Publicidade
Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 32º C
  • 22º C

Álbum solo de Marcelo Muniz, morto em abril deste ano, tem lançamento no sábado

Artista deixou pronto o disco "Fogo do Rebojo", financiado via crowdfunding, e que tem participações de músicos como Rô Conceição e Denise de Castro

Da Redação/ND
Florianópolis
28/11/2018 às 12H47
“Fogo do Rebojo” faz um passeio musical pela cidade - Rosane Lima/Arquivo/ND
“Fogo do Rebojo” faz um passeio musical pela cidade - Rosane Lima/Arquivo/ND



Neste sábado, ocorre o pré-lançamento do CD “Fogo do Rebojo”, do músico Marcelo Muniz, que morreu em abril deste ano. O evento ocorre no Studio Fides, em Santo Antônio de Lisboa (rua Quinze de Novembro, 181, Santo Antônio de Lisboa), às 19h. Primeiro álbum solo do também pesquisador da cultura florianopolitana, com participações de músicos como Gazu, Rô Conceição, Denise de Castro e Ruth Gebler, foi produzido a partir de 2017 e viabilizado via crowdfunding. O disco não veio ao público antes do músico morrer em 13 de abril. Ele estava internado no hospital Baía Sul quando teve uma queda dentro do hospital e sofreu um AVC.

Fundador do Grupo Engenho e pesquisador da cultura da cidade, as músicas do álbum oferecem ao ouvinte uma viagem pela Ilha, em especial, de Santo Antônio de Lisboa, até a praia Brava. Além de participações bem conhecidas do manezinho, como o Boi de Mamão, o Cacumbi, o Orocongo, o Carro de Boi, e até mesmo o Vento Sul, que se misturam com cordas, sopros, percussões e “scratches”. Segundo a equipe que fez parte da produção do trabalho com Muniz, todas as músicas ficaram do jeito que ele queria.

O grupo Engenho foi criado em 1977 e teve nova formação em 1979. Em 1984 eles pararam as atividades. Em 2012, a banda retornou aos palcos para uma retomada da banda com o álbum comemorativo “De trés ont’onte a dijáoji”, que tinha o intuito de resgatar os grandes sucessos da banda na época, como “Barra da Lagoa”, “Braço forte” e “Meu Boi Vadiou”.

Em 2015 o Engenho fez o lançamento do DVD “De trés ont’onte a Dijaôji”, resultado do Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura 2013, do Governo do Estado, gravado em 2014 no Circo da Dona Bilica. Fizeram parte do trabalho a formação original do grupo: o vocalista e violonista Alisson, o baixista Marcelo Muniz, o baterista Chico Thives e o percussionista Claudio Frazê Gadotti, além de participações de Marcelo Besen no acordeon, Guto Vieira no violino, Manoella Vieira nos vocais e Juliano Melego, na percussão.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade