Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Vereador questiona gasto do município de R$ 58 mil mensais com presidente da Comcap

Carlos Alberto Martins, funcionário de carreira da Celesc, foi cedido ao município em janeiro com ônus ao órgão de origem; Prefeitura argumenta que nomeação traz benefícios para a Administração

Fábio Bispo
Florianópolis
29/08/2017 às 01H38

O vereador Pedro de Assis, o Pedrão (PP), levou à tribuna da Câmara questionamento sobre fatura de R$ 48.728,96 que a Prefeitura de Florianópolis paga à Celesc desde que Carlos Alberto Martins, o Carlão, assumiu a presidencia da Comcap (Autarquia de Melhoramentos da Capital), no início deste ano. Se somados os custos da cessão do servidor da empresa de energia e a verba de representação pelo cargo que ocupa atualmente, R$ 9.450,00, o município vai desembolsar este mês R$ 58.178,96 para manter o presidente da Comcap.

“Ao longo de quatro anos a prefeitura vai gastar R$ 3 milhões com esse funcionário. Dinheiro que daria para bancar durante um ano e meio a Secretaria Municipal de Esporte e Juventude”, afirmou Pedrão ao cobrar que o município esclareça à Câmara os gastos com o presidente da Comcap, que segundo ele são maiores do que o salário do presidente da República.

“Isso não soa bem, não soa moral. A cidade inteira está sabendo que a Prefeitura não vive um bom momento financeiro”, emendou o vereador. Demais vereadores, como Lela (PDT) e Maykon Costa (PSDB), pediram cópia do documento para análise.

Ofício encaminhado à Prefeitura de Florianópolis com a cobrança de R$ 48.728,96 referente ao custo do servidor cedido - Reprodução
Ofício encaminhado à Prefeitura de Florianópolis com a cobrança de R$ 48.728,96 referente ao custo do servidor cedido - Reprodução


Carlão foi cedido pela Celesc ao município no início de 2017 para gerenciar uma das empresas públicas mais problemáticas de todo o Estado. Em seis meses a frente da Comcap conseguiu passar a empresa de economia mista para autarquia municipal e promete uma economia milionária ao longo dos próximos anos.

O fato do município desembolsar R$ 58 mil para manter Carlão na Comcap não significa que ele receba este valor como vencimento líquido. Isso porque os R$ 48 mil pagos à Celesc são referentes ao custo bruto do servidor, incluindo deduções previdenciárias, FGTS e demais encargos. Se somados o vencimento líquido do servidor na Celesc (R$13,8 mil) mais a verba líquida de  representação da Comcap (R$ 7,2 mil) o salário real de Carlão chega a a R$ 21 mil mensais.

“Essa é uma questão pessoal que está sendo tratada de forma irresponsável. Assim como todo servidor do Estado cedido, o município paga os meus custos por meio de uma fatura. Eu não recebo salário da Comcap, mas sim uma verba de representação, que não chega a cobrir as perdas que eu tive deixando a Celesc para assumir no município. Eu tenho 38 anos de Celesc, passei por todos os cargos na empresa”, afirmou Carlão.

Município diz que contratação substitui “consultoria milionária”

Por meio da assessoria de comunicação, a Prefeitura justificou o gasto com a nomeação de Carlão para a Comcap, justificando seu conhecimento técnico e a economia que sua administração a frente da autarquia irá representar aos cofres públicos:

"Ao invés de contratar uma consultoria milionária ou decretar a falência da Comcap, a prefeitura escolheu um nome para levar profissionalismo à gestão da Comcap, torná-la sustentável, permanecendo pública e garantindo o emprego dos funcionários, o que vem acontecendo e já é de conhecimento de todos”, diz trecho da nota, que segue. “Carlos Alberto Martins é servidor efetivo da Celesc há mais de 30 anos e foi cedido para a Prefeitura da Capital. Com isso, a Prefeitura é quem paga os custos brutos e encargos do servidor enquanto ele estiver cedido. Cabe salientar que o profissional formado em Administração de Empresas e pós-graduado em Gestão Empresarial é um dos nomes mais qualificados do mercado na área, inclusive já exercendo a diretoria da Celesc e gerência regional da Grande Florianópolis. O nome foi escolhido justamente para levar profissionalismo à gestão da Comcap, o que vem acontecendo e já é de conhecimento de todos. Para se ter ideia, desde a nomeação de Carlão como presidente-interventor da Companhia, a Comcap aumentou seus serviços para manutenção e zeladoria no município proporcionando uma economia anual à Prefeitura de R$ 500 mil ano, além da transformação da Comcap em autarquia que permitirá desoneração de mais R$ 20 milhões no ano de 2017 e mais R$ 25 milhões até o final do processo. A Comcap, que era uma empresa praticamente falida, hoje vive um dos seus melhores momentos, com as dívidas sob controle e um processo de modernização em andamento.”

Após a sessão legislativa, Pedrão divulgou um vídeo sobre a informação nas redes sociais:

Publicidade

13 Comentários

Publicidade
Publicidade