Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Autora de Florianópolis realiza a primeira tradução integral do conto ‘Bela e a Fera’

Lançamento do livro que tem a tradução de Marie-Hélène C. Torres ocorre neste domingo

Marciano Diogo
Florianópolis
Reprodução/ND
Livro tem excepcionais traços góticos do desenhista francês Laurent Cardon 


A fábula é reconhecida por muitos, porém poucos conhecem a história original. A moradora da Capital Marie-Hélène C. Torres realizou a primeira tradução integral no Brasil do tradicional conto de fadas francês “Bela e a Fera”, e lança o livro neste domingo em Florianópolis. Originalmente escrito em 1740 por Gabrielle-Suzanne Barbot, a Dama de Villeneuve, e modificado em 1756 por Jeanne-Marie LePrince de Beaumont, o conto recebeu dezenas de adaptações e versões no mundo da história original. Porém a publicação que tem lançamento neste fim de semana promete ser a tradução mais fiel já feita no Brasil da clássica história.

“O conto ‘Bela e a Fera’ nunca foi traduzido integralmente no Brasil, só existem adaptações. E adaptação não é tradução. As adaptações contemporâneas refletem uma grande vontade de apropriação e tentam minimizar as diferenças entre o universo linguístico e cultural da obra-fonte e o da adaptação, por isso há tanta diferença entre os textos”, explica a tradutora e professora da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) Marie-Hélène C. Torres. A tradução feita pela autora é a primeira obra lançada pela editora Poetisa, que foi criada recentemente.

Hélène realizou a tradução do texto original escrito no século 16 e por isso, diversas características da história são diferentes da mais conhecida pelo grande público. No conto original, além de ter duas irmãs maldosas, Bela também é abençoada com a presença de uma fada-madrinha. “A fada-madrinha é um personagem essencial para a moral final da história. A personagem pune as duas irmãs de Bela pelo orgulho, a ira, a preguiça e inveja delas, transformando-as em estátuas de pedra”, revela a autora francesa, que reside na Capital há alguns anos.

Outro fator interessante é que na obra literária original, os personagens não tem nome, somente a Bela e a Fera. A autora nascida em Bordeaux, na França, e naturalizada brasileira desde 1993, tem uma experiência vasta com traduções, porém este foi seu primeiro trabalho com um conto de fadas. “Mantive todas as características essenciais do texto. Sou tradutora há muitos anos, e já traduzi poesias, textos teóricos e para o público infantil e juvenil, traduzi recentemente poemas de Victor Hugo”, conta Hélène.

Linguagem e ilustração diferenciada
O livro lançado neste domingo à noite em Florianópolis, “Bela e a Fera”, tem uma linguagem simples e acessível. Marie-Hélène relata que como a história foi originalmente escrita para crianças, procurou manter a escrita pouco rebuscada. “Tentei conservar o estilo simples, quase infantil, do texto francês, com repetições e frases curtas sem conectivos“, observa a tradutora. Se a linguagem do livro é quase infantil, as ilustrações nem tanto. A publicação diferencia-se com os excepcionais traços góticos do desenhista francês Laurent Cardon e a tipografia com estilo antigo, que constroem uma narrativa emocionante para crianças e adultos.

Serviço:

O quê: Lançamento do livro “Bela e a Fera”. 

Quando: 7/12, 17h às 20h

Onde: Casa de chá Mayra Pauli, rua coronel Maurício de Souza, 1020, Santa Mônica, Florianópolis, tel. 3234-2339.

Quanto: Gratuito.

“Bela e a Fera”. De: Jeanne-Marie LePrince. Tradução: Marie-Hélène C. Torres. Editora: Poetisa. 60 págs. R$ 36.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade