Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

5ª edição do Festival Internacional de Sapateado ocorre neste fim de semana em Florianópolis

Floripa Tap 2015 trará para Santa Catarina grandes nomes do gênero, além de promover workshops, “jam sessions” e duelos de dança

Marciano Diogo
Florianópolis
Daniel Queiroz/ND
A idealizadora Marina Coura (centro) junto com sapateadores e músicos que participarão do Floripa TAP 2015


A partir desta sexta-feira (10) o sapateado ganhará uma iluminação especial nos palcos de Florianópolis. Sexta-feira inicia a 5ª edição do Floripa TAP, Festival Internacional de Sapateado, que trará para Santa Catarina grandes nomes do gênero, além de promover workshops, “jam sessions” e duelos de dança. Entre os profissionais reconhecidos mundialmente que estarão no festival estão Lane Alexander, fundador do Chicago Human Rhythm Project - maior festival de sapateado mundo -, Maud Arnold, que já foi dublê de dança de Beyoncé em vídeos e comerciais, e as professoras e coreógrafas Star Dixon, Pamela Yasutake e Shaina Mitchell. O grupo Northwest Tap Connection  de Seattle (EUA) também é uma das atrações.

“Apesar de ainda carente, o sapateado tem crescido no Brasil. Na última década observamos um movimento de valorização da prática dessa dança em nosso país, que já está presente dentro de escolas de samba e em musicais”, afirma Marina Coura, 32 anos, idealizadora do Floripa TAP. A programação do Floripa Tap segue até domingo na Capital. A abertura será com uma noite de espetáculos que trará mais de 20 números de sapateado para os palcos do Teatro Ademir Rosa, no CIC (Centro Integrado de Cultura). Um dos diferenciais das apresentações é que algumas delas contarão com acompanhamento musical de instrumentos de corda e sopro. “O sapateado é como se fosse um instrumento de percussão. Essa interação positiva só acrescenta em ambas as artes”, relata o guitarrista Rafael Callegari.

A sapateadora Christiane Matallo, de São Paulo, vai mostrar uma habilidade exclusiva no palco do CIC no Floripa TAP: ao mesmo tempo em que sapateia, ela toca sax tenor. Ela é a única sapateadora do mundo a conseguir esse feito. Ao todo, 120 sapateadores estão envolvidos no festival internacional e espera-se um público de cerca de 3.500 espectadores.

Sapateadores de diferentes regiões do Brasil, como Belém, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, virão para os workshops de aprimoramento, no Sesc Cacupé, durante os três dias de evento. As oficinas práticas e teóricas serão ministradas por nove professoras, entre elas coreógrafas norte-americanas. “O foco é na informação e formação. Queremos promover o sapateado já como linguagem rítmica de dança importante para identidade brasileira. Desde os anos 50, quando foi trazido para o Brasil, o sapateado já foi agregado e misturado com outros gêneros musicais um tanto inusitados, como o funk e o maracatu”, observa Marina.

Uma aula de hip hop e outra de samba, as “jam sessions” diurnas, além do duelo de sapateadores do Floripa TAP serão gratuitos e abertos ao público. O duelo de sapateadores, o chamado de “Cutting Contest”, premiará os vencedores de quatro categorias. “Vai ter muita diversão e improvisação”, brinca a sapateadora Catarina Saito, que participará da competição. 

Intercâmbio de saberes
Recentemente inaugurada, a escola de dança Stúdio S de Joinville faz questão de participar da 5ª edição do Floripa Tap. Ao todo serão oito representantes da escola que estarão nos workshops, “jams sessions” e no “Cutting Contest” – duelo entre sapateadores. Segundo a professora e proprietária da escola Sabrina Carvalho, este evento é uma oportunidade única para quem aprecia este estilo de dança. “É importante este intercâmbio entre os bailarinos daqui do país e também com os profissionais internacionais. É uma oportunidade que temos de nos atualizarmos”, explica.

O grupo que sai de Joinville na sexta, fica até o fim do festival, no domingo. As alunas tem em média 16 anos e fazem parte do grupo sênior da escola. Sabrina, que inaugurou o Stúdio em março deste ano já vai para a sua quarta participação e algumas das alunas para a segunda. O sapateado ainda é muito novo no Estado, diz a professora, que enfatiza que eventos como a Floripa Tap divulgam e tornam a dança ainda mais acessível. “Estamos todos empolgados. Este é um dos melhores eventos do ano e a gente aprende bastante”, afirma.

A escola que também trabalha com jazz, balé e dança irlandesa, atualmente possui 30 alunos matriculados nas aulas de sapateado. E para dar um gostinho do que eles encontrarão no festival, a Stúdio promoveu, ontem, duas sessões de workshop com o bailarino Charles Renato, que também ministrará aulas no Floripa Tap. Charles Renato é conhecido em Joinville por ter sido escolhido o Melhor Bailarino do Festival de Dança em 2002 e retornou a cidade outras vezes como coreógrafo premiado durante o festival, além  de ter recebido indicações no Prêmio Desterro também como Melhor Coreógrafo. Recentemente, o bailarino foi escolhido para representar o Brasil no Rhythm World em Chicago, um os maiores eventos de sapateado do mundo. (Colaboração Suelen Soares)

Saiba como participar do Floripa TAP 2015 através do site floripatap.com.br.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade