Publicidade
Quinta-Feira, 13 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 32º C
  • 21º C

“A motivação é uma porta que se abre somente por dentro”, sugere o Professor Gretz

Em 35 anos, Professor Gretz acumula mais de 6.000 palestras pelo Brasil

Andréa da Luz
Florianópolis
28/09/2018 às 18H17

Nascido no interior do Estado de São Paulo, em Itapeva, o filho de imigrantes (pai alemão e mãe russa) João Roberto Gretz, ou Professor Gretz, como é mais conhecido, foi agricultor e feirante até os 20 anos de idade, quando se mudou para a capital paulista. “O começo da minha vida foi muito simples, nada foi fácil, mas foi muito importante porque me fez valorizar tudo o que tenho e conquistei”, afirma Gretz.

Palestrante há 35 anos, João Roberto Gretz nem pensa em se aposentar - Flávio Tin/ND
Palestrante há 35 anos, João Roberto Gretz nem pensa em se aposentar - Flávio Tin/ND


Em São Paulo, cursou História e Administração de Empresas. Começou como estagiário na Volkswagen e depois foi para a área de controle de qualidade, onde permaneceu por dez anos. Também atuou como professor e foi diretor de Recursos Humanos em outras empresas de grande porte. Por dois anos, trabalhou como consultor pelo país, falando sobre temas comportamentais.

Sua facilidade em se comunicar o levou quase naturalmente para a função de palestrante e motivador. Começou utilizando os flip charts, depois passou para as transparências com retroprojetor e hoje utiliza o computador. Durante as palestras, projeta vídeos curtos e espontâneos que grava com o celular. “Intercalo com histórias bem humoradas, que seguram a audiência, e não preparo roteiros. Tenho em mente qual o tema da palestra, o público para o qual vou falar e os pontos principais do assunto e vou falando de improviso”.

Segundo ele, a receita dá certo porque utiliza sua história de vida como pano de fundo, sua experiência é o que lhe dá credibilidade. Credibilidade tal que lhe permitiu, durante os últimos 35 anos, realizar mais de 6 mil palestras para 4 mil clientes e escrever 14 livros, vendidos apenas pela internet ou nas palestras. Um deles, 'Voando como a águia', de 2002, teve grande destaque e foi lançado em Portugal após ser adotado pelo técnico de futebol Luiz Felipe Scolari como leitura motivacional para incentivar a equipe.

A rotina de 180 palestras por ano exige também um bom preparo físico. “Não posso fazer uma palestra sentado, falando de motivação. Levo minhas próprias bananas e maçãs, que como antes do evento em vez de almoçar e também faço exercícios físicos. Isso me dá disposição para viajar por esse Brasil afora”. Gretz escolheu Florianópolis para morar, onde reside desde 1993. Casado há 45 anos, tem um casal de filhos e três netos.

Atualmente, suas palestras são mais voltadas para o nicho do agronegócio e seus players. “Participo das convenções de vendas dessas empresas e também das que estão lançando programas de qualidade, além de realizar eventos abertos ao público em geral, em vários municípios”, afirma.

Conheça um pouco mais sobre o pensamento desse gênio da motivação, na entrevista abaixo:

1- Suas apresentações são sempre motivadoras. O senhor acredita que motivação e liderança caminham juntas?
Eu não motivo ninguém, porque a motivação é uma porta que se abre por dentro. Para abrir, são necessárias algumas chaves: o desafio, o elogio e o reconhecimento. A função do líder é gerar um ambiente no qual as pessoas se sintam comprometidas, participantes, envolvidas. Onde elas podem opinar, sugerir e se sintam parte daquilo. Daí a importância do líder elogiar, reconhecer e oferecer desafios. Então, sim, liderança e motivação andam juntas.

2- Qualquer pessoa pode se tornar um líder?
Sim. Algumas já têm o carisma, mas utilizando aquelas ferramentas que falei acima (desafio, elogio e reconhecimento) você pode exercer a liderança. Lembrando que elogio se faz em público e, a crítica, sempre em particular.

3- Vivemos na era da ansiedade e da depressão e ainda enfrentamos um longo período de crise, com desemprego e instabilidade política. Como se manter motivado em um cenário desses?
As pessoas vivem com excessos do ontem (que gera depressão), do hoje (stress diário) e do amanhã (que gera ansiedade). É preciso deletar o que já foi, não ser ansioso pelo que virá amanhã e focar apenas no hoje. De forma geral, há quatro coisas que nos atormentam: família, doença, trabalho (desafios) e a questão financeira, sendo que essa última é sempre mais frequente do que as outras três juntas. Trata-se de um exercício de disciplina para que consigamos equilibrar tudo isso e viver. O entusiasta faz dar certo!

4- O senhor nunca se sente desmotivado? Por quê?
Nunca. Porque não tenho preguiça. Se precisar acordar cedo ou de madrugada para trabalhar, vou feliz. Dizem que sou de outro mundo... (risos)
Aos quatro anos e 11 meses, eu ia para a feira junto com meus pais para vender os alimentos que produziam. Um dia minha mãe pediu para eu juntar os ovos e colocar em uma caixinha e, desta, passar para a caixa maior que seria levada para a feira. Fiz algumas vezes depois perguntei a ela se poderia me ajudar. Ela parou o que estava fazendo e disse: ‘tá com preguiça, menino?’. Meu pai ouviu e quis saber o que estava acontecendo e ela contou para ele que eu estava com preguiça... fiquei com muita vergonha e depois desse dia nunca mais tive preguiça de nada.

"Nunca me sinto desmotivado, porque não tenho preguiça", diz Professor Gretz - Flávio Tin/ND


5- E a aposentadoria, já pensou nela?
Não. Meu pai começou a escrever aos 80 anos. E escreveu 36 livros dos 80 aos 96 anos. Então, estou pensando é no que vou fazer depois dos 80. Até lá e enquanto tiver saúde, pretendo continuar ativo, talvez estudar mais uma língua e viajar, que gosto muito.

6- Que recado daria para os jovens? E para quem busca recolocação profissional?
Os jovens devem dar o melhor de si no trabalho, estudar e se esforçar, mesmo que sejam apenas estagiários, porque serão vistos. E quem é visto é lembrado seja para uma promoção, para uma movimentação para outro setor da empresa ou até em indicações para outras empresas. Tudo que você fizer, faça com entusiasmo, com o coração, e bem-feito. Tenha determinação, perseverança, foco e disciplina.
Para os que querem mudar de profissão, recomendo que mantenham um emprego provisório, enquanto buscam capacitação para outra área. A revolução digital chegou e quem tiver noção desse mundo digital e ainda dominar uma língua estrangeira, dificilmente ficará desempregado. Outra dica que eu dou é: quando você ler um livro ou assistir uma palestra reflita sobre o que você vai fazer a respeito daquilo. O que devo mudar? O que vou ensinar a outras pessoas?

7- Pretende escrever mais algum livro?
Tenho três na minha cabeça, mas vou esperar passar esse momento de crise no mercado editorial.

8- Como o senhor definiria o sucesso?
Sucesso é transformar seus sonhos em realidade. Mas isso só acontece quando você age com entusiasmo.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade