Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Letícia Cardoso reflete sobre espaço do feminino na sociedade em instalação em Florianópolis

Site specific "Fábula em um Quintal Úmido" é baseado no ensaio “Como Viver Junto”, de Roland Barthes, sobre a clausura absoluta de uma mulher

Marciano Diogo
Florianópolis
Daniel Queiroz/ND
A artista catarinense Letícia Cardoso concebeu o site specific, instalação feita especialmente para um determinado ambiente


Na sociedade contemporânea, a manifestação da emoção ou alteração do humor da mulher ainda é vista, por muitos, como histeria. Questionar e refletir sobre esse estereótipo machista e a mudança e transformação do espaço do feminino no ambiente doméstico e público ao longo dos séculos 20 e 21 é o que fundamenta “Fábula em um Quintal Úmido”, obra da artista catarinense Letícia Cardoso, 37. O site specific, instalação feita especialmente para um determinado ambiente, que segue até julho no espaço O Sítio, em Florianópolis, é construído por meio de uma narrativa em áudio e imagens que propõem um cruzamento entre a arte visual e a literatura. “Exploro a relação da memória e espaço. É um trabalho que vem se desdobrando, um encontro de imagens e referências”, observa Letícia.

Baseado no ensaio “Como Viver Junto”, de Roland Barthes, sobre a clausura absoluta de uma mulher, com áudio de trechos do livro “Sexo Vegetal”, de Sérgio Medeiros, pela voz de Bárbara Lobo Koerich, fotografias da performance “Improviso Cromático nas Janelas”, de Ana Viegas, e fragmentos da instalação “Vestido de Três Pontas”, da própria Letícia Cardoso, “Fábula em um Quintal Úmido” cria uma narrativa com base em tapetes e forros que remetem à cor e a texturas da grama de um quintal. Nas paredes, traz penduradas cartas, e nas janelas, saias de seda coloridas e fotografias que dão um cromatismo ao ambiente.

Ao usar resquícios e memórias de uma performance e instalação junto de textos ficcionais, Letícia diz que procura refletir sobre questões pertinentes na contemporaneidade.  “O conto de Barthes fala de uma mulher considerada histérica que é trancafiada em um sótão. Comecei a imaginar uma personagem a partir desse texto e criei uma inversão no sentido trazendo-a para os tempos atuais e para outro ambiente em que fosse possível abrir as janelas, causando uma ‘orgia no mundo vegetal’”, explica a artista, que é natural de Criciúma e está radicada na Capital.

Daniel Queiroz/ND
"Fábula em um Quintal Úmido" traz áudio de trechos do livro “Sexo Vegetal”, de Sérgio Medeiros, pela voz de Bárbara Lobo Koerich


Formada em artes visuais pela Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina) e com mestrado em poéticas visuais pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Letícia Cardoso observa ainda que ao explorar uma realidade por meio da ficção e da arte teve a intenção de criar uma poética que impacte através da linguagem visual em “Fábula em um Quintal Úmido”. “A ideia de ‘fabular’ é uma tentativa de resolver isso exteriormente. ‘Abrir’ as saias e gerar reflexões sobre as manifestações do feminino. É um absurdo as mulheres terem que passar por violências e repressões em pleno século 21. Estamos vivendo em tempos explícitos de violência, mas podemos combatê-la com a suavidade”, conclui a artista.

+ Conversa com a artista Letícia Cardoso no encerramento, às 16h do dia 9 de julho.

O quê: Site specif“Fábula em um Quintal Úmido”
Quando:
Até 9/7, de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h, e aos sábados, das 14h30 às 19h
Onde: O Sítio, rua Francisca Luísa Vieira, 53, Lagoa da Conceição, Florianópolis, tel. 48 30655792
Quanto:
Gratuito

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade