Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Voluntárias da Áustria e Espanha participam de projeto com crianças na Costeira, em Florianópolis

Apesar do idioma, elas conversam com as crianças sobre direitos humanos, ética, cultura e convivência em sociedade. Nesta quinta-feira, é comemorado o Dia Nacional do Voluntário

Felipe Alves
Florianópolis
Rosane Lima/ND
Julia (à esq.) e Cristina criaram um forte vínculos com as crianças da Costeira


Há três semanas em Florianópolis, a austríaca Julia Werderitsch, 21 anos, e a espanhola Cristina Bas, 20, fazem parte de uma rede que ganha mais adeptos em todo o mundo: os voluntários. Diariamente, elas têm contato com cerca de 60 crianças da Costeira do Pirajubaé que participam de um programa de contraturno escolar, no qual se discutem as diferenças culturais dos países, direitos humanos, ética e convivência em sociedade. E é trabalhando pelos outros que elas comemoram hoje o Dia Nacional do Voluntário.

O idioma não é entrave para a troca de experiências entre as europeias e as crianças. Mesmo sem falar português, Julia cativou e criou um forte vínculo com a criançada. “Na primeira semana que cheguei aqui elas já me abraçavam, beijavam e pegavam na minha mão. No começo achei estranho, porque na Áustria as pessoas são muito mais distantes, mas adorei esse contato. Gosto de ajudar e fazer algo pelo outro”, diz a austríaca, estudante de negócios que faz voluntariado pela primeira vez.

A oportunidade de voluntariado no Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Costeira foi intermediada pela Aiesec, organização internacional que promove intercâmbios em diferentes países. As seis semanas que Julia e Cristina ficarão no Brasil servirão para essa troca de experiências, além das brincadeiras e jogos. “Eles são adoráveis, nos contam histórias, nos levam para os lugares e dividimos nossas visões, costumes e diferenças com eles. É incrível o amor que eles nos dão”, conta Cristina, que enrola no “portunhol”.

Flávio da Costa Júnior, 10, se tornou amigo de Cristina e Julia. “Às vezes fica um pouco difícil de entender o que elas falam, mas é legal aprender, é diferente. Adorei ver fotos das cidades delas. Lá tem igrejas diferentes e eles praticam snowboard”, diz. 

Voluntariado presencial e on-line

Criado em 2008 em Florianópolis, o portal Voluntários Online (www.voluntariosonline.org.br) conta com 62,8 mil voluntários e 795 ONGs cadastradas em todo o país. O site funciona como uma rede de conexão, ligando os candidatos a voluntários às vagas disponíveis pelas ONGs.

Segundo Ana Maria do Vale Pereira, diretora-executiva do Instituto Voluntários em Ação, órgão responsável pela criação do site, as pessoas não iam mais a reuniões presenciais e só ligavam e mandavam e-mail para se voluntariar. “Era a forma de aproximar as ONGs que precisam de voluntários das pessoas que querem trabalhar. Muita gente tem vontade de ajudar, mas não sabe como ou onde procurar. A internet cresceu muito nos últimos anos e as pessoas passam muitos dias conectados, então decidimos usar isso”, explica.

O diferencial do site é proporcionar possibilidades de voluntariado online. Além de vagas presenciais, como contadores de histórias, professores e instrutores, é possível também fazer trabalhos pela internet, como traduções, pesquisas, diagramações, entre outros.

SEJA UM VOLUNTÁRIO

- Exercer a cidadania: você pode fazer algo pelo próximo e pela sociedade

- Aprender algo novo: nas atividades voluntárias, se ensina e se aprende

- Fazer o bem: seu trabalho pode melhorar e alegrar a vida de muitas pessoas

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade