Antônia, uma saga familiar atravessa três gerações, falando de de beleza e de escolhas que desafiam o tempo.
16h – “Amália – O filme”, de Carlos Coelho da Silva. 2008. 127 min. Drama, biografia. Retrato romanceado de um período longo da vida da fadista Amália Rodrigues, figura fundamental na história do século 20 português.
18h30 – “O caminho de Halima”, de Arsen Anton Ostojić. Croácia. 2012. 83 min. Drama. Corajosa mulher muçulmana tenta encontrar os restos mortais do filho morto na guerra da Bósnia.

>> Serviço

O quê: Festival de Cinema Europeu
Quando: de 29 de maio a 3 de junho
Onde: Fundação Cultural Badesc (rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis, telefone 3224-8846)
Quanto: entrada gratuita (distribuição de ingressos a partir de uma hora antes de cada sessão)

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade