Publicidade
Sábado, 19 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 24º C

Camerata Florianópolis já prepara repertório para tocar no Rock in Rio 2015

Cinquenta músicos irão viajar para o Rio de Janeiro para se apresentarem no maior festival de música da América Latina

Marciano Diogo
Florianópolis
Bruno Ropelato/ND
Alberto Heller, Iva Nunes, Jéferson Della Rocca se preparam para tocar no festival


A contagem regressiva já começou para a maior orquestra da Capital: em menos de seis meses a Camerata Florianópolis vai tocar no maior festival de música da América Latina. Na última semana foi anunciado que o grupo irá tocar no Rock in Rio 2015 no dia 25 de setembro ao lado do Steve Vai, um dos maiores guitarristas do mundo. A Camerata já prepara o repertório especial para a apresentação – e adianta que irá compor uma música especial somente para o evento. “A notícia foi inesperada, o diretor artístico do Rock in Rio assistiu a nossa ópera Carmem em novembro de 2013. Depois disso, ele chegou a acompanhar outra apresentação e elogiou nosso desempenho nos bastidores. Até que recebemos o convite na semana passada via telefone, quando o Steve assistiu aos vídeos da Camerata e um produtor perguntou se tínhamos interesse em tocar no Rock In Rio com ele. Nunca imaginamos em tocar no maior festival do país, para um milhão de pessoas. Normalmente tocamos para no máximo mil pessoas, vai ser muita diferença”, afirmou o maestro Jefferson Della Rocca.

A Camerata Florianópolis irá com sua formação sinfônica completa para o show no Rock in Rio 2015: serão 50 músicos que tocam instrumentos de corda, sopro, metais e percussão. O compositor do grupo, o argentino Alberto Heller, que desde 2000 faz parte da Camerata, também vai tocar piano e teclado na apresentação no festival. “O Steve tem um trabalho profundo de pesquisa musical. Faremos uma pesquisa sonora conjunta com ele para termos essa troca no palco”, adiantou Heller. A maior parte do show no Rock in Rio será do trabalho autoral do Steve Vai, mas a Camerata também trará sua personalidade para o palco Sunset, onde realizará o show principal da noite acompanhada do guitarrista.

A Camerata Florianópolis também traz experiência no gênero musical que batiza o festival. A orquestra já realizou mais de 20 shows do Rock’n Camerata, espetáculo em que o grupo interpreta canções clássicas do rock mundial, como as de Led Zeppelin e AC/DC. “Essas experiências foram degraus necessários para chegarmos nesse momento. O show de rock tem muita energia, interação direta com o público, é preciso ‘incendiar’ as pessoas. Mas o mais interessante é que vamos quebrar essa posição muito estigmatizada que separa o roqueiro do musicista clássico. Somos todos músicos, na pós-modernidade vivenciamos essa simultaneidade de estilos musicais”, observou o compositor Heller.

Quanto à preparação com o guitarrista Steve Vai, a orquestra da Capital fará pelo menos dois ensaios com o artista, já agendados para os dias 23 e 24, na véspera do show. Além dos ensaios, em junho o maestro Della Rocca e o compositor Heller devem se encontrar com Steve Vai para preparar o material para apresentação: fazer uma prévia das composições e alinhar os arranjos. “Antes disso também faremos troca de informações, eles vão nos enviar os arranjos que têm prontos e nós faremos o mesmo”, concluiu Della Rocca.

Show meio ópera rock
Fundada em 1994, a Camerata Florianópolis é uma das mais atuantes orquestras de Santa Catarina. No dia 25 de setembro, o grupo vai realizar show no o palco Sunset , espaço do Rock in Rio destinado a encontros únicos, como jams ou shows especiais. No mesmo dia da apresentação histórica, também haverá shows do Nightwish e Jukka Nevelaine, Moonspell e Derrick Green, e Clássicos do Terror, com André Abujamra, André Moraes, Constantine Maroulis e The Heavy Metal Allstars. O Rock in Rio acontece nos dias 18 a 20 e 24 a 27 de setembro na Cidade do Rock, no Rio de Janeiro.

O show da Camerata com Steve Vai será o principal da noite, e deve durar cerca de uma hora e meia. “Já estou com várias ideias na cabeça. Vamos sugerir produzir algo tipo ópera rock, com uma soprano lírica e a participação do nosso violoncelista, que também tem um desempenho vocal. Faremos uma obra escrita especialmente para esta ocasião, uma música totalmente nova”, conta o compositor Heller, que reforça a disposição para o diálogo do guitarrista para o show no Rock in Rio “o mais bacana é essa disposição de abertura que há por parte dele, ele não quer somente uma orquestra para acompanhá-lo”. 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade