Publicidade
Terça-Feira, 22 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C

Viaduto de Alto Forquilhas será a primeira obra complementar do contorno viário

Obra tem 660 metros de extensão e conta com passagem de pedestre iluminada, mas precisa de melhorias segundo a Secretaria de Segurança, Defesa Social e Trânsito de São José

Michael Gonçalves
Florianópolis
02/11/2016 às 10H13

Moradores do bairro Alto Forquilhas, em São José, utilizarão a primeira obra de arte complementar construída pela Autopista Litoral Sul para a continuidade do contorno viário de Florianópolis. Trata-se de um viaduto na Estrada Geral de Alto Forquilhas, que passará sobre a nova rodovia de 50 quilômetros que ficará pronta em 2019. A intenção da concessionária era de liberar o trânsito no viaduto na última segunda-feira, mas o acesso deve estar disponível até a próxima semana. A Secretaria de Segurança, Defesa Social e Trânsito de São José cobrou melhorias na sinalização antes de receber a obra provisoriamente.

Com o viaduto, um dos lotes da construção dos 50 quilômetros do contorno viário poderá ter continuidade. O contorno é uma nova rodovia que está sendo construída para desviar o tráfego de longa distância da região metropolitana. O traçado passa pelos municípios de Governador Celso Ramos, Biguaçu, São José e Palhoça e vai retirar o trânsito pesado do trecho urbano da BR-101.

Viaduto vai possibilitar a continuidade da obra do contorno viário - Flávio Tin/ND
Viaduto vai possibilitar a continuidade da obra do contorno viário - Flávio Tin/ND


A obra do contorno não teria como seguir sem o novo acesso para os moradores de Alto Forquilhas. Junto com ele, vieram as críticas. “Esse viaduto só trouxe problema para quem mora aqui. Poeira, rachaduras e barulho. Sou consciente da necessidade da construção dessa rodovia, mas o viaduto não mudará a nossa rotina”, contou o advogado Jean Cardoso, 32 anos.

A obra conta com passagem para pedestres com iluminação. São 660 metros de extensão, com 9,87 metros de altura. “Perdemos a drenagem natural que existia aqui. Os valões foram fechados e, agora, o sítio virou um manguezal, mas estou esperando que tudo seja resolvido com a construção das pistas como prometeram”, reclamou o caseiro Vilson Lopes, 44.

Obra pode oferecer risco ao usuário

O engenheiro de tráfego da Secretaria de Segurança, Defesa Social e Trânsito de São José, Gilberto Bianchini de Souza, esteve no local da obra e vetou a liberação do novo acesso. Ele constatou problemas que precisam ser resolvidos antes que as pistas sejam abertas a motoristas e pedestres.

“Observamos que um canteiro no início e no fim do viaduto pode colocar em risco a segurança do usuário e solicitamos essa correção. Além disso, também fizemos sugestões sobre as sinalizações. Quando tudo estiver pronto, a secretaria fará mais uma visita para a liberação do viaduto. Aliás, ele será entregue ao município provisoriamente, porque será necessário mais uma camada de asfalto, porque a atual é satisfatória”, afirmou.

A assessoria de imprensa informou que a Autopista Litoral Sul está fazendo as alterações para a liberação do trânsito. Por isso, não há uma data definida para a conclusão da obra.

Vilson viu parte do sítio virar um mangue sem a drenagem - Flávio Tin/ND
Vilson viu parte do sítio virar um mangue sem a drenagem - Flávio Tin/ND



Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade