Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Alcides Buss lança terça (8) novo livro, “Janela para o Mar”, na Fundação Badesc

Obra apresenta 77 poemas sobre o mar escritos ao longo dos últimos 20 anos

Carol Macário
Florianópolis
Lucas Sampaio / Arquivo / ND
O poeta Alcides Buss conheceu om mar somente aos 18 anos 

 

Há 20 anos o poeta Alcides Buss decidiu que iria escrever um livro sobre o mar. Contrariando o processo de produção de suas outras 20 obras de poesia, a maioria criada a partir de versos escritos e posteriormente reunidos, Buss navegou em silêncios e versos nas duas últimas décadas para destrinchar o mar, esse gigante de três letras “que apenas a alma é capaz de captar”, como ele mesmo escreve. Dessa relação poético-afetiva nasceu “Janela para o Mar”, obra publicada pela editora Caminho de Dentro, com lançamento hoje na Fundação Cultural Badesc, na Capital.

O livro apresenta 77 poemas sobre o mar a partir de sete enfoques diferentes: O Mar de Dentro, subjetivo; o Mar de Fora, a imagem da praia, o ruído; o Mar de Amar, do amor. O livro ainda contém os blocos Língua do Mar, Música do Mar, Foriamar: ficções, Mar Inúmero. “Queria escrever um livro que mostrasse o mar de várias maneiras”, diz Buss, que começou a organizar no ano passado os versos guardados há décadas.

Natural de Salete, no Vale do Itajaí, Alcides Buss viu o mar pela primeira vez somente aos 18 anos. “Fiquei espantado e pensei: o mar é tão grande que não cabe nas palavras”, conta. Buss traz na memória sua forte ligação ao elemento água, desde a infância, mas era nos rios que brincava. “Quando pensava no mar, o que me vinha à cabeça é que o mar não era um rio”, diz ele.

Aos 63 anos, o poeta afirma ter hoje uma relação muito forte com o mar e chega a afirmar: “O mar me compõe”, no poema Tudo é possível. Do bairro Santo Antônio de Lisboa, onde vive, no Norte da Ilha, Buss contempla o remelexo das ondas, os pescadores, a cor, o ruído, as gaivotas. “E diante disso tudo o que me impressiona mais é o tamanho.”

Poeta premiado

Alcides Buss começou a publicar seus poemas no final dos anos 60, dentro
do movimento da poesia independente, também chamada marginal. Foi criador do Varal Literário e do Movimento de Ação do Livro, em que uma obra era repassada de mão em mão. Na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), foi professor e diretor da editora universitária. Em 2000, foi finalista do Prêmio Jabuti o livro “Cinza de Fênix e três elegias”, da Editora Insular, 1999. Ao longo dos anos tem recebido inúmeros prêmios, entre eles o da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), pelo livro infantil “A poesia do ABC”, e o Prêmio Manuel Bandeira, da União Brasileira de Escritores (RJ), pelo conjunto de sua obra

JANELA PARA O MAR, 2012. De: Alcides Buss. Editora: Caminho de Dentro, 125 págs. R$ 20

Serviço

O quê: Lançamento do livro “Janela para o Mar”, de Alcides Buss
Quando: 8/5, 19h
Onde: Fundação Cultura Badesc, Rua Visconte de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis, tel. 3224-8846
Quanto: Gratuito

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade