Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

CIC celebra 35 anos se mantendo na proposta de integrar a arte de Santa Catarina

Nesta terça-feira ocorre uma programação especial gratuita para comemorar a data

Redação
Florianópolis
14/11/2017 às 09H05

No dia em que o CIC (Centro Integrado de Cultura), em Florianópolis, completa 35 anos de seu lançamento ocorre uma agenda de atividades comemorativas. A programação desta terça conta com exposições, visitas mediadas, grafite no hall do CIC, além de apresentação de piano e uma edição especial do Cinema ao Vivo. 

O edifício foi um marco para o Estado ao abrigar em um único espaço museu, teatro, cinema, formação e administração - Flavio Tin/ND
O edifício foi um marco para o Estado ao abrigar em um único espaço museu, teatro, cinema, formação e administração - Flavio Tin/ND


O CIC foi construído para abrigar as diversas formas de manifestação da cultura artística de Santa Catarina. Inaugurado em 1982, poucos sabem, mas o complexo de quase 10 mil metros quadrados homenageia o Henrique da Silva Fontes (1885-1966), que esteve ligado à fundação da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), foi professor universitário, desembargador, pesquisador da história catarinense, além de membro da Academia Catarinense de Letras. 

Mary Garcia, diretora de difusão artística da FCC, diz que mesmo 35 anos depois de sua abertura, o CIC representa muito fortemente a proposta de integração. “Isso tem uma lado positivo muito grande, possibilitando a integração artística, trabalhos de diferentes linguagens, e com a facilidade de concentrar tudo no mesmo lugar em uma cidade que a locomoção está cada vez mais difícil. É um privilégio termos um equipamento como CIC”, coloca ela.   

O Masc tomado por exposição, que visita especial nesta terça - Flavio Tin/ND
O Masc tomado por exposição, que visita especial nesta terça - Flavio Tin/ND


Dentro de sua estrutura, estão espaços como o Masc (Museu de Arte de Santa Catarina), o MIS/SC (Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina), o Teatro Ademir Rosa, o Cinema do CIC, o Espaço Lindolf Bell, a Biblioteca de Arte e Cultura, as Oficinas de Arte, a Escolinha de Arte, o Atecor (Ateliê de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis), além de toda a estrutura administrativa da FCC (Fundação Catarinense de Cultura). 

A diretora afirma que atualmente só não está em funcionamento a sala de teatro e a de dança, mas que esta última deve ser entregue a comunidade artística novamente em breve. Outra questão é o edital das oficinas de arte, que será lançando ainda em novembro. “A proposta dessa vez é bastante contemporânea e aberta a ideias que integrem, abordando novas manifestações que estão acontecendo na cidade”, diz.   

Programação integrada 

A Orquestra Manancial da Alvorada faz novamente a trilha sonora ao vivo para o clássico “Tempos Modernos”, de Charles Chaplin, em sessão com entrada gratuita na noite desta terça, às 19h, no Cinema do CIC. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes, na entrada do Cinema, por ordem de chegada.  

/a escada para o teatro com o café ao centro. A convivência facilitada - Flavio Tin/ND
A escada para o teatro com o café ao centro. A convivência facilitada - Flavio Tin/ND


Um pouco antes, às 18h, no hall do CIC, o pianista Harold Auras faz um concerto aberto ao público. Auras é natural de Urubici e estudou na Escola Superior de Música de Blumenau. É formado pela UDESC, no curso de Educação Artística, com habilitação em música e atuou como recitalista nas principais cidades do Brasil. 

Os artistas da Escolinha de Arte da FCC expõem suas obras até o dia 23 no Espaço Lindolf Bell, no Centro Integrado de Cultura. Esta é a 60ª edição da mostra que apresenta as produções artísticas desenvolvidas durante todo o ano de 2017 pelos 214 alunos com idade de 5 a 12 anos que participam do projeto.  

O artista e grafiteiro Thiago Valdi, que recentemente grafitou a imagem de Franklin Cascaes em um prédio no Centro de Florianópolis, vai assinar com outros colegas o novo grafite do hall central do CIC. O manezinho retornou esta semana de um trabalho na França. 

O Masc segue com a mostra do que será a celebração dos seus 70 anos de criação no ano que vem, trazendo seu acervo, além da nova ocupação do projeto Clarabóia e uma justa homenagem à artista plástica Eli Heil, que faleceu neste ano. O destaque é a exposição “Sensos e Sentidos”, da coleção de Jeanine e Marcelo Collaço Paulo, que reúne 120 obras. No museu haverá hoje duas visitas mediadas, às 16h e às 20h, basta estar no local no horário. As vagas são limitadas a 35 participantes por sessão e serão preenchidas por ordem de chegada. 

Serviço

O quê: 35 anos do CIC
Quando: 14/11, ao longo do dia
Onde: CIC, avenida Irineu Bornhausen, Agronômica, Fpolis
Quanto: gratuito

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade