Publicidade
Sexta-Feira, 24 de Março de 2017
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 21º C

Boteco em Coqueiros homenageia um dos grandes nomes do teatro e cinema de Florianópolis

O Seo Brazil - Boteco sim senhor, inaugurado em janeiro, foi idealizado por três netos de Waldir Brazil, que morreu em 2006

Karin Barros
Florianópolis
17/03/2017 às 11H17
Seo Brazil - Marco Santiago/ND
Serginho Brasil e Antônio Dourado são dois dos três sócios do Seo Brazil - Boteco sim senhor - Marco Santiago/ND




Um legítimo boteco manezinho, mas sem falar da tarrafa, da tainha ou do linguajar local. O Seo Brazil – Boteco sim senhor, inaugurado em janeiro, no bairro Coqueiros, trata de uma Florianópolis da década de 1930 e 1940 onde viveu Waldir Brazil, ator de teatro, rádio e cinema e compositor, que morreu em 2006, aos 86 anos de idade. 

Idealizado pelos três netos - o designer gráfico Antônio Dourado, o administrador Dudu Brasil, e por Serginho Brasil, formado em turismo e sócio fundador do Quinteto Samba Aí - o local já nasceu com uma história de peso e que deve ser conhecida pelos moradores da Capital. Nas paredes do bar, um acervo gigantesco de fotos em preto e branco da vida e carreira de Waldir, que estavam sob cuidados do tio, o artista plástico Neno Brazil. 

Desde sua vivência no antigo Largo 13 de Maio – em frente a Alesc -, no Centro, a passagem pela aeronáutica e o primeiro emprego: levar rolos de filme de um cinema para o outro, aos oito anos de idade. Foi assim, ainda pequeno, que Waldir começou a se interessar pelas artes cênicas, e imitava em casa os atores de Hollywood da década de 1930.

Depois de deixar a aeronáutica, entrou no circuito musical e artístico da cidade. Estreou nos palcos aos 18 anos e na primeira peça, entre o elenco, conhece a mulher que foi casado o resto da vida. Em 1938 fundou o Demônios do Ritmo, grupo que teve destaque no sul do país, e que o ex-governador Aderbal Ramos da Silva tanto apoiou. Waldir passou pelo teatro da União Operária, teve entre os personagens de destaque o Zecatal, e em 1950 se aproximou do rádio. O ator ainda fez parte do elenco do primeiro longa-metragem gravado em Florianópolis, promovido pelo grupo Sul, liderado por Salim Miguel, “O preço da ilusão”. 

Entre 1970 e 1980, Waldir já era um agitador cultural reconhecido em Florianópolis e ganhou ainda mais destaque no cinema, conquistando o Sol de Prata – prêmio que só ele tem no Estado, pelo protagonismo no filme “Manhã”, com Ademir Rosa. Até o final da vida esteve atuante nos filmes gravados na Capital, entre eles, cinco com o cineasta Zeca Nunes Pires. 

Waldir Brazil - Reprodução Acervo Pessoal/Marco Santiago/ND
Waldir Brazil contracenou com Antônio Fagundes - Reprodução Acervo Pessoal/Marco Santiago/ND


Toda essa história profissional marcou a família Brasil ao ponto de acharem justo homenagear o homem, que além de tudo era um clássico boêmio, com um boteco. No Seo Brazil é possível comer de tudo que se espera em um bar com cerveja gelada. O diferencial está nos nomes dos pratos e suas inspirações.

A maioria remete a comidas de boteco que Waldir gostava de apreciar em um bar da época ou nos pratos que fazia questão em casa, como a roupa velha, que foi reeditada para uma costela desfiada acompanhada de pão e farofa, chamada “De cinema”, que serve um casal por R$ 39.

O feijão com a receita de família do tio Betão também entrou no cardápio, mas no formato de bolinho de feijão com queijo provolone. Outras porções com um quilo de carne e acompanhamentos de aipim, batata ou polenta, pastel, bolinho de carne e muitos mais, também são de encher os olhos. 

Seo Brazil - Marco Santiago/ND
Bolinho de feijão do Betão é feito com o feijão tradicional da família Brasil - Marco Santiago/ND


O bar optou por, junto das cervejas e chope, incluir uma carta de caipirinhas, que costuma agradar as mulheres. Elas contam com nomes curiosos, como “Beijinho doce”, da música de Tonico e Tinoco, Topázio, um antigo boteco da Capital, e “Curto circuito”, uma peça premiada dirigida por Isnard Azevedo e que Waldir participou do elenco. O boteco funciona de terça a sexta apenas a noite, e no sábado e domingo, eles servem um “almoço típico de boteco”, onde o cliente escolhe uma porção do cardápio e ela vem acompanhada de arroz, feijão e salada. 

No som do boteco, os netos e sócios, que herdaram o dom da música do avô, dão prioridade para coisas que o avô ouvia, como Noite Ilustrada, Cartola, Demônios da Garoa e Paulinho da Viola. Da nova geração, o critério tem que ser de muito bom gosto, com canções de Maria Rita, Diogo Nogueira e Teresa Cristina, por exemplo. As apresentações ao vivo acontecem pontualmente e são informadas pelas redes sociais do bar.

Serviço
O quê: Seo Brazil – Boteco sim senhor
Quando: de terça a sexta, das 18h30 a 1h; sábado, das 12h à 1h, e domingo, das 12h às 19h
Onde: rua Euclides da Cunha, 16, Coqueiros, Fpolis

Publicidade

1 Comentário