Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

O Estado que Queremos

Rodrigo Rossoni

Florianópolis - 09/09/2018 16:09

Um novo ciclo iniciará, a partir de outubro, quan­do mais de 147 milhões de eleitores escolherão o pre­sidente da República, governa­dores e legisladores federais e estaduais. Esta eleição será es­pecial, pois estamos ávidos por soluções para entraves históri­cos. É preciso identificar o que os candidatos propõem, desde o tamanho do Estado, a estru­tura tributária e as garantias aos serviços essen­ciais e o fomento ao empreendedorismo.

Nacionalmente, a expectativa após o pleito é a aprovação da reforma previden­ciária. Mas precisa­mos, com a mesma premência, de uma re­forma administrativa capaz de impregnar o Estado com práticas de austeridade, transparência e eficiência nos três poderes da República, alinhados com um novo modelo de serviço públi­co, oferecendo tanto carreiras valorizadas quanto retorno aos contribuintes.

O Estado não pode ser maior do que seus cidadãos, que esperam dos eleitos um esforço hercúleo para desbu­rocratizar, lançar-se de lupa sobre as despesas e enfren­tá-las com coragem. Signi­fica priorizar investimentos em educação, saúde, seguran­ça e diminuir estatais, regalias e subsídios.

A tentação de aumentar im­postos, diante do déficit públi­co superlativo, deve ser subs­tituída pela prática de cortar despesas e estimular o setor produtivo com menos tributos e menos burocracia. A prática da taxação é uma autofagia, concentra recursos no Esta­do, onde são mal geridos, e re­duz a autonomia das pessoas fazerem suas próprias esco­lhas. Na escolha dos candida­tos, a primeira linha de corte deve eliminar aqueles que su­gerem manter ou elevar a car­ga tributária.

O Brasil tem recursos natu­rais pujantes e inúmeros exem­plos de talento e competência. Mas ainda convivemos com dramáticos indicadores sociais e humanos, similares à África subsaariana. Um Estado enxu­to, ágil, focado no cidadão e no desenvolvimento sustentável, será capaz de oferecer a segu­rança jurídica e política capaz de atrair investidores e propor­cionar o crescimento.

Rodrigo Rossoni
Rodrigo Rossoni

Vice-presidente da Acif

Publicidade
Publicidade

Envie a sua opinião ou sugestão de reportagem